Archives

Encontre um Clube

Aproximadamente 8 meses após lançar o aplicativo 12593805_914206261981381_7415699363215411516_oEncontre um Clube, a Divisão Sul-Americana lançou o portal Encontre um Clube. Trata-se agora de um portal completo e com muitas outras funções. O site foi desenvolvido pela mesma equipe que desenvolveu o Sistema de Gerenciamento de Clubes – SGC. Assim, as informações dos dois sistemas são interligadas.

O Encontre um Clube possui as seguintes funções:

  • Encontre um Clube: É possível pesquisar qualquer Clube em qualquer dos 8 países da Divisão Sul-Americana, iniciando a busca sempre pelo país, em seguida o estado e depois o município. Ainda, é possível listar no mapa todos os Clubes de uma cidade, na opção Mapa clubes. Também está disponível a localização no mapa, assim, você pode usar os aplicativos Google Maps e Waze para chegar em qualquer um deles!
  • Os Desbravadores: Pequena descrição do movimento.
  • Os Aventureiros: Pequena descrição do movimento.
  • Cartão Virtual: Neste acesso é possível cada membro do Clube (sim, inclusive os desbravadores) acessarem seus dados, especialidades cadastradas, classes, eventos, etc.!
  • Cantinho da Unidade: Ainda em fase de desenvolvimento.
  • Fornecedores: Lista com o contato dos fornecedores oficiais.
  • Classificação: “O objetivo da classificação não é promover a disputa entre os clubes, e sim, que cada clube busque a excelência na organização de suas atividades dentro do Sistema de Gerenciamento de Clubes. Todos podem ser 5 estrelas, e por esse motivo, não divulgamos publicamente o total de pontos alcançados por cada clube, e sim, apenas a sua classificação”.
  • Liderança na DSA: Neste acesso é possível acessar todos os líderes, líderes máster e líderes máster avançado cadastrados na DSA.
  • Uniões: Por último, é possível acessar estatísticas de todas as Associações e Uniões da DSA: quantos Clubes, membros ativos, Clubes por Estados.

O portal está acessível em português e em espanhol, as línguas oficiais da nossa Divisão.

Encontre um Clube

Encontre um Clube2

Confira agora mesmo e divirta-se =D

1-Alberto

Orientação do Ministério de Desbravadores 2015/011

omd-desbravadores-1dsa

A Divisão Sul-Americana publicou dia 1/6/15, a OMD 2015/011, que determina a idade mínima para assumir os cargos de diretor do Clube e conselheiros, além de outras providências. Confira abaixo:

1- Alberto

Não é só pelos 20 centavos!

cofrinho12

“Não é pelos 20 centavos, é pelo que eles representam!”. Esse era o grito de guerra dos manifestantes que tomaram as ruas de São Paulo no ano passado. Mas o que isso tem a ver com o Clube de Desbravadores? Continue nos acompanhando que você já vai saber.

Um fator primordial para o Clube funcionar bem é o equilíbrio nas finanças. Para conseguir dinheiro, o Clube depende das ofertas da igreja, de doação de pessoas que gostam de desbravadores, de patrocínio de empresas, de campanhas de arrecadação e das mensalidades dos desbravadores. Cada um desses métodos apresenta algumas dificuldades, mas o mais problemático deles é a cobrança das mensalidades.

Muitos Clubes são de regiões muito carentes, onde às vezes as crianças não têm nem condições de ter um sapato. O que fazer nesses casos? Simplesmente não cobrar mensalidade? Infelizmente não é essa a atitude correta, e dizemos isso por nossa própria experiência.  Já cometemos esse erro algumas vezes.

Pode parecer estranho, mas pagar a mensalidade do Clube faz parte da formação do caráter do desbravador, portanto, mesmo em locais carentes precisamos cobrar alguma coisa. Não é pelo dinheiro, o pouco que ele vai poder pagar não vai fazer muita diferença no orçamento do Clube, mas é pelo que esse pouco representa.

Na vida tudo que tem valor tem um preço. Não entendo bem a psicologia por trás disso, mas as pessoas tendem a valorizar muito mais aquilo que tem um preço do que aquilo que é gratuito. Por isso a participação no Clube não pode ser grátis. Que seja pouco, um real, cinquenta centavos, mas cobre alguma coisa.

A proporcionalidade entre o nível econômico da comunidade e o valor da mensalidade também é muito importante. Não adianta cobrar R$ 10,00 em uma região carente e também não adianta cobrar R$ 5,00 em um lugar de alto poder aquisitivo. Deve haver equilíbrio.

Mas e se o desbravador não tiver MESMO condições de pagar? Nesses casos você tem duas alternativas: procurar um padrinho para esse garoto e encorajar a gratidão desse desbravador à pessoa que o está custeando ou usar sua criatividade e inventar pequenos trabalhinhos (ajudar a organizar a sedo do Clube, por exemplo) para que ele possa pagar com o trabalho.

Deste modo você estará ensinando ao seu desbravador a lutar pelo que ele acha importante, isso fará uma grande diferença na vida dele.

1- Éveni

Lançado novo Manual Administrativo do Clube de Desbravadores

Anterior - 1991

Anterior – 1991

Atual - 2013

Atual – 2013

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Após uma espera de 22 anos, a Divisão Sul-Americana lançou, na última semana, durante o IV Campori Sul-Americano de Desbravadores um novo Manual Administrativo!

A novidade não está apenas na capa e novo layout. Trata-se de muito mais que uma simples readaptação do texto antigo. Após o trabalho realizado por 7 revisores/autores e 7 colaboradores, o novo Manual tem a proposta de regulamentar procedimentos em todas as esferas do Clube de Desbravadores. Ainda, foi escrito seguindo a lógica de funcionamento do Clube de forma que, ao ler todo o material, qualquer pessoa saiba o necessário para iniciar um novo Clube!

Quer saber mais? Adquira o seu agora mesmo pela Editora Sobre Tudo e fique de olho, que postaremos aqui algumas das principais novidades!

1- Alberto

Planejamento Estratégico voltado para os Clubes de Desbravadores

planejamento-estrategico

Hoje temos outra novidade no nosso Cantinho. A partir de agora, temos um novo colaborador na nossa Equipe, o Dr. Jorjan Cruz! Como sua especialização em líder máster avançado foi em administração, ele nos ajudará principalmente com esses processos dentro do Clube. Clique AQUI para conhecer um pouco mais sobre ele e confira abaixo seu primeiro post!

Atualmente, o foco da atenção da Administração em alto nível volta-se para a formulação de estratégias de adaptação. Falando em Clubes de Desbravadores, essas estratégias significam a análise de medidas positivas que devemos tomar para enfrentar ameaças e aproveitar oportunidades para garantir seu progresso. Os Clubes devem ser vistos como agentes de mudança, com o objetivo de gerar uma criança protegida, um jovem orientado e um adulto bem resoluto, com respeito próprio. Salvos do pecado e guiados no Serviço.

Com toda essa gama de atrativos voltada para a geração adolescente atual e a crescente insegurança familiar em relação ao ambiente no qual os filhos estão inseridos, cabe aos Clubes de Desbravadores ocupar esse espaço na sociedade, fornecendo alternativas saudáveis, cristãs e promissoras para a atual geração juvenil e adolescente. Agora, na medida em que as necessidades sociais crescem, também aumenta a responsabilidade social e jurídica. Nesse sentido, a atual visão administrativa dos Clubes, que é baseada no voluntariado desapegado e cuidado quase familiar, necessita de reavaliação. Não é o caso de tratar da profissionalização da administração dos Clubes, mas apenas da criação de moldes definidos, facilmente aplicáveis e reprodutíveis para o gerenciamento dos nossos Clubes.

O Planejamento Estratégico (PE) pode ser compreendido como o conjunto de processos de gerenciamento que permitem aos administradores estabelecerem os rumos a serem tomados ou seguidos, originados na sede local (no caso, Igreja local) ou tendo como origem a sede central (como, por exemplo, a Divisão Sul-Americana). Representa os moldes para tomar decisões frente às condições dos ambientes interno e externo, mas não de forma estática. Ele deve ser entendido como uma ferramenta dinâmica de gestão que contém decisões antecipadas sobre as linhas de atuação para o cumprimento da missão dos Clubes, tanto nos níveis social como espiritual. Deve ser elaborado com uma visão de futuro, mas fortemente alicerçado sobre os valores institucionais, como Igreja e como cristãos.

Imagem5

Entre os principais valores listados na elaboração de um planejamento estratégico, os conhecidos (e que podemos usar em nossa programação) são:

MISSÃO: seu conceito teórico é o de ser a declaração do propósito do Clube. É o que individualiza e distingue o Clube e a razão de ser da instituição frente a outras do mesmo nível. Define o que somos hoje, nosso propósito e como atuamos no dia a dia.

VISÃO: é a ideia de um futuro desejado pela instituição. Transmite a essência do Clube frente aos seus propósitos e como desejamos ser reconhecidos em um futuro determinado.

VALORES INSTITUCIONAIS: são as ideias fundamentais em torno das quais se constrói uma instituição. São nossas crenças fundamentais e convicções dominantes.

PERSPECTIVAS: são compostas por temas estratégicos que representam assuntos inter-relacionados como, por exemplo, função social, finanças, pessoas, etc.

Dentro de uma macro-avaliação do conceito fundamental dos Clubes de Desbravadores, acredito que pouquíssimas instituições tenham trazido de berço, desde seu nascimento, esses marcos do planejamento estratégico tão bem desenhados. Uma simples leitura dos ideais do Desbravadorismo, sob a óptica dos processos gerenciais, nos leva a uma série de associações lógicas entre os valores do planejamento estratégico e os valores que seguimos como instituição.

Uma das correntes mais amplamente utilizadas para a disseminação dos conceitos de Planejamento Estratégico é a do Modelo de Estratégia Competitiva e Avaliação de Desempenho, também conhecido como modelo de Porter. É amplamente aplicado pela sua facilidade em trazer para a realidade conceitos necessários para a fundamentação teórica de cada unidade e sua posterior inserção em um modelo previamente desenhado por uma matriz ou sede administrativa.

Baseia-se nas seguintes questões:

  1. O que estamos fazendo no momento?
    1. Identificar a estratégia usada atualmente, seja implícita ou explícita: o que nós, como Clube, estamos fazendo para prendar a atenção de nossos jovens, adolescentes e juvenis? Como nosso programa (classes, especialidades, cantinho da unidade, classe bíblica, ordem) atrai aos membros? Nossa vocação espiritual está mantida?
    2. Identificar o que supomos estar fazendo (suposições implícitas): será que nosso programa ainda encontra eco nas necessidades atuais do nosso público alvo? Estamos aplicando o programa de maneira adequada?
  2. O que está acontecendo no ambiente?
    1. Análise do setor: em relação ao universo de todos os atrativos disponíveis para a faixa etária com que trabalhamos, como nos enquadramos? Com que outras estruturas ou instituições nosso público alvo divide a sua atenção?
    2. Análise da sociedade: em que contexto social nos enquadramos? Em qual estratificação social (a que classe social meu Clube pertence)? Devemos alterar perspectivas ou estratégias baseadas nas condições sociais do nosso grupo?
    3. Pontos fortes e pontos fracos: essa análise é de fundamental importância. Qual nossa vantagem, que nos diferencia frente às demais instituições? Em que aspecto não podemos competir com as demais? Essa análise pode ser a mais complicada, pois normalmente ela é parcial e tenta encobrir possíveis inconsistências e fragilidades, além de supervalorizar fontes de força limitada, que são muitas vezes insuficientes para alavancar estratégias que nos nortearão.
  3. O que deveríamos estar fazendo? Baseados nas respostas anteriores, começaríamos a desenvolver estratégias para a melhora de resultados, alternativas com estratégias voltadas para as faixas etárias que nos propormos a atingir (grupos etários de Desbravadores, de Conselheiros e de Adultos) e a identificação de possíveis vantagens competitivas que teremos ao serem executadas as estratégias desenhadas.

Imagem6 Imagem7

É possível a criação de um sistema de gestão de Clubes que oriente a organização de um painel de informações para que cada diretor consiga, a partir de um molde inicial originado da sede principal (DSA), personalizar seu Planejamento Estratégico de maneira individualizada e, o que é mais importante, sequencial. Um dos grandes problemas dos Clubes é que o gerenciamento muitas vezes ocorre seguindo as características do diretor da gestão atual. Isso torna-se um problema quando, por qualquer motivo, é necessária uma substituição do ocupante do cargo no meio das atividades. Muitas vezes, o gerenciamento que não segue um planejamento definido e sequencial fragiliza a estrutura administrativa de um Campo todo.

A macro-visão administrativa do departamental ou do regional poderá antever uma série de dificuldades locais baseada num molde de informações padrão provenientes da sede e que cuja sequência poderá ser seguida por qualquer diretoria que assuma. As reavaliações, uma vez que o Planejamento Estratégico é uma ferramenta dinâmica, também poderão seguir um padrão de orientação às diretorias. Um modelo informatizado de ampla distribuição, para o acompanhamento dos processos gerenciais, seria o agente capaz de modificar a organização das diretorias, equalizando os trabalhos e orientando uma sequencia de atividades e execução dos planejamentos, a despeito de quem ocupasse os cargos. Muitas Uniões já estão aplicando em seus campos modelos de secretaria informatizada, o que representa um embrião dessa ideia.

Ofertar aos Clubes ferramentas que possibilitem estratégias de planejamento e facilidades de execução dos mesmos é a grande arma organizacional para uniformizar as forças de trabalho e fortalecer vínculos entre os Clubes espalhados ao longo do território da nossa Divisão.

1- Jorjan

Carta de apresentação

– O que você costuma fazer nos finais de semana?

– No sábado eu vou à Igreja e no domingo eu participo do Clube de Desbravadores. Você conhece?

– Clube de quê?

– Desbravadores. Você nunca ouviu falar?

– Des-bra-va-do-res? Não conheço não. É novo? Ah, você é escoteiro?!

Acredito que a maioria de nós já se deparou com esse fatídico diálogo em algum momento das nossas vidas! E a grande pergunta é: por que as pessoas não conhecem o Clube de Desbravadores? Apesar de dura, a resposta é bem simples e direta: os Clubes daquela comunidade não estão cumprindo adequadamente o programa!

Nós prometemos ser um Clube aberto à comunidade, dispostos a servir a Deus e à pátria. Mas, o que estamos fazendo pela nossa comunidade? Ao menos já apresentamos o Clube em alguma escola convidando os alunos a participarem das nossas atividades? Se nunca fizermos isso, certamente continuaremos a nos deparar com aquele diálogo…

Está na hora de usarmos todos os recursos que o Clube disponibiliza para salvar a comunidade ao nosso redor! A melhor parte é que estamos em tempo de já realizar essa mudança para esse ano! O primeiro passo é ter uma boa direção, preparada para receber vários membros novos. Em seguida, vamos sair da nossa zona de conforto e ir às escolas nos apresentar. Só assim os garotos e garotas da comunidade terão a oportunidade de nos conhecer!

Com uma boa apresentação, muitos já ficarão loucos para entrarem no Clube, mas mais do que convencer os “desbravadores”, precisamos convencer seus pais. Para isso, é necessário realizar uma reunião de apresentação aos pais e ao final já realizar as inscrições. A melhor maneira de convidarmos os pais para essa reunião é entregar aos garotos e garotas na escola uma boa carta de apresentação. Muito mais do que um simples convite, a carta oferece também a salvação àquelas almas!

Para ajudá-los, estamos disponibilizando um pequeno modelo, elaborado pelo jornalista Maurício Júnior, diretor associado do Clube de Desbravadores Bandeirantes/APlaC.

Como todos os arquivos que postamos no Slideshare, basta clicar no pequeno ícone (com o símbolo do Slideshare) no canto inferior esquerdo que na página que vai abrir já tem a opção de salvar o arquivo. Para facilitar, já deixamos marcado em amarelo as partes para vocês alterarem, de acordo com o local e data da reunião e nome do Clube.

Muito mais se pode fazer para que o Clube seja conhecido, como se empenhar, de fato, nos projetos comunitários desenvolvidos em sua cidade, além de participar das atividades cívicas e estar sempre à disposição da Prefeitura/Administração Regional. Esse é apenas o primeiro passo, os outros valem um novo post…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...