Archive | October 2012

Especialidade de Insetos – avançado: aprendendo a pesquisar

Esta especialidade é uma continuação ao fascinante estudo dos insetos.

Você aprenderá os ciclos de vida de diferentes grupos de insetos e sobre seus hábitos. Vai conhecer insetos que podem transmitir doenças para o homem e como se prevenir delas.

Você sabe o que é um puçá? Além do puçá, você vai aprender outras ferramentas e técnicas que podem ser utilizadas para coletar insetos, inclusive insetos aquáticos e insetos atraídos por luz.

Nesta especialidade você terá que identificar, pelo menos, 50 espécies por conta própria, além das identificadas na especialidade básica. Divirta-se!

Para se aprofundar no estudo da entomologia cumpra os seguintes requisitos:

 

  1. Completar a especialidade Insetos.
  2. Acrescentar à sua coleção atual, 50 insetos representando pelo menos dez ordens diferentes (sem contar os lepidópteros). As etiquetas devem incluir o nome da pessoa que capturou o inseto, data, ordem, família e gênero. (Espécimes estragados ou mal colados não serão aceitos.)
  3. Como as estruturas especiais e hábitos dos insetos os preparam tão notavelmente para a vida?
  4. Contar o ciclo de vida de quatro insetos de quatro famílias diferentes.
  5. Dar o nome de dois tipos de insetos sociais. Como diferem dos insetos insociais?
  6. Dar o nome de pelo menos quatro insetos que transmitem doenças ao homem, e dar o nome de pelo menos uma doença transmitida por causa de um desses insetos.
  7. Realizar uma das tarefas a seguir: construir uma rede aérea, rede de arrasto ou rede aquática.
  8. Construir uma armadilha para insetos noturnos, e usá-la.
  9. Mencionar pelo menos um inseto correspondente a cada um dos seguintes: aquático, que comem folhas, que se enrolam em folhas, que perfuram madeira, que comem papel, parasitas no corpo de um pássaro ou mamífero; ou descrever as castas de cupins e abelhas; ou comparar os graus de inteligência exibidos por um gafanhoto ou besouro, com a formiga, abelha ou vespa.

Para ajudar no requisito 1, leia também Especialidades de Estudo da Natureza, coleções e legislação ambiental.

Logo abaixo estão as alguns sites na internet com informações confiáveis que podem ajudar no estudo desta especialidade. Apesar de confiáveis, alguns deles podem apresentar informações sob a visão evolucionista, expressões como “milhões de anos”, “processos evolutivos”, “ancestrais”, “antepassados”, etc. Desconsiderem essas informações.

Caso você tenha uma indicação de fonte, nos deixe um comentário ou envie um e-mail.

Classes de desbravadores reformuladas!

Semana passada vimos AQUI no nosso Cantinho as principais mudanças nas novas classes.

As classes regulares/avançadas não sofreram muitas alterações, mas as classes agrupadas e as classes de liderança estão com uma roupagem completamente diferente. Confiram!

Classes agrupadas

O novo cartão de classes agrupadas tem uma estrutura muito diferente do anterior. A partir de agora, quem cumprir o cartão de classes agrupadas será investido em todas as classes regulares e em todas as classes avançadas, não mais em líder! A ideia é que exista apenas um caminho para a investidura nas classes de liderança: o cartão de líder. Isso facilita tanto o cumprimento, por parte dos aspirantes, quanto a avaliação e orientação, por parte dos instrutores.

Classes de liderança

As mudanças mais significantes, tanto em estrutura quanto em requisitos, foram nas classes de liderança. Para começar, em todas as classes é necessário completar o ano bíblico jovem e fazer provas, inclusive máster e máster avançado. As provas não mais serão sobre o Nossa Herança e o Verdades Bíblicas, confira:

Líder: Salvação e Serviço / Nisto Cremos (crenças fundamentais 1-10) e Estatuto da Criança
Líder Máster: Nisto Cremos (crenças fundamentais 11-20)
Líder Máster Avançado: Nisto Cremos (crenças fundamentais 21-28)

Assim como os desbravadores, os líderes também precisam se voltar aos livros! Eis os exigidos nas três classes: Mensagens aos Jovens, Orientação da Criança (alguns capítulos), A Ciência do Bom Viver, Retrato dos Pioneiros e O Grande Conflito, além de alguns de escolha do candidato e do Manual Administrativo, obrigatório para os aspirantes a Líder.

As especialidades também foram valorizadas. Em cada classe é necessário cumprir um ou dois mestrados, dentre os seguintes: Zoologia, Botânica, Atividades recreativas, Ciência e tecnologia, Saúde, Ecologia, Habilidades domésticas e Testificação.

Outra mudança estrutural é incentivar o líder a se envolver com outros departamentos da Igreja, visível ao se solicitar o cumprimento da Medalha de Bronze (antiga Medalha de Dedicação) [com a OMD 2013/002, este item foi excluído] e a participação em treinamentos de outros departamentos, como Escola Sabatina e Pequenos Grupos.

A parte física, há tempos esquecida, foi reintroduzida. A Medalha de Prata e a Medalha de Ouro passam a ser obrigatórias para a investidura em Máster e em Máster avançado, respectivamente. [Esperamos que seus requisitos sejam revisados, mas isso depende da Divisão…]. [com a OMD 2013/002, estes itens foram excluídos].

As classes de Máster e Máster Avançado não são mais divididas em sete seções de especialização. Agora os líderes terão que cumprir todos os requisitos, em todas as áreas! Mas eles também foram reformulados, não se preocupem, rs.

Além disso, foi definido um padrão para as pastas e também os critérios de perda e revalidação de investidura.

O objetivo das mudanças foi desenvolver líderes mais capacitados e treinados, além de envolvê-los mais com a Igreja e desenvolver a espiritualidade de cada um. Dar estudos bíblicos, levar alguém ao batismo, participar da Missão Calebe… Os desafios são grandes, mas aqueles que os vencerem serão vitoriosos! Serão líderes mais comprometidos com a Salvação dos desbravadores e com o Serviço de Deus!

E aí, gostaram? Ficaram ansiosos para iniciar agora mesmo os novos cartões? Façam o seu pedido no site da Editora Sobre Tudo ou aguardem para comprar no SELS da sua Associação/Missão.

Atualizado em 14/2/16

Nomeado líder sul-americano de desbravadores!

Os desbravadores e aventureiros de oito países sul-americanos têm um grande motivo para festejar! O pr. Udolcy Zukowski, que até o momento servia a Igreja como secretário da União Central Brasileira, foi nomeado nesta tarde pela Divisão Sul-Americana (DSA) como novo líder sul-americano de desbravadores e aventureiros.

O objetivo, segundo o presidente da DSA pr. Erton Köller, é dar uma maior atenção a essas duas áreas que são estratégicas para os adventistas por auxiliarem na formação espiritual de crianças e adolescentes. “A Igreja vai investir mais para colocarmos no coração de nossos filhos o desejo de servirem a Deus de maneira intensa”, comentou Köhler.

Pr. Udolcy Zukowski é natural de Joaçaba-SC, é casado com Sonia Romy Pereira e tem três filhos: Udson, Kelly e Keity. Formou-se em teologia e começou a trabalhar em 1986 na UEB, passando pela AMS, USB e UEB como departamental do Ministério Jovem. Desde 2010 é secretário da UCB e agora comporá a atual equipe do Ministério Jovem da DSA.


Testamos

Hoje estamos iniciando uma nova seção, a seção “Testamos”. Nosso intuito nesta seção é o de mostrar materiais para desbravadores e líderes que tenhamos testado e aprovado, apresentar a descrição do produto, suas vantagens e desvantagens e relatar brevemente a experiência com o material.

Caso tenha testado algum material e queira nos recomendar, nos mande um e-mail.

 

Dry Lite Towel – Sea to Summit

Trata-se de uma toalha confeccionada em microfibra, macia e ultra-absorvente. Cada kg do material da toalha absorve até 5 kg de água. Além dessa grande capacidade de absorção de água, ela também seca muito rapidamente. É macia, leve e compacta, ocupando pouco espaço na mochila e realizando o mesmo trabalho de uma toalha grande convencional. Por estas características, a Dry Lite Towel é ideal para viagens, trilhas, acampamentos, rapel e outras atividades de aventura.

Ela pode ser encontrada em 5 tamanhos diferentes: extra-pequena (XS), pequena (S), média (M), grande (L), e extra-grande (XL) (veja na tabela abaixo).

Eu comprei uma M e uma XS, para usar como toalha de rosto. A média é mais que suficiente para me secar bem, sem deixá-la encharcada após o uso. E mesmo a pequena já me quebrou um galho quando esqueci de levar a média, só precisei torcê-la pra terminar de me enxugar. Elas realmente são bastante macias e o espaço ocupado é muito pequeno, dando espaço para colocar outras coisas na mochila ou simplesmente reduzir o peso e volume de material a carregar.

O vídeo abaixo demonstra bem a capacidade de absorção e secagem de uma Dry Lite Towel e porque ela é uma boa toalha para atividades outdoor.

Aqui estão algumas lojas nas quais é possível encontrar essa toalha (alguns tamanhos podem estar indisponíveis):

http://www.penatrilha.com.br/catalogsearch/result/index/?manufacturer=630&q=toalha&x=0&y=0

http://www.arcoeflecha.com.br/busca.asp?palavra=toalha%20dry%20lite

http://www.territorioonline.com.br/catalogsearch/result/?q=toalha+dry+lite

http://behard.com.br/lojavirtual/produto/toalha-drylite-micro-towel/21

Teste você também e nos diga o que achou!

A estranha estratégia de Deus

Você viu ontem na seção Recomendamos o livro Cristianismo puro e simples. Para aguçar ainda mais a curiosidade de vocês, além de demonstrar um pouco mais porque esse livro é tão interessante, quero colocar aqui um pequeno trecho:

Um território ocupado pelo inimigo – assim é este mundo. O cristianismo é a história de como o rei por direito desembarcou disfarçado em sua terra e nos chama a tomar parte numa grande campanha de sabotagem. Quando você vai à Igreja, na verdade vai receber os códigos secretos mandados pelos nossos amigos: não é por outro motivo que o inimigo fica tão ansioso para nos impedir de frequentá-la. (p. 60).

Por que Deus quis entrar sob disfarce nesse mundo ocupado pelo inimigo, fundando uma espécie de sociedade secreta para minar o demônio? Por que não invade o território com força total? Será que Ele não é forte o suficiente? Bem, os cristãos acreditam que Deus vai utilizar a força total; apenas não se sabe quando. Mas podemos adivinhar o porquê do atraso. Agindo assim, Ele nos dá uma chance de aderirmos à Sua causa livremente […] É certo que Deus vai invadir, mas não sei se as pessoas que pedem que Deus interfira aberta e diretamente em nosso mundo sabem exatamente o que estão pedindo. Quando Ele fizer isto, será o fim do mundo. Quando o autor sobe ao palco, é porque a peça já terminou.

A invasão divina vai acontecer, não há dúvidas quanto a isso; mas o que vamos ganhar se só então anunciarmos que estávamos do lado dEle? De que nos valerá isso quando o universo se dissolver como um sonho e algo até então inconcebível para a nossa mente sobrevier como estrépito – algo tão magnífico para alguns e tão terrível para outros? De que isso nos valerá quando não pudermos mais escolher? Dessa vez, Deus se apresentará sem disfarces, e virá com tamanho poder que causará, em cada criatura, um amor irresistível ou um irresistível horror. Será tarde demais, então, para escolher um dos lados. Quando não é mais possível ficar em pé, de nada adianta você dizer que decidiu ficar deitado. Aquele não será o tempo das escolhas, mas sim da revelação do lado a que pertencíamos, tivéssemos consciência disso ou não.

Hoje, agora, nesse momento, temos a oportunidade de escolher o lado correto. Deus tarda a aparecer para nos dar essa chance, que não durará para sempre, é pegar ou largar. (p. 87-88).

Depois de uma verdade tão contundente apresentada com argumentos tão claros e incisivos, não me resta muitas outras palavras a acrescentar. Apenas sugiro que você reflita cuidadosamente nessas palavras, é a mais completa realidade.

Este é um bom texto para ser lido para os desbravadores da classe de Guia, essa é uma fase de escolhas e o texto mostra com uma linguagem bem acessível a urgência de escolher ficar do lado correto. Como Lewis diz: “é pegar ou lagar”!

Recomendamos

Maranata, líderes!

É muito bom estar de volta. Quanta coisa mudou desde a última vez que escrevi para vocês. Passamos por diversas etapas de uma mudança de fase que estamos tendo na vida. Quem gosta de videogame sabe que passar de fase é uma coisa difícil, rs. Mas aos poucos vai tudo entrando nos eixos novamente.

Agora o Cantinho tem mais colaboradores e vocês vão ver as recomendações deles também! Mas continuarei sempre por aqui para compartilhar as minhas descobertas relevantes na literatura. Tomara que vocês estejam gostando do nosso novo Cantinho!

Cristianismo puro e simples

Se você é daqueles que acompanha os blogs adventistas, já deve ter ouvido falar desse livro. Também pudera, é um dos melhores livros sobre cristianismo que eu já li. E é por isso que mesmo ele já tendo sido recomendado por vários blogueiros adventistas, eu também quero reforçar o convite para conhecer essa maravilhosa obra.

Sinceramente, é difícil para mim escolher o que falar sobre o livro, porque ele é tão bom, tão bom, tão cheio de coisas maravilhosas que a frase mais apropriada que eu poderia dizer a respeito é que ele mudou a minha vida!

Cristianismo puro e simples é dividido em quatro “livros”. O primeiro deles é bem filosófico, é o mais árido deles, mas é fundamental lê-lo para que haja uma correta compreensão dos outros. No Livro II Lewis começa a discorrer sobre o que os cristãos acreditam, fala sobre as concepções correntes de Deus, sobre o ateísmo e como este é um grande engano e conclui falando sobre a iminente volta de Jesus. O Livro III é para sacudir a vida de qualquer um. Conceitos bíblicos como moralidade, santidade do casamento, perdão, egoísmo, esperança, fé são apresentados completamente em acordo com os ensinamentos de Jesus. Vale muito a pena ler! No Livro IV ele começa falando sobre a Trindade… aqui ele escorrega um pouco, pois a concepção da Trindade que ele tem não está completamente de acordo com o ensinamento bíblico, mas acredito que seja muito mais por uma dificuldade de interpretação do autor do que uma vontade deliberada de enganar o leitor.

No último capítulo também há um ponto que me deixou um pouco confusa: Lewis apresenta certas ideias evolucionistas, que sinceramente não condizem com todo o discurso criacionista explanado no decorrer da obra. Chega a parecer que foi escrito por outra pessoa, mas provavelmente não… Entretanto, este capítulo não é motivo para não ler o livro, pois é demasiado pequeno comparado às grandiosas lições que podemos aprender com ele.

Na realidade, o único ponto negativo do livro é que o preço dele é bem salgado, rs. Quase R$ 60,00. Entretanto, cada centavo vale muito a pena!

Clube de Leitura: Quem sou eu?

Falta menos de um trimestre para o fim do ano 2012. Para os líderes da Igreja, 2013 já é assunto da pauta da comissão. As pessoas já estão cansadas das atividades acumuladas, os alunos ansiosos com o fim das aulas… todos anseiam um novo ano em que tentarão mudar alguns hábitos mais uma vez.

Que tal incluir, como uma das metas, desenvolver gosto pela leitura? Sabemos que essa é uma tarefa árdua, mas que tem resultados muito benéficos para os desbravadores! Semana passada vimos AQUI algumas dicas gerais sobre o incentivo à leitura, mas a partir dessa semana iniciamos oficialmente a nossa seção Clube de Leitura.

Para essa seção, convidamos alguém muito especial para compartilhar seus conhecimentos conosco. Denis Cruz vai publicar por aqui dicas de livros e contos para incentivar a leitura dos desbravadores, começando agora mesmo! Ao final, o conselheiro encontra um plano de leitura, com as atividades propostas para aquele conto. [Conheça o perfil do Denis na página da nossa Equipe].

Reserve um tempo no seu cantinho da unidade para essa atividade, pelo menos, uma vez a cada 15 dias. Se possível, reserve um espaço semanal para o Clube de Leitura no programa da sua reunião regular. Você verá a diferença que essa prática vai causar na vida dos seus desbravadores. Depois contem para a gente como foi… Boa leitura!

Quem Sou Eu

Um conto de Denis Cruz 

Quem sou eu? Para responder a essa pergunta tão simples eu teria que contar, primeiro, quem eu fui e, só então, poderei dizer quem sou. Tenho boas memórias sobre minha infância. Tive bons pais, estudei em boas escolas, usei roupas da melhor qualidade e sempre aproveitei bem a vida. Lembro-me das baladas com os amigos. Altas festas. Era bom demais.

Meu primeiro porre foi aos quatorze anos. Uma comédia. Foi numa festa de quinze anos de uma amiga da escola. Eu bebi tanto que vomitei na vasilha do ponche. Até hoje meus amigos contam essa história. Foram eles que me deram banho, café amargo e me levaram pra casa. Meus pais nem desconfiaram.

Não me lembro do que aconteceu exatamente, só sei o que o pessoal me contou. Eu nunca havia bebido nada e acho que gostei do sabor do ponche.

Depois daquele dia, comecei a sair mais com os amigos e sempre alguém dava um jeito de levar uma bebida. Cerveja, uísque, vodka, sempre havia alguma coisa pra animar a festa.

Eu obedecia meus pais e resistia às insistências dos meus amigos. Mas não é fácil ser alvo dos sarros de amigos e, após muita insistência, eu sempre dava a primeira “bicada” numa cervejinha. Era a última coisa que eu via, o resto da história só ficava sabendo pelos comentários dos amigos na escola, no outro dia.

Era sempre aquela comédia: ou eu tinha dançado com a avó da aniversariante, urinado no vaso de flor, ou vomitado no tapete da sala, beijado o cachorro na boca, ou coisas que nem me contavam, só riam em um coro interminável. De toda forma, eu amava isso, pois sempre era o centro de todas as atenções.

Assim vivi até uns 18 ou 19 anos, sempre só na cervejinha, pois ela era mais fácil de “controlar”.

Na minha festa de formatura de segundo grau, resolvi dar-me um presente: eu iria experimentar um bom uísque. Um amigo comprou um dos melhores, serviu meu copo: uma dose completa, com um cubo de gelo dentro. Degustei em um grande gole. Foi como colocar uma gota de sangue na língua de um tubarão. Se eu fechar os olhos posso sentir o sabor e o cheiro daquele gole. Depois disso eu não me lembro de mais nada. Acho que há coisas que nossa memória faz questão de esquecer.

Eu achava que gostava de cerveja, mas posso afirmar: para mim, bebida fermentada não é nada; a destilada é tudo.

Minha vida era simples: de dia ajudava meu pai na loja e de noite, festa e mais festa. Meus pais não entendiam muito bem o que estava acontecendo, pois sempre julgaram ser algo da juventude e que logo eu teria maturidade suficiente pra abandonar toda aquela baderna.

Recordo-me, também, de quando minha filha nasceu. Eu tinha uns 22 anos, minha namorada havia engravidado, nós assumimos. Bem, pra dizer a verdade, nossos pais nos assumiram, pois nenhum de nós tinha independência financeira e precisamos ir morar na casa do meu pai.

No dia em que a pequena Milena ia nascer, fiz questão de não beber nada, pois queria estar cem por cento presente em cada momento do que ia acontecer.

No hospital, enquanto esperava pelo parto, eu tremia e suava frio. Minha boca estava seca. Sentia uma sede terrível. Era muita emoção. Precisei sair pra tomar um ar e só retornei duas horas depois, após ter quase esvaziado uma garrafa de vodka na conveniência perto do hospital.

Lembro-me de que as enfermeiras não queriam que eu entrasse, mas consegui me livrar delas e sair correndo pelo corredor do hospital gritando: “Milena, Milena, você nasceu minha filha?” Parei em frente ao quarto onde minha esposa estava, mas alguém trancou a porta por dentro. Eu só queria ver a Milena. De joelhos, eu esmurrava a porta, chorava e gritava o nome da minha pequena. Que gostoso, eu podia ouvir o chorinho dela vindo de dentro do quarto. Eu só queria ter sido o primeiro a pegá-la no colo e ver aquele rostinho de anjo…

Milena… eu sinto saudades dela. Meu casamento durou pouco. Uns três anos, talvez. Minha esposa não aceitava meu apreço pela bebida. Mas tudo bem, separações fazem parte da vida.

Eu podia ver minha filha aos fins de semana, conforme combinamos, mas depois perdi esse direito, pois num domingo bati o carro com a Milena dentro. Ela quase morreu. O Juiz do caso acreditou na versão de que eu estava dirigindo bêbado.

Mas eu ainda podia ver a Milena no apartamento da minha ex-esposa. Porém, também perdi esse privilégio num dia que apareci lá no meio da semana, vindo de uma festa. Eu arrombei a porta e joguei minha filha nos ombros dizendo que a levaria pra junto de mim para sempre. Ela chorava, mas eu dizia pra não se preocupar, pois eu a protegeria.

Minha ex tentou tirá-la dos meus ombros, mas bati nela. Depois disso, perdi o direito de me aproximar da minha filha. Tenho que manter uma distância de trezentos metros dela.

Milena… sinto saudades… Faz três anos que não posso olhar nos olhos da minha filha.

Eu destruí parte do patrimônio da minha família. Eles gastaram muito comigo, na maioria das vezes pra me tirar da cadeia por causa de uma série de infrações.

Meu pai e minha mãe ficaram ao meu lado até não terem mais forças pra me suportar. Eu matei até mesmo as esperanças deles.

Na minha vida eu já fumei, eu já cheirei, mas no meu sangue nada tem mais efeito do que o álcool. É como se eu tivesse uma sensibilidade pra ele.

Alguns aprendem a amar o álcool. Eu acho que já nasci com esse amor em meu sangue. Com o álcool eu chego ao meu oitavo céu, mas, quando eu acordo, me vejo no oitavo círculo do inferno.

Às vezes, acordo em uma poça de lama, ou no canto da calçada, todo sujo e fedido. Já acordei em uma delegacia, em hospitais ou rodeado de um bando de drogados.

Há duas horas, eu ia me matar, mas a campainha tocou antes que eu puxasse o gatilho. Era meu amigo Mauro. Ele me pegou pelo braço e me trouxe aqui. Falou-me de Deus e disse que poderia ser minha última chance de viver decentemente.

Quem sou eu? Acho que agora posso responder: eu me chamo Lúcio Dias Júnior, tenho 32 anos de idade, estou agora sentado em uma cadeira de reuniões dos Alcoólatras Anônimos e, pela primeira vez na minha vida, reconheço que sou alcoólatra.

PROJETO DE LEITURA

Público alvo: Classes de Pioneiro, Excursionista e Guia

Tema: Relacionamento familiar, álcool, vício

JUSTIFICATIVA

O álcool é a droga lícita mais difundida entre os jovens. Mesmo havendo proibição legal de venda a menores, é bem comum festas regadas livremente com bebida alcoólica.

O álcool tem sido o vilão, também, em acidentes de trânsito e pesquisas apontam como um dos grandes responsáveis por muitas das fatalidades das estradas.

É necessário, assim, que o jovem compreenda os riscos do consumo de álcool e qual a melhor recomendação quanto ao seu uso: a abstenção.

OBJETIVOS

Entender os malefícios do consumo de álcool (na sociedade e na família).

Entender os riscos do consumo de álcool.

Compreender o que é um alcoólatra e quais seus desafios.

Concluir sobre a melhor postura do jovem diante do álcool.

SUGESTÕES DE ATIVIDADES

  1. Pesquisar sobre alcoolismo.
  2. Pesquisar sobre centros de recuperação para alcoólatras.
  3. Pesquisar estatísticas atuais sobre acidentes de trânsito ocorrido por causa de consumo de álcool.
  4. Pesquisar sobre o limite legal de idade para compra/venda de bebida alcoólica.
  5. Pesquisar sobre a taxa de tributação sobre bebida alcoólica.
  6. Pesquisas sobre a Lei seca em algumas cidades.
  7. Ler o texto e propor as seguintes questões:
    1. O personagem central reconhecia ser um dependente de álcool ou achava tudo bom e normal? Explique.
    2. O personagem central obteve tratamento para sua dependência? Este tratamento surtiu resultado?
    3. Quando começou a dependência do personagem central?
    4. A família teve culpa ou tentou ajudar?
    5. Quais os efeitos do álcool na vida do personagem?
  8. Após a leitura, propor um debate, sugerindo-se as seguintes questões:
    1. Por quê o álcool é liberado, mesmo sendo tão prejudicial?
    2. Uma dose apenas tem problema?
    3. Como tem sido os resultados em cidades que adotaram a Lei seca depois de determinada hora?
    4. Você conhece algum alcoólatra? Pode compartilhar a experiência dele?
    5. Por que o álcool atrai tanto o jovem?
    6. Por que as propagandas sobre álcool são tão atrativas e utilizam, especialmente, a sensualidade e o humor?
    7. Qual a melhor postura que devemos tomar diante do álcool?
  9. Fazer um JURI SIMULADO (ÁLCOOL NO BANCO DO RÉUS – Culpado ou inocente), dividindo os papéis entre os alunos: jurados, testemunhas, juiz, promotor (acusará o álcool), advogado (defenderá o álcool), etc.
Clique AQUI para baixar o conto e AQUI para baixar o plano de leitura.

 

Classes de desbravadores reformuladas!

Em agosto deste ano foram lançados, em São Paulo, os novos cartões de registro das classes. De Amigo a Líder Máster Avançado tivemos alterações. Vocês já sabem quais são? Então confira aqui no nosso Cantinho!

Classes regulares e avançadas

As classes regulares e avançadas não sofreram grandes mudanças. Basicamente mudou-se apenas a estrutura da seção descoberta espiritual. Por exemplo, em cada classe agora há uma pequena parte do ano bíblico juvenil, de forma que o desbravador que concluir de Amigo a Guia complete toda a leitura.

Os temidos versos para decorar, também conhecidos como gemas bíblicas, foram aposentados… em seu lugar, agora o desbravador precisa apenas ler e explicar os versos. O que os garotos precisam memorizar agora não são os versos, mas temas bíblicos específicos, como as 12 tribos, as três mensagens angélicas, os 12 apóstolos, as bem-aventuranças…

Você já ouviu dizer que brasileiro não gosta de ler? Não brasileiro desbravador! Além do livro do ano, cada classe agora exige outro livro: Caminho a Cristo, Além da magia, A história da vida, Nos bastidores da mídia, além dos tradicionais Pela graça de Deus e Nossa herança. Então, amigos, já se preparem para montar um projeto de incentivo à leitura no seu Clube ano que vem, para que ninguém deixe de ser investido!

A maior parte das mudanças foi nas classes de liderança, mas isso fica para semana que vem…

Especialidade de Samambaias: aprendendo a pesquisar

Cyathea sp. por Edson Grandisoli

O que são samambaias? Como elas são diferentes dos arbustos e árvores? Onde e como elas se desenvolvem? Quais samambaias possuem importância medicinal? Tudo isso você vai aprender nesta especialidade.

Ainda aprenderá a reconhecer plantas que parecem samambaias, mas não são, como os licopódios e cavalinhas, e dizer que semelhanças possuem. Além, é claro, de aprender a identificar corretamente diferentes espécies de samambaias.

  1. Qual a diferença das samambaias e arbustos e árvores?
  2. Onde fica o caule de uma samambaia? Que parte cresce acima da terra? Qual o ambiente mais favorável pra o crescimento das samambaias?
  3. Como se reproduzem as samambaias? Localizar e descrever três tipos de soros a partir de três tipos de samambaias.
  4. Como os esporos viajam da planta mãe para um novo local? Quanto tempo leva para um esporo desenvolver-se até a planta adulta? Observar em samambaias ao natural, ou fotografias de samambaias jovens, como são diferentes das samambaias adultas.
  5. Conhecer o uso medicinal de três samambaias.
  6. Desenhar ou fotografar dez tipos de samambaias, e identificá-las corretamente.
  7. Além das samambaias comuns, existem plantas semelhantes a samambaias que são conhecidas como licopódio e cavalinha. Ser capaz de reconhecer duas licopodiáceas e uma cavalinha. Quais as suas semelhanças com as samambaias?
Logo abaixo estão as alguns sites com informações confiáveis que podem ajudar no estudo desta especialidade. Apesar de confiáveis, alguns deles podem apresentar informações sob a visão evolucionista, expressões como “milhões de anos”, “processos evolutivos”, “ancestrais”, “antepassados”, etc. Desconsiderem essas informações.

Caso você tenha alguma indicação de fonte, nos deixe um comentário ou envie um e-mail.

 

Projeto bálsamo

“[…] porque no dia em que dela comerescertamente morrerás”. (Gênesis 2:17).

As palavras ditas por Deus aos nossos primeiros pais, no Éden, ressoam e atemorizam as pessoas ao longo de toda a história até os dias de hoje, mais de seis mil anos depois.

A morte é a maior inimiga da humanidade, o maior dos medos, a única certeza! E por que isso acontece? Apesar de ser um tema complexo, a explicação é bem simples: nós não fomos criados para morrer, logo, a morte é algo anti-natural, pois ela não fazia parte dos planos de Deus.

O motivo pelo qual a morte foi introduzida na vida humana, animal e vegetal da Terra é bem conhecido: “Porque o salário do pecado é a morte […]” (Romanos 6:23).

Todas as pessoas no mundo já se depararam com uma situação de perda de algum amigo, parente ou pessoa próxima. A dor é muito forte, algumas vezes insuportável. É complicado se imaginar sem aquela pessoa ao seu lado.

Mas a dor da separação não é a única responsável pelo sofrimento dos que ficam. A maioria das pessoas sofre pela falta de esperança de nunca mais reencontrar aquela pessoa querida. Inclusive, a falta de esperança é, talvez, o pior sentimento que pode existir, em qualquer contexto, situação ou realidade.

Deus sabe exatamente o que passa no coração dessas pessoas, pois Ele próprio já passou por essa situação! “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna”.

Até mesmo o Rei do Universo já se deparou com a perda do Seu Filho. Porém, essa mesma perda se reverteu em salvação, em esperança para toda a humanidade caída. A melhor parte é que essa esperança não é restrita a um grupo de pessoas, a uma classe social ou a uma religião, mas sim a “todo aquele que nEle crer”! E é de graça! Paulo continua: “[…]mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 6:23).

Essa é a nossa Grande Esperança! Temos a esperança de reencontrarmos nossos queridos no glorioso dia da volta de Jesus. Não é maravilhoso? Então não podemos guardar essa esperança só para nós!

Todos os anos, no dia 2 de novembro, milhões de pessoas em todo o mundo vão aos cemitérios para “rever” os entes queridos. Um misto de sentimentos invade o pensar de cada um. É um momento de tristeza solene. Mas os desbravadores podem torná-lo um momento de esperança e conforto.

É esse o propósito do Projeto Bálsamo. Segundo o dicionário virtual Michaelis, bálsamo significa “alívio, consolo, lenitivo”. O Projeto Bálsamo é a oportunidade de levarmos alívio, conforto e esperança a essas pessoas de coração quebrantado.

Faltam duas semanas para o Dia de Finados. Preparem os seus desbravadores para essa grande missão. Providenciem cartões com uma boa mensagem visual e escrita, de forma a atingir este objetivo. [Algumas Uniões e Associações disponibilizam cartões especiais para esse projeto, informe-se no seu Campo]. Preparem-se espiritualmente, para que as pessoas sejam alcançadas por aquelas palavras e imagens do cartão e pelo carinho do desbravador lhe oferecendo alívio e paz de espírito.

Ainda mais importante, convide aquelas pessoas para uma programação especial na Igreja, na noite do dia 2. O coração delas está amolecido e a mente está mais propícia para receber as verdades de Deus. Convide um bom orador e prepare uma boa mensagem musical. O tema da noite deve ser explanado de maneira simples, clara e com propriedade, de forma que todos possam entender a verdade sobre a morte.

No Projeto Bálsamo de 2010, tivemos a imensa alegria de ouvir de um dos convidados, após o programa noturno: “Que alívio! Como é bom não ter mais dúvidas a esse respeito e agora saber a verdade. Tirei um peso das costas”.

Talvez não cheguemos a ouvir isso ainda nesse mundo, mas a maior parte dos resultados desse Projeto só serão vistos no céu, onde não mais teremos que nos preocupar com a morte…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...