Político também é gente?

O assunto em si não é política, mas vou usar esse tema em época de eleição porque gostaria muito de chamar sua atenção e causar ao menos um pouquinho de reflexão. Como vocês sabem, a maior parte da equipe Cantinho da Unidade mora em Brasília. Não, nós não tropeçamos em políticos o tempo todo, rs. Entretanto, às vezes, devido nossas profissões, acabamos conhecendo políticos ou parentes deles.

Uma vez tive oportunidade de conhecer a filha de uma mulher da política e ela estava contando o quanto ficava triste quando descobria o que falavam e como falavam da mãe dela. Ela me contou de como a mãe dela muitas vezes chegava em casa acabada depois de um dia terrivelmente estressante.

Minha intenção não é discutir aqui a honestidade de nenhum político, quero que você extrapole e pense em como você fala das pessoas, especialmente nas redes sociais. Muitas vezes nem sabemos a verdade completa e saímos inventando coisas, falando mal e até mesmo xingando as pessoas. Isso é especialmente perigoso nessa época de fake news. Todavia, ainda que a pessoa que estamos falando mal for realmente “culpada”, temos que prestar atenção no que e como falamos porque ela também é um ser humano. E se você é muito sem coração e não considera o outro um ser humano com sentimentos como você, pense ao menos na mãe que pode ser idosa e/ou nos filhos/netos pequenos. Eles não merecem compaixão? Qual é a “culpa” deles?

Outra coisa que me deixa muito triste são as generalizações. Sei que em vários lugares do país policiais não têm boa reputação, mas eu conheço muito bem alguns deles que são irrepreensíveis. Também já fui servidora pública e ficava muito irritada quando falavam mal dos servidores sendo que eu via dia a dia a equipe do meu setor dando o sangue para que as coisas funcionassem. Algo semelhante acontece com algumas pessoas da igreja, porque conheceu um líder ou um pastor que fez algo errado ela passa a falar mal de todos, como se todos fossem desonestos.

Quando se soma todos esses fatores ao fenômeno da viralização nas redes sociais, ao cyberbulling e as consequências dele conseguimos ter noção de que um comentário que você interpreta como banal nas redes sociais pode ter consequências desastrosas. Você quer mesmo arriscar?

Você quer rever suas atitudes? Vou te mandar o ponto de partida.

Nunca, jamais repasse notícias que você não tem certeza. Na igreja, as únicas fontes confiáveis são os sites oficiais, fora isso duvide. Se você quer ter certeza de uma informação entre em contato com a instituição.

Não repasse memes ou posts denegrindo a imagem de uma pessoa ou instituição, nunca sabemos onde isso pode chegar e pode ser extremamente prejudicial à imagem da igreja com o público externo.

Muito cuidado em como você se expressa. É claro que você pode dar sua opinião! Se discorda de algo você deve falar, mas com a pessoa e no lugar correto. Dica: comentários nas redes sociais NUNCA são o lugar correto. Chamar para uma conversa, telefonar ou mandar email são as únicas formas de resolver algo, tudo mais são palavras vazias.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *