Archives

1 milhão de pães em 1 hora

paes-720x300

Amigos líderes! Faz parte das comemorações do Dia Mundial dos Desbravadores deste ano a participação de todos os desbravadores da Divisão Sul-Americana no projeto 1 milhão de pães em 1 hora! Aproveitando o tema do sermão oficial, a DSA propôs um projeto simples e efetivo que dará um sentido prático à mensagem da manhã. Para que tudo ocorra bem, aqui vão algumas dicas que a própria Divisão divulgou em seu site oficial. Não deixe seu Clube fora dessa!

  1.  O que é?
    O desafio “1 milhão de pães em 1 hora” é parte das atividades do Dia Mundial do Desbravador, que na América do Sul tem como inspiração neste dia a multiplicação dos pães que Jesus fez. Um menino entregou ao Salvador seus 5 pães e 2 peixes que foram multiplicados para alimentar uma multidão. Os 200.000 desbravadores da Divisão Sul Americana estarão alimentando os necessitados. Cada um entregando 5 pães, totalizando então 1 milhão de pães.
    Queremos envolver também os pais e a igreja para que façam o mesmo. Se você comeu um pão de manhã, porque não pode entregar 5 pães aos carentes ao meio-dia?
  2. Como?
    Há três maneiras diferentes de conseguir os pães:
    A) Cada desbravador pede ao seu pai que compre ou doe o dinheiro correspondente a 5 pães.
    B) O Clube desenvolve a especialidade de Panificação e ensina aos desbravadores a arte de fazer pão. Todo o Clube junto prepara e assa os pães que serão distribuídos com muita alegria, porque foi feito por eles próprios.
    C) Cada desbravador pedirá ajuda a sua mãe para juntos prepararem os pães em casa mesmo. No sábado de manhã, cada um trará o seu próprio pacote de pães para a distribuição.
    As famílias da Igreja também podem ser desafiadas a fazer o mesmo (prepararem os pães em casa ou comprarem) e se unirem aos desbravadores na visita aos lugares carentes.
  3. Quando e Onde?
    19 de Setembro de 2015 é o Dia Mundial do Desbravador, nesta data, após o culto, ao meio-dia, todos devem entregar os pães juntamente com folhetos ou livros missionários.
    Previamente, os líderes devem escolher as comunidades carentes, bairros ou favelas, creches ou asilos, famílias cadastradas pela ação social da Igreja (ASA). No sábado, dia 19/9, os desbravadores, juntamente com seus líderes, pais e membros da Igreja visitarão esses locais para entregarem os pães com materiais missionários.
    Não se esqueça de registrar com fotos e postar no site www.desbravadores.org.br e tuitar com #1milhaoem1hora
  4. Textos do Espírito de Profecia:
    “Exige reflexão e cuidado o fazer um bom pão; há, porém, mais religião num pão bem feito do que muitos pensam.” CBV 302 “Multidões … anseiam por alguma coisa que não têm. Gastam o dinheiro naquilo que não é pão, e o produto do seu trabalho naquilo que não pode satisfazer.” Evangelismo 266 “Cristo, por intermédio do profeta, mandou que: “Repartas o teu pão com o faminto”, e fartes a “alma aflita”… BS 263 “Hesitamos frequentemente , não dispostos a dar tudo o que temos, temendo gastar e ser gastos por outros. Mas Jesus nos manda: “Dai-lhes vós de comer.” Sua ordem é uma promessa; e em Seu apoio está o mesmo poder que alimentou a multidão ao pé do mar.” BS 263 “Todo ato de bondade (feito aos pobres) em nome de Jesus é aceito e como se feito a Ele próprio, pois Ele identifica os Seus interesses com os da humanidade sofredora, e a Sua Igreja confiou Ele a magna tarefa de ministrar a Jesus ao ajudar e abençoar os necessitados e sofredores. A benção do Senhor repousará sobre todos que a eles ministrarem com coração bem disposto.” BS 214

1-Alberto

Esqueça um livro!

Esqueça um livro

Há alguns dias, vimos no blog do Michelson uma ideia interessante, o projeto Esqueça um livro. Na verdade, essa campanha já existe há algum tempo. Trata-se de “esquecer” um livro que você já leu em um lugar público, assim outra pessoa poderá encontrá-lo e compartilhar da leitura.

Parece loucura não é mesmo? Ainda mais em um país que não tem o hábito de ler. Mas são exatamente atitudes como essa que podem despertar o interesse pela leitura. Afinal, o que você faria se encontrasse um livro no banco do metrô? No mínimo iria abrir para ver se há alguma identificação para tentar devolver para o dono. Aí você encontra uma dedicatória explicando o projeto, começa a folhear o livro, pinta o interesse e você leva o livro para casa com você. Quando acabar de ler é só deixar em algum lugar para outra pessoa poder encontrar e ler também.

Mas para fazer mais do que incentivar a leitura, o Michelson propôs de transformar o Esqueça um livro em um projeto missionário. Em vez de esquecermos um livro qualquer, por que não deixarmos por aí um livro que contenha a mensagem de Jesus? Escolha algum livro que você já tenha lido, faça a dedicatória e deixe por aí, o Espirito Santo vai fazer o restante do trabalho. Você pode ter grandes surpresas no céu!

Outra ideia que você pode colocar em prática é transformar essa campanha em um projeto do Clube como um todo. Faça uma arrecadação de livros cristãos na Igreja, escreva a dedicatória em cada um deles e cada unidade fica responsável por “esquecer” os livros na escola, no ônibus, no metrô, na sala de espera do dentista, no banco de uma praça bem movimentada, em um restaurante/lanchonete ou em qualquer outro lugar em que o livro possa ser facilmente encontrado por alguém.

Esqueça um livro 2

Colocamos aqui uma sugestão de dedicatória, mas você também pode inventar a sua.

Oi, tudo bem?

Este livro não foi esquecido por acidente, ele foi deixado aqui exatamente para que você pudesse encontrá-lo e ler também. Tomara que você goste tanto quanto eu. Quando acabar de ler é só deixar em algum lugar estratégico para outra pessoa encontrar também.

Um abraço de seu amigo esquecido.

Quando você esquecer o seu livro, tire uma foto, escreva um breve comentário e mande para nós vamos ficar muito felizes de postar aqui no nosso Cantinho!

1- Éveni

Clube de Desbravadores no acampamento de verão!

Clube John Hancock, Riachão 2012

Clube John Hancock, Riachão 2012

O carnaval está chegando e felizmente muitas Igrejas tomam providências para tirar seus jovens do agito das cidades. Em alguns lugares os acampamentos seguem um estilo mais rústico e um bom lugar com sombra e um rio já são suficientes. Outras Igrejas preferem usar alojamentos ou chalés e o campinho de futebol é indispensável.

O foco do acampamento são os jovens e os adolescentes, mas geralmente vai a família toda e cada Igreja procura agradar seus membros para alcançar o máximo de participação. Por isso, é necessário ter atividades para todas as faixas etárias, entretanto, nem sempre a direção se preocupa com isso. O resultado é que as crianças ficam sem ter o que fazer e acabam indo fazer “arte”.

Para auxiliar a direção JA no programa, proporcionar uma atividade agradável e interessante para as crianças e fazer uma excelente propaganda do Clube, podemos, durante os dias do acampamento de verão, realizar um clubão com as crianças que estiverem por lá. A ideia não é nova, já foi testada e aprovada muitas vezes em uma campal que acontece todos os anos em Uruaçú/GO, o Riachão.

Nessa campal funciona desde 1999 o Clube Jonh Hancok, um Clube que tem atividades apenas 3 dias no ano e reúne até 500 desbravadores! Só quem já participou sabe a festa que é. Este clubão, além de proporcionar atividades construtivas para os juvenis e adolescentes, permite que os pais se concentrem mais nas programações dos adultos.

E aí, gostou da ideia? Então aqui vão algumas dicas para o programa ser um sucesso!

  • Veja a quantidade aproximada de crianças. Obviamente a quantidade exata você só vai saber lá, mas de acordo com o padrão dos acampamentos anteriores dá para ter uma ideia do que te espera.
  • Dê preferência para as atividades “desbravadorísticas”. Se em vez de você ensinar nós, amarras e especialidades, você se concentrar apenas em atividades típicas de gincanas, seu projeto ficará mais para colônia de férias do que para desbravadores de verdade.
  • Tente reproduzir a estrutura do Clube. Unidades de 4 a 8 membros, do mesmo sexo e idade aproximada, lideradas por um conselheiro e diretores associados masculino e feminino para auxiliar o “diretor” são uma receita de sucesso. Recursos humanos em menor quantidade que isso podem tornar o programa muito estressante para os voluntários.
  • Fortaleça as unidades. Uma das funções dos acampamentos é fazer amizades e não há nada melhor para fazer amigos que uma unidade realmente unida. Leve materiais para improvisar bandeirins, incentive a criação de um grito de guerra e crie atividades que fortaleça o trabalho em equipe.
  • Foco nas especialidades! Agora temos 475 especialidades, então tem muita coisa legal para fazer! Aproveite a oportunidade. Mas atenção! Não faça especialidades incompletas. Só trabalhe aquelas especialidades que possam ser concluídas TOTALMENTE no acampamento mesmo. Todos os requisitos devem ser concluídos para que a criança possa receber a insígnia no final do acampamento.
  • Certifique-se de ter material suficiente. Especialidades, brindes, premiações… tenha suficiente para todos senão seu programa vai virar um mico. É claro que em algumas coisas você vai ter que improvisar, mas vai dar bem menos trabalho se estiver tudo certinho antes.
  • Evite as competições. O clima deve ser de cooperação. Uma corrida de nós, um concurso de pinturas ou um caça ao tesouro podem ser realizados, mas só se tiver prêmio para todos. Não é hora para deixar ninguém chateado.
  • Não faça uma programação muito cheia. A programação deve ser leve por dois motivos, não atrapalhar o programa preparado pela direção jovem e não sobrecarregar as crianças. Converse direitinho com quem está fazendo a programação do acampamento e só coloque atividades nos horários em que a pessoa permitir. Deixe sempre tempo livre durante o dia, no mínimo 2 horas, para as crianças fazerem o quiserem.
  • Pegue leve com a disciplina. Para a maior parte das pessoas não é necessário dizer isso, mas nunca é demais lembrar. Neste Clube “festivo” não é necessário exigir que a unidade esteja completamente imóvel para que a unidade seja apresentada, ou “mandar embora” quem chegar atrasado para a atividade, ou ainda exigir muita precisão na ordem unida. Deixe as coisas mais light, mas não frouxas, obviamente todos os ideais dos desbravadores devem ser observados.
  • Faça um encerramento interessante. Uma cerimônia semelhante à entrega de lenço e especialidades pode ser feita no último dia do acampamento. Converse com o Departamental de Desbravadores do seu Campo e peça autorização para fazer um lenço comemorativo do seu evento. Só entregue especialidades para quem realmente as concluiu.

IDEIA DE PROGRAMA

Sábado à tarde – Explicação do programa, divisão das unidades, composição do grito de guerra

Sábado à noite – Cine pipoca ou confecção do bandeirin ou especialidade (natureza ou manual)

Domingo de manhã – Ordem unida e/ou orientação com bússola

Domingo à tarde – Especialidade recreativa

Domingo à noite – Trilha com bússola

Segunda de manhã – Nós

Segunda à tarde – Especialidade recreativa

Segunda à noite – Especialidade (manual ou natureza)

Terça de manhã – Finalização das especialidades

Terça à tarde – Programa de encerramento

ESPECIALIDADES POSSÍVEIS DE CONCLUIR EM UM ACAMPAMENTO

Arte de trançar

Arte em fantoches

Árvores

Briófitas

E.V.A.

Escultura

Futebol de botão

Insetos

Marcação bíblica

Natação principiante I

Pintura em tecido

Segurança básica na água

Tie-dye

Vermes

1- Éveni

 

Projeto bálsamo

“[…] porque no dia em que dela comerescertamente morrerás”. (Gênesis 2:17).

As palavras ditas por Deus aos nossos primeiros pais, no Éden, ressoam e atemorizam as pessoas ao longo de toda a história até os dias de hoje, mais de seis mil anos depois.

A morte é a maior inimiga da humanidade, o maior dos medos, a única certeza! E por que isso acontece? Apesar de ser um tema complexo, a explicação é bem simples: nós não fomos criados para morrer, logo, a morte é algo anti-natural, pois ela não fazia parte dos planos de Deus.

O motivo pelo qual a morte foi introduzida na vida humana, animal e vegetal da Terra é bem conhecido: “Porque o salário do pecado é a morte […]” (Romanos 6:23).

Todas as pessoas no mundo já se depararam com uma situação de perda de algum amigo, parente ou pessoa próxima. A dor é muito forte, algumas vezes insuportável. É complicado se imaginar sem aquela pessoa ao seu lado.

Mas a dor da separação não é a única responsável pelo sofrimento dos que ficam. A maioria das pessoas sofre pela falta de esperança de nunca mais reencontrar aquela pessoa querida. Inclusive, a falta de esperança é, talvez, o pior sentimento que pode existir, em qualquer contexto, situação ou realidade.

Deus sabe exatamente o que passa no coração dessas pessoas, pois Ele próprio já passou por essa situação! “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna”.

Até mesmo o Rei do Universo já se deparou com a perda do Seu Filho. Porém, essa mesma perda se reverteu em salvação, em esperança para toda a humanidade caída. A melhor parte é que essa esperança não é restrita a um grupo de pessoas, a uma classe social ou a uma religião, mas sim a “todo aquele que nEle crer”! E é de graça! Paulo continua: “[…]mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 6:23).

Essa é a nossa Grande Esperança! Temos a esperança de reencontrarmos nossos queridos no glorioso dia da volta de Jesus. Não é maravilhoso? Então não podemos guardar essa esperança só para nós!

Todos os anos, no dia 2 de novembro, milhões de pessoas em todo o mundo vão aos cemitérios para “rever” os entes queridos. Um misto de sentimentos invade o pensar de cada um. É um momento de tristeza solene. Mas os desbravadores podem torná-lo um momento de esperança e conforto.

É esse o propósito do Projeto Bálsamo. Segundo o dicionário virtual Michaelis, bálsamo significa “alívio, consolo, lenitivo”. O Projeto Bálsamo é a oportunidade de levarmos alívio, conforto e esperança a essas pessoas de coração quebrantado.

Faltam duas semanas para o Dia de Finados. Preparem os seus desbravadores para essa grande missão. Providenciem cartões com uma boa mensagem visual e escrita, de forma a atingir este objetivo. [Algumas Uniões e Associações disponibilizam cartões especiais para esse projeto, informe-se no seu Campo]. Preparem-se espiritualmente, para que as pessoas sejam alcançadas por aquelas palavras e imagens do cartão e pelo carinho do desbravador lhe oferecendo alívio e paz de espírito.

Ainda mais importante, convide aquelas pessoas para uma programação especial na Igreja, na noite do dia 2. O coração delas está amolecido e a mente está mais propícia para receber as verdades de Deus. Convide um bom orador e prepare uma boa mensagem musical. O tema da noite deve ser explanado de maneira simples, clara e com propriedade, de forma que todos possam entender a verdade sobre a morte.

No Projeto Bálsamo de 2010, tivemos a imensa alegria de ouvir de um dos convidados, após o programa noturno: “Que alívio! Como é bom não ter mais dúvidas a esse respeito e agora saber a verdade. Tirei um peso das costas”.

Talvez não cheguemos a ouvir isso ainda nesse mundo, mas a maior parte dos resultados desse Projeto só serão vistos no céu, onde não mais teremos que nos preocupar com a morte…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...