Archive | March 2012

Char Cloth ou tecido carbonizado

A grande dificuldade para se fazer uma fogueira é iniciar o fogo. Muitas vezes a isca não pega fogo tão bem quanto desejamos ou não dura por tempo suficiente para que o fogo passe para os gravetos menores. Existem técnicas que facilitam neste trabalho de fazer com que os gravetos menores peguem fogo mais fácil e neste post vamos falar sobre uma delas, o char cloth ou tecido carbonizado.

Esta é uma técnica muito antiga e que continua tão funcional quanto era na época do velho oeste. Consiste em pedaços carbonizados de tecido natural, normalmente algodão, que se incendeiam como uma brasa assim que uma faísca os atinge. 

Dica: Quando for fazer algum char cloth e quando for utilizá-lo, é muito importante tomar todos os cuidados possíveis, pois você estará lidando com materiais perfurantes e também com fogo. Portanto, MUITO CUIDADO! Recomendamos que nenhuma criança faça o char cloth e fogueiras sem a supervisão de um adulto e, de preferência, que um adulto o faça.

Material necessário:

  • Latinha. Os gringos usam muito a famosa Altoids Tin, mas pode-se usar latas de bala, de Vick, ou mesmo comprar latas para brindes de festa, como o autor fez. A escolha é individual.
  • Tecido natural. O método mais simples e garantido é pegar uma camiseta de algodão velha, mas pode-se e deve-se experimentar outras coisas, como sisal, palha, etc., inclusive é muito comum o uso de cordas.
Camiseta velha e latinha, tudo o que se precisa. 

Como preparar:

  • Com ajuda de um prego e uma base de madeira, faça um furo na tampa da lata, por onde a fumaça da queima sairá sem aumentar a pressão interna.
Tampa da lata é furada
  • Recorte o tecido em pequenos quadrados, que caibam justo na lata. Não tem medidas exatas, é no chute mesmo.
Manga da camisa recortada em quadradinhos e lata já preenchida
  • Coloque a tampa na lata e depois coloque a lata no fogo baixo do seu fogão ou fogareiro, ou ainda nas brasas da fogueira, se estiver no mato. Rapidamente a fumaça vai subir pelo furo. Não se assuste com o cheiro de tecido queimado, deixe a fumaça sair até se esgotar. Apenas ventile bem a casa, se fizer o processo dentro dela.
Fumaça começando a sair pelo furo feito na lata
  • Feito isto, desligue o fogo ou remova a lata das brasas e deixe esfriar. Não abra ainda, ou a ventilação pode fazer o tecido incendiar. O resultado é o que vemos abaixo, tecido carbonizado que é queimável. Repare que os quadrados encolhem.
Char cloth pronto para ser usado
Como usar:
  • Como dito anteriormente, a fogueira deve ser preparada normalmente. Material miúdo, intermediário e grande separado ao lado de onde vai ficar o fogo. Pegue um dos pedaços do tecido e o coloque junto do material miúdo. Com apenas uma faísca ele vai ficar em brasa, basta soprar para incendiar o material em volta. Isto poupa esforço, o que é um alívio após um dia de longa caminhada. A partir daí é alimentar a fogueira como costume.
Queimando lenta e controladamente

Esta é uma técnica muito simples, barata e eficiente. Todos têm acesso a um pano ou camiseta velhos, e pelo que pôde ser visto, duram muito usando esta técnica. A lata também é simples de encontrar, transformando o char cloth em técnica de fácil acesso. O tecido carbonizado queima durante tempo suficiente para que o material miúdo acenda.

Tente fazer e nos conte o resultado!

Fonte: http://www.oaventureiro.com.br/2012/02/char-cloth-ou-tecido-carbonizado.html

IV Campori de Desbravadores da Divisão Sul Americana

Líderes de Ministério Jovem da Igreja Adventista do Sétimo Dia para oito países sul-americanos definiram, na manhã desta terça-feira, dia 13, data e local para o quarto Campori de Desbravadores Sul-Americano. O evento vai acontecer de 14 a 19 de janeiro de 2014 na cidade de Barretos, em São Paulo, no chamado Parque do Peão.

A primeira edição desse evento sul-americano aconteceu em 1984, a segunda em 1994 e a terceira em 2005. A expectativa é que mais de 40 mil pessoas participem, a maioria garotos e garotas de 10 a 15 anos. Os detalhes da programação ainda não foram definidos, mas já se sabe que haverá ações sociais, projetos evangelísticos e momentos especiais de oração e estudo da Bíblia com os desbravadores. Hoje nos oito países que formam a Divisão Sul-Americana da Igreja Adventista do Sétimo Dia existem 6.635 clubes registrados e mais de 174 mil desbravadores. “Desde já, estamos orando por esse grande empreendimento e temos a certeza de que Deus fará algo especial por toda essa garotada durante esse campori, assim como ocorreu no passado”, comenta Barbosa.

Cidade – Barretos é o sétimo maior município do estado de São Paulo, com mais de 100 mil habitantes. É mundialmente conhecido pela Festa do Peão de Boiadeiro.

Fonte: [Equipe ASN, Felipe Lemos]

Veja convite especial gravado com pastor Areli Barbosa

O tempo passa mais rápido do que imaginamos! Em janeiro de 2005, Santa Helena, perguntei para os meus amigos da unidade de 15 anos como seria estar no próximo Campori da Divisão, distante quase 10 anos. Ficamos pensando: será que já seremos casados? Teremos filhos? Qual faculdade teremos feito?…

Já temos as respostas para muitas das perguntas que fizemos e, graças a Deus, estamos firmes hoje para levarmos nossos garotos e garotas para essa grande festa! Apesar de ter 20 mil participantes, o III Campori da DSA foi o evento mais organizado que já participei. Não havia filas para tomar banho (isso porque tomávamos 4-5 por dia, devido ao calor, rsrs); as programações foram fantásticas, a música, os eventos, as provas… Temos certeza que este será ainda melhor!

Amigos, não deixem de participar. Temos ainda praticamente 2 anos até o evento. Preparem-se, façam o programa correto do Clube (classes, especialidades, acampamentos, classe bíblica, cantinho da unidade), animem seus desbravadores, converse muito bem com os pais. Não deixem o desânimo os vencer. Não deixem a falta de dinheiro os vencer. Como costumo dizer, “dinheiro não é problema para Clube nenhum, é a solução!”

Nos vemos lá. Vivam essa aventura!!!

10 qualidades de um bom amigo, para a classe de Amigo

No início do mês passado, participamos de um treinamento básico de diretoria aqui no nosso Campo. Fiquei responsável pela instrução sobre classes e especialidades. Uma das atividades práticas foi a elaboração do planejamento das classes, que foi feito em grupos.

Na discussão, o grupo que ficou com a classe de Amigo apresentou dois requisitos para o mesmo dia: “Conhecer o Hino Nacional de seu país e o que ele significa” e “mencionar dez qualidades de um bom amigo e apresentar quatro situações diárias onde você praticou a Regra Áurea de Mateus 7:12”. Então perguntamos como eles planejavam dar aquelas aulas e se teria tempo suficiente para as duas instruções num mesmo dia. Fui surpreendido por uma resposta: “falar sobre as 10 qualidades de um bom amigo é fácil, acho que uns 2 minutos dá”…

Amigos, meu objetivo aqui não é expor ninguém, apenas usar a situação para explicar alguns pontos. O primeiro deles é que é impossível uma instrução bem sucedida em apenas 2 minutos. Apenas pedir aos desbravadores em roda para falar uma característica de um bom amigo não conclui o requisito…

Enfim, como podemos instruir esse requisito então? Bem, você pode começar contando a história de alguns grandes amigos da Bíblia, como Jônatas e Davi; Jesus, Maria, Marta e Lázaro, etc. Isso também pode ser feito com algum filme. Em seguida [agora sim], peça aos desbravadores que enumerem qualidades de um bom amigo. Discuta cada uma delas, já vá preparado para algumas que sempre surgirão: confiança, lealdade, legal, companheiro, divertido…

Após esse momento, peça aos desbravadores que procurem em suas Bíblias outras histórias ou versos que falem sobre a amizade. Também esteja preparado para ajudá-los a encontrar. O objetivo é que eles mesmos procurem, você deve ser apenas um orientador. Peça a eles que escrevam 2 ou 3 dos versos encontrados e, em seguida, discuta o contexto de cada um e qual a lição que podemos tirar deles.

Por último, para essa primeira parte do requisito, entregue aos desbravadores uma lista com 10 linhas. Agora os desbravadores precisam ir atrás de outros colegas do Clube e pedir para cada um escrever em uma linha uma qualidade que ele tem. Já entenderam, né? rsrs Sente novamente com eles e compare a lista que eles têm em mãos com as qualidades que eles falaram no início. São as mesmas? Eles têm sido para os colegas o que eles procuram em bons amigos? Aproveite bem esse tema com eles, façam os garotinhos e garotinhas pensarem!

Aproveitando o momento de reflexão, leia com eles a Regra Áurea em Mateus 7:12. Com as atividades acima, praticamente você já fechou o tema com eles e eles aprenderam a lição pretendida. Então, para fixar bem o conteúdo, peça a eles que observem, durante a semana, 4 situações onde eles aplicaram a regra aprendida. Eles devem fazer um pequeno resumo de cada uma delas e entregar na reunião seguinte. Antes de iniciar a próxima instrução, confira cada caso e veja como eles se saíram!

Para ajudá-los a seguir esse modelo de instrução, clique AQUI para baixar um material de apoio a ser entregue a cada desbravador.

Acampar, quando???

A essas alturas do ano, todos os Clubes já fizeram o seu planejamento anual. (O quê??? Seu Clube ainda não fez? Já está mais que atrasado. Veja AQUI algumas dicas de como montar o planejamento). 

Se o seu planejamento já está pronto, as datas dos acampamentos já devem estar marcadas. Qual foi o critério de escolha? Só olhar no calendário e ver quando tem um feriado?

Amigos, a escolha da data do acampamento é outro ponto crítico, é claro que é necessário procurar os feriados, mas esse não deve ser o único critério. Vamos ver alguns pontos importantes.

Duração do acampamento – Qual o propósito do acampamento? Instrução, recreação, treinamento, etc.? Para cada um desses tipos há uma duração específica, sendo que os acampamentos de instrução precisam ter, no mínimo, 4 dias. Se o objetivo principal for recreação, 3 dias inteiros são suficientes [mas é claro que devemos aproveitar todas as saídas para cumprir algum requisito de classe ou especialidade].

Acampamentos muito curtos – Os acampamentos de fim de semana (sexta à noite, sábado e domingo pela manhã) raramente são uma boa opção. O tempo é curto para se desenvolver qualquer atividade e se o local é distante, perde-se mais tempo ainda. Dessa forma a relação custo benefício geralmente não apresenta um balanço positivo. Se o Clube só tem esse tempo disponível, uma caminhada com pernoite seria mais adequado.

Acampamentos muito longos – Se há Clubes com preguiça de acampar, nunca fazem acampamento de mais de 3 dias, há outros que exageram na dose e fazem acampamentos de mais de 5 dias. Não que seja proibido um acampamento mais longo, mas poucos conseguem preencher tanto tempo com atividades interessantes. Outro fator é o financeiro, quanto mais dias acampados, mais dispendioso será o evento.

Época do ano – Em muitos lugares no Brasil só existem 2 estações, metade do ano chove, na outra metade não; assim fica fácil fazer o planejamento. Lembrando que um acampamento em tempo chuvoso não deve ultrapassar 4 dias.

Em algumas regiões há uma grande variação de temperatura conforme a estação, por isso esteja bem atento às suas crianças para saber se elas conseguirão suportar o frio ou o calor do lugar/época do acampamento. Esse cuidado é importante, pois todas as crianças têm um limite. É claro que no acampamento não oferecemos as mesmas comodidades de casa, não é esse o propósito, mas sem o mínimo de conforto em relação ao clima as atividades ficam prejudicadas e podemos fazer o desbravador perder o gosto pelo contato com a natureza. 

Calendário escolar – Esse ponto é crucial, os tópicos acima são orientações que apresentam certo nível de flexibilidade, mas não podemos em nenhuma hipótese fazer os desbravadores perderem aula por conta das atividades do Clube. Se fizermos a criança matar aula um dia que seja, a imagem do Clube perante os pais fica prejudicada. No Brasil temos um bom número de feriados, temos até mesmo os feriados prolongados, então basta ter sabedoria e um bom planejamento para conseguir uma boa data para acampar.


Mentiras

Quando lemos o capítulo 3 de Gênesis, percebemos que o pecado entrou no mundo através do engano e da mentira. Satanás misturou verdades com erros para fazer os nossos primeiros pais caírem. E hoje, milênios depois, continua tentando arrastar os servos de Deus para a perdição através do mesmo artifício.

Poucas pessoas têm coragem de falar abertamente sobre as mentiras de satanás e o pessoal do grupo The Arrows cantam uma música fortíssima que aponta algumas dessas mentiras deste ser maligno.

Não conheço esse grupo, nem sou muito ligada a ouvir músicas de grupos que não são adventistas, mas vi este vídeo no blog Criacionismo, que usou como fonte o blog A hora do Leitee agora estou compartilhando com vocês:

Não tenho muitas palavras depois desse vídeo. Acho que você também não vai ter muitas. Não tem problema, apenas pare e reflita. 

Recomendamos

Histórias de missionários

Semana passada falamos sobre os pastores que estão indo para o Oriente Médio servir como missionários pelos próximos 3 anos. Como vimos, o desafio é incalculável e eles vão passar por várias experiências emocionantes.

Este projeto da Divisão Sul Americana é uma espécie de “retribuição” pelo trabalho feito pelos missionários americanos aqui no nosso território no século passado. Agora a DSA está enviando brasileiros para outras partes do mundo para espalharem o Evangelho, a fim de apressarmos a volta de Jesus.

As histórias que os missionários contam são fascinantes. Homens e mulheres de fé que passaram por essa experiência têm relatos inspiradores. Alguns deles estão publicados em livros, que são materiais perfeitos para plantar a sementinha da missão no coração dos nossos meninos e meninas.

Um dos livros que eu mais gosto é Mary: entre os selvagens do Calabar, um livro de Virgil E. Robinson. Infelizmente, ele é uma relíquia que não é mais publicado pela Casa, não encontrei à venda em nenhum site e nem sequer achei uma imagem dele… Mas se o seu Clube ou Igreja tiverem uma biblioteca JA (ou MV, rsrs), você provavelmente vai encontrar, porque é um clássico.

Mary cresceu ouvindo os relatos de David Livingstone, um missionário que se dedicou ao Evangelho no continente africano, mas ela era uma moça muito, muito pobre. Entretanto, Deus sempre abre as portas para aqueles que querem fazer o trabalho dEle. E assim, Mary consegue se tornar uma missionária e no seu campo encontra desafios muito semelhantes aos das histórias que ouvia na infância. Mesmo não sendo médica, já sabia enfrentar a malária e ensinava os verdadeiros princípios de saúde aos nativos, além de enfrentar feiticeiros tribais.

É um livro fascinante, mas como ele é difícil de conseguir, para que vocês possam também inspirar os seus garotos e garotas, selecionei estes 3, que também são muito interessantes:

Esta é a vida de um homem de coragem, chamado José Wolff, que não conseguiu guardar para si as boas novas de salvação em Jesus, ao converter-se. viajando para regiões de difícil acesso, da Ásia e África, pregou com ousadia aos muçulmanos, tendo sofrido prisões, açoites e ameaças de morte. 
Você também vai ficar preso – da primeira à última página – com as aventuras desse homem extraordinário.
Este também é um livro bem antigo, mas que ainda pode ser comprado pelo site da Casa. É do mesmo autor de Mary: entre os selvagens do Calabar.

Entre os Leões da Angola é um livro que vai cativar você. Através de uma narrativa em primeira pessoa, o autor Licius Lindquist conta de forma empolgante as aventuras pelas quais passou o missionário Manuel Salustiano de Castro, em seus 41 anos de trabalho na Angola.
Você vai saber como a mensagem de salvação alcançou pessoas que estavam muito distantes de Deus e como Ele providenciou livramento em várias situações de grande perigo para o missinário e sua família.
Este foi um livro do ano dos aventureiros, mas não é uma história muito infantil, sendo perfeitamente compatível para os desbravadores.
De forma divertida e cativante, Bob Prouty descreve alguns dos episódios que ocorreram durante os seis anos em que ele e sua família estiveram na África como missionários na área educacional. Aqui você vai encontrar histórias que o farão rir e também se emocionar. E vai compreender por que Bob e sua família guardaram lembranças tão maravilhosas de uma missão quando precisaram retornar para a América do Norte. Não fique curioso… Comece logo a leitura!

Esclarecimentos

Amigos leitores,

Aqueles que acompanham o nosso Cantinho há algum tempo, e mesmo os mais novos, já notaram que nos últimos dias diminuímos um pouco o ritmo de postagens.

Esse período coincide exatamente com várias mudanças na vida dos colaboradores. Foi nessa transição de ano que a Éveni mudou de emprego e terminou a graduação, tendo que apresentar a sua monografia. O Mateus foi chamado para o Corpo de Bombeiros do DF e está agora fazendo o curso de formação de oficiais, tendo pouquíssimo tempo livre. Eu estou no 10º semestre do meu curso e agora está mais pesado do que nunca antes… Além das mudanças na vida pessoal, nossa Equipe também está engajada em alguns projetos da Divisão Sul Americana, como a revisão do manual de especialidades, por exemplo, projeto este que precisa de muita dedicação e tempo.

Porém, estamos nos esforçando ao máximo para retornarmos ao nosso ritmo habitual e para trazermos sempre aqui novidades para desbravadores e líderes. Aqueles que tiverem interesse em nos ajudar com notícias, materiais, sugestões, etc., é só entrarem em contato, ok?

Contamos com o apoio e oração de todos vocês, para que juntos possamos nos dedicar ainda mais a este ministério tão maravilhoso!


Ir aonde Deus mandar

Quando você repete essa frase na reunião do Clube de Desbravadores você reflete em quão grande pode ser o desafio? Deus pode nos convidar a dar as boas novas aos colegas de classe, aos vizinhos ou pode nos convocar para pregar em outras cidades e estados. Mas Ele também pode chamar seus filhos a algo muito maior do que imaginam.

Esse é o caso de 5 pastores que estão indo trabalhar como missionários no Oriente Médio e na Ásia. O desafio é incalculável, lá eles irão encontrar miséria, guerras civis, calor e frio praticamente insuportáveis e um controle ditatorial por parte do governo. Todavia, esses 5 homens, suas esposas e filhos, mesmo sabendo de tudo isso, aceitaram o chamado. Eles estão vivendo o “ir aonde Deus mandar” na prática.

Neste sábado, tivemos a oportunidade de participar do culto de consagração desses pastores. O momento especial começou com o Pr. Edison Choque contando a história de J. N. Andrews, o primeiro missionário adventista a ir a outro continente. Em seguida, cada pastor entrou ao som do hino “Há um dever” tocado no trompete, carregando a bandeira do país em que irá trabalhar. Eles tiveram oportunidade de contar um pouco do que já sabem sobre seus campos de trabalho, além de mostrar fotos e vídeos. Depois das apresentações, o Pr. Erton Kohler falou especialmente aos missionários, exortando-os a serem semelhantes a Josué e convocou a igreja a fazer sua parte para que o evangelho seja pregado de forma eficiente.

Pastor Giovan Monteiro e família vão servir a Deus no Sudão
Pastor Elbert Kuhn e família voltarão para a Mongólia
Tomaz AJ e família irão para o Iêmen
Pastor Samir Costa e família continuarão o trabalho do apóstolo Paulo na ilha de Chipre
Pastor Matson Santana e família irão apresentar Cristo aos egípcios
Entre os pastores que estão indo, temos um carinho especial pelo Pr. Matson Santana. Ele já atuou em ministérios especiais com judeus, surdos e indígenas. Tivemos a oportunidade de acompanhar um pouco do trabalho dele quando participamos do projeto Karajá, em 2008. Ele inclusive fundou o Clube de Desbravadores Kristu Deodu, que já levou 9 crianças e adolescentes ao batismo. 

Mas de todas as coisas emocionantes que ouvimos durante a programação, nada foi tão marcante quando a conversa que tivemos com o pastor Matson na hora do almoço. Ele nos contou um pouco de como são os mulçumanos e disse que a parte mais importante do trabalho é mostrar Cristo na vida diária. Na verdade, esse é nosso maior desafio, seja no Egito, em Brasília, ou em qualquer cidade do mundo. As pessoas que me conhecem veem Jesus em mim? Essas palavras estão ecoando em minha mente até agora. Gostaria que vocês também pensassem nisto… 

Fiz um propósito especial de orar por esses missionários, faça você também. O desafio é muito grande e eles precisam de nosso apoio através das orações. A oração intercessora proporciona bênçãos também para quem intercede. Ao orarmos e intercedermos por eles, estamos nos preparando também para “ir aonde Deus mandar”.

Recomendamos

A grande esperança

Infelizmente, não faz parte da cultura brasileira o estímulo à leitura… Preciosas verdades estão relevadas através de milhares de páginas da Bíblia e do Espírito de Profecia, mas muitos perecem por falta de… leitura!

Pensando nesse quadro, a Igreja Adventista do Sétimo Dia está informatizando as verdades bíblicas, para que fiquem cada vez mais acessíveis à população do nosso país. Vemos isso claramente com o trabalho realizado com o livro evangelístico deste ano, A grande esperança. Além do livro impresso, a “preço de banana”, ele também está disponível online, em áudio, arquivo para tablets, PDF e na Língua Brasileira de Sinais!

Acesse agora mesmo AQUI e recomende para todos os seus amigos, de todas as suas redes sociais.

“E disse-lhes: ‘Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas'”. Marcos 16:15 (a mensagem do advento a todo mundo em minha geração)!!!

Pelos seus frutos sereis reconhecidos (2)

A influência dos livros de vampiros e bruxos


Quer virar um vampiro? Uma boa maneira de começar, aparentemente, é lendo bastante sobre eles. Ah, se preferir se tornar um bruxo, a dica também vale. Nós nos identificamos tanto com os personagens dos livros que lemos (e curtimos!) que acabamos adotando, semperceber, algumas características do comportamento deles. Isso já foi comprovado por vários estudos, e é considerado normal. A novidade maluca aqui é que o efeito é verdadeiro mesmo quando os tais personagens são seres que não existem.

Pesquisadores da Universidade de Buffalo (EUA) colocaram 140 voluntários para ler, por 30 minutos, trechos de um livro da série Crepúsculo ou da série Harry Potter. Depois, todos tiveram que responder a questionários que incluíam, no meio de perguntas normais (para ninguém desconfiar), questões mais direcionadas – para os que leram sobre vampiros, “quanto tempo você conseguiria ficar sem dormir?” e “o quão afiados são os seus dentes?”, por exemplo; para os que ficaram com os bruxinhos, coisas como “você acha que, se tentasse bastante, poderia ser capaz de mover um objeto usando apenas o poder da mente?”.

“A análise mostrou que os participantes que leram sobre bruxos começaram a pensar como bruxos, enquanto os que leram sobre vampiros começaram a pensar como vampiros”, diz o estudo. Ou seja, os dois grupos ficaram mais propensos a acreditar que tinham ou poderiam desenvolver capacidades sobrenaturais após lerem as histórias. Na prática, isso não significa muita coisa – a mudança, normalmente, é inconsciente, e o efeito do livro tende a se dissipar em pouco tempo, conforme a gente se foca em outra história. Mas não é muito louco?

Vale tomar cuidado para não sair mordendo ninguém por aí, tentando voar etc.

Fonte: Superinteressante

Em janeiro, publicamos AQUI no nosso Cantinho um post bem semelhante a esse, onde vimos outra pesquisa universitária revelando que somos afetados pelo que lemos, ouvimos ou assistimos. Mais uma vez, a sociedade e a comunidade científica nos comprovam o que já aprendemos há anos nas páginas da Bíblia!

Novamente, temos que ter uma atenção redobrada ao tratar com os nossos garotos e garotas. Satanás não descansa e está tramando a destruição de cada um deles… Felizmente, temos um Deus do nosso lado! que colocou líderes e conselheiros na Sua obra para salvar a vida deles.

O que você e eu temos feito para “salvarmos do pecado e guiarmos no serviço”? Você tem sido um exemplo para eles? O que você tem lido, ouvido ou assistido? Precisamos sempre ter em mente que o nosso trabalho no Clube não é um hobby ou algo apenas para diversão, e sim uma missão!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...