Archive | October 2011

Prêmio Comunicando Jesus na Web

Amigos líderes e desbravadores, o blog Cantinho da Unidade está participando do Prêmio Comunicando Jesus na Web. “O prêmio é uma iniciativa destinada a apontar os melhores websites relacionados à Igreja Adventista do Sétimo Dia, objetivando incentivar o aprimoramento dos mesmos”. (Fonte).

Você que é apaixonado por desbravadores e muitas vezes já demonstrou o seu carinho pelo trabalho do Blog, não deixe de votar.

Para votar é simples, clique na figura ao lado, ou na figura da página. Não se esqueçam de votar na categoria blog e na categoria revelação.

Após essa fase, que acaba no final de novembro, os 3 blogs mais votados serão avaliados pelos jurados. Contamos com o apoio de vocês para chegarmos nessa etapa e alcançarmos juntos essa vitória!

Muito obrigado a todos! #Maranata!


Planejar um acampamento, para a classe de Líder

Sabemos que um líder não é formado apenas por cumprir 16 ou 88 requisitos de um cartão. Existe muito mais além disso: espiritualidade, dedicação, garra, esforço, amor… E se existe um requisito, tanto na classe de Líder quanto em Classes Agrupadas, que junta todos esses fatores é: “Demonstrar o crescimento de sua liderança e habilidade no ensino, completando três dos seguintes requisitos: Ajudar a planejar e coordenar um acampamento de Clube ou unidade.” 

Na coordenação de um acampamento o líder encontra diversas situações onde pode desenvolver de maneira prática as habilidades que tem aprendido nas instruções teóricas da classe. O que ele aprender, jamais esquecerá!

Existem vários pontos a considerar ao se planejar e coordenar um acampamento: segurança, tipo de terreno, acesso, água, transporte, alimentação… Aqui mesmo no Cantinho da Unidade vocês já viram dicas para montar o programa, as provas, além de diversas outras dicas sobre: mapas topográficos, bússola, declinação magnética, purificação de água, barracas, sacos de dormir… Tudo isso você encontra na nossa seção Arte de Acampar.

O foco de hoje é no planejamento do acampamento pelo aspirante a líder. O modelo abaixo é bastante útil e didático, pois delimita bem as atribuições de cada um, facilitando a organização geral. A idéia é que o instrutor explique cada atribuição e faça a divisão, conferindo, posteriormente, o andamento de cada uma das seções.

Para um melhor aproveitamento, é recomendado que este planejamento seja iniciado com pelo menos 3 meses de antecedência, para que haja tempo hábil para todos cumprirem satisfatoriamente as suas funções. Lembrem-se que o planejamento adequado é a chave do sucesso!

São sete as áreas a serem trabalhadas: I – Programação espiritual; II – Provas; III – Instrução; IV – Inspeção e Disciplina; V – Civismo; VI – Infra-Estrutura; VII – Intendência.

Eis as atribuições de cada uma:

I – Aos responsáveis pela Programação Espiritual compete:
a. Planejar e dirigir as meditações matinais;
b. Planejar e dirigir o Programa de Abertura;
c. Planejar e dirigir o Programa de Encerramento;
d. Planejar e dirigir o Fogo do Conselho;
e. Planejar e dirigir o culto noturno;
f. Providenciar pessoas responsáveis em dirigir o momento de cântico das programações;
g. Providenciar, no mínimo, um cantor para cada programação.

II – Aos responsáveis pelas Provas compete:
a. Planejar todas as provas do acampamento, sejam instrutivas, recreativas ou histórias;
b. Listar, para cada prova, o tempo necessário para a realização, número de pessoas envolvidas, objetivos, materiais necessários;
c. Dirigir e fiscalizar a realização de todas as provas;
d. Desenvolver as planilhas do sistema de pontuação.

III – Aos responsáveis pela Instrução compete:
a. Listar todas as atividades das classes possíveis de serem realizadas no acampamento;
b. Planejar e desenvolver uma metodologia de ensino para cada uma destas atividades;
c. Providenciar meios para o cumprimento das mesmas.

IV – Aos responsáveis pela Inspeção e Disciplina compete:
a. Fazer a inspeção de toda a área do acampamento, incluindo: barracas, uso de pioneirias, cozinha, latrina;
b. Fazer anotações referentes aos atos de indisciplina cometidos pelos desbravadores durante todo o período do acampamento;
c. Assegurar o cumprimento das normas estabelecidas para o bom funcionamento do acampamento;
d. Desenvolver as planilhas a serem utilizadas na inspeção.

V – Aos responsáveis pelo Civismo compete:
a. Providenciar um local para o hasteamento das bandeiras;
b. Coordenar o hasteamento e arriamento das bandeiras;
c. Conduzir a apresentação dos ideias e hino dos desbravadores;
d. Providenciar e responsabilizar-se pelos materiais necessários à realização desta atividade.

VI – Aos responsáveis pela Infra-Estrutura compete:
a. De acordo com a realidade do local do acampamento, montar uma planta de toda a estrutura a ser montada;
b. Providenciar os materiais necessários para a construção das cozinhas e dos sanitários;
c. Construir os sanitários;
d. Auxiliar as unidades na montagem das cozinhas e do acampamento;
e. Responsabilizar-se pela segurança estrutural de todos os locais onde será realizada alguma atividade.

VII – Aos responsáveis pela Intendência compete:
a. Fazer um levantamento de todo o material que será utilizado pelas outras equipes;
b. Fazer um orçamento deste material;
c. Providenciar a aquisição destes materiais;
d. Responsabilizar-se por ele durante todo o evento.

VIII – À secretaria compete:
a. Providenciar as autorizações para a participação dos desbravadores no evento;
b. Providenciar o seguro;
c. Gerenciar o sistema de pontuação do acampamento;
d. Cuidar do equipamento de primeiros socorros. 

Não se esqueçam que, ao final do acampamento, é necessária uma avaliação.

Reflexos…

“As lições aprendidas, os hábitos formados durante os anos da infância, têm mais que ver com o caráter e a direção da vida do que todas as instruções e educação dos anos posteriores” – EGW – A Ciência do Bom Viver – VI “O Lar”, pag. 380.

©Quino

Quando lidamos com crianças, na idade de desbravadores, temos em mãos uma matéria que de alguma forma já foi moldada pelos anos de existência que ele já possui. O ambiente familiar e escolar já criou nela uma cosmovisão de mundo que dificulta, na maioria das vezes, o trabalho do Conselheiro ou Diretor.

Mas não devemos desanimar. Ainda há espaço para dar-lhes algo de bom. Lembro-me de que quando dirigia Clubes, na década de 1990, poucos deles tinham acesso a tanta informação como temos hoje. Mesmo assim, podíamos ver em cada um deles uma cópia dos seus pais. Lembro-me de desbravadores arrogantes, cópia do pai; outros “fofoqueiros”, cópia materna. Lembro-me de alguns bem pouco interessados nas classes bíblicas, apenas um reflexo dos pais na igreja.

Reflexos …

Por isso a importância do Clube trabalhar em sintonia e parceria com os pais. Parceria é uma palavra bem importante. Uma vez, estava em uma reunião de pais, na cidade de Tupã/SP. Já atuava como coordenador dos desbravadores da Paulista Oeste. Estávamos fundando o Clube Monte Castelo. Num determinado momento um pai me procurou e me disse: “Graças a Deus que vocês vão trabalhar com meu filho, pois eu não aguento mais!”. Por alguns instantes eu precisei me controlar para não responder: “Um momento, somos um clube de desbravadores, não um reformatório ….”. Me controlei e não disse isso, mas lembro-me de ter dito: “Veja, nós precisamos de sua ajuda. Nós tentaremos ensina-lo a ser um bom filho, um bom cidadão, um adolescente temente a Deus, mas você também precisa nos ajudar”.

O que se aprende em 2 ou 3 horas semanais de clube nunca farão frente a horas e horas de desleixo familiar, ou horas a fio de televisão e internet …

O que os pais estão ensinando aos filhos? Você deve perguntar-lhes nas reuniões de pais! Nós não consertamos pessoas, apenas damos a elas algo em que pensar e talvez uma pequena contribuição na construção do seu caráter. É essencial que você fale isso aos pais, que você pregue isso na igreja, que você cobre isso cada vez que tiver oportunidade.

De qualquer forma, o que é retratado nessa tirinha é um padrão do mundo. O mundo reflete isso. Nós, como cristãos, refletimos exatamente o oposto. Qual é nossa parte? Conquistar a confiança dos meninos e meninas que vêm em nossas mãos e chamar os pais para sua responsabilidade.

Que cada dia, saibamos refletir em Cristo … esse sim um excelente reflexo!

Pr. Harley Souza Costa Burigatto
Pastor Distrital em Naviraí/MS
Líder Master Avançado


Clube de desbravadores Pioneiros da Colina participam de desfile cívico

No último dia 20, o Clube de Desbravadores Pioneiros da Colina, a convite da prefeitura de Abadiânia-GO, participou do desfile cívico em comemoração ao aniversario de 58 anos da cidade. O desfile teve inicio às 9h00min e o Clube foi um dos primeiros a participar. 

Durante o percurso os Pioneiros da Colina foram espalhando alegria por todos os lados e as pessoas ficavam encantadas para conhecer o funcionamento das atividades deste grupo. Foram realizadas evoluções ao longo do desfile e na frente do palco oficial, perante as autoridades presentes. O Pr. Wesley Zukowski, diretor do colégio IABC, subiu ao palco e apresentou à comunidade o Clube e as atividades que o mesmo desenvolve. 

Foi uma verdadeira festa e principalmente um testemunho para a comunidade. Ao término do desfile entoamos nosso grito de guerra e parabenizamos a população pelo aniversário da cidade. Sem dúvida este evento integrou ainda mais os participantes do Clube, mas principalmente mostrou a toda a cidade que é possível ser um jovem em pleno séc. XXI que preza pelos valores morais, intelectuais, espirituais e pela solidariedade.

Passeata anuncia série de evangelismo em Pilar do Sul

Jovem entregando convite para moradora do município

No sábado 1º de outubro, a pequena cidade de Pilar do Sul, interior de São Paulo, acordou ao som de batidas de tambores. Isso porque uma passeata foi realizada no período da manhã com o objetivo principal de divulgar a campanha de evangelismo “É Hora de Viver”, que começou no dia 2 desse mês. O prefeito, o secretário de saúde, o secretário de educação e vereadores da cidade marcaram presença no evento. 

Jovens da igreja adventista de Pilar do Sul e o clube de desbravadores da igreja central de Cotia se juntaram para percorrer as ruas da cidade com fanfarra, cartazes, banners, folhetos e folêgo no pulmão. Embalados por um carro de som, eles anunciaram a série de evangelismo que abrange temas como saúde, educação, relacionamento familiar, e espiritualidade. 

“Visamos a integrar as famílias. Uma sociedade forte começa com uma família forte, educação forte, e Deus no coração de todos”, explica Emanuel Soares, responsável pelas mensagens do projeto. “Realizamos essa passeata para agitar a cidade e convidar toda a comunidade para estar presente nas nossas programações”, ressalta.

Muitas pessoas saíram às portas e muros de suas casas para verem o que era aquela mobilização. “Eu acho esses projetos muito legais porque valorizam a qualidade de vida das pessoas; faz com que paremos para analisar coisas que muitas vezes deixamos de lado na vida”, disse Vera Lima, que saía de um mercado quando a passeata passava pela rua que estava.

Lucéia Bonfim ressaltou o fato de os jovens estarem participando. “É muito interessante ver tantas pessoas que se preocupam e fazem alguma coisa pelo bem do próximo. E fico ainda mais surpresa de ver tantos jovens” disse.

O prefeito Antônio José Pereira, 63 anos, agradeceu pela iniciativa do projeto porque, segundo ele, trouxe muitos benefícios ao município. “Embalada por essa campanha, a cidade pode criar projetos para tirar pessoas, crianças da rua e levá-las para seguir algo do bem”, disse. E nas palavras do prefeito não há nada melhor para seguir do que os caminhos de Deus.

O líder de Evangelismo e Ministério Pessoal da Paulistana, Lucas do Amaral, explicou que Pilar do Sul está passando por um momento especial em relação à pregação do evangelho. De acordo com ele, a motivação para a realização dessa série foi a Escola Médico-Missionária da Associação que fez uma feira de saúde na cidade. “Agora o evangelismo chega para colher os frutos desse trabalho”, conclui.

Enviado por André Luiz
Líder
Clube Cedros do Líbano (Paulistana, 4ª região, Distrito de Cotia)

Questão de esforço

Esforça-te, e tem bom ânimo; porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria. Js. 1:6. 

Trabalho como contador em uma escola e faz algum tempo que venho planejando, junto com a secretária da escola, a organização de nosso arquivo. O local onde ficam os documentos antigos dos dois departamentos transformou-se em um verdadeiro deposito e precisávamos fazer uma seleção do que era importante para podermos descartar o restante.

Então planejamos que na segunda-feira, 10 de outubro, todos iriam com uma roupa mais velha para poder colocar a “mão na massa”. No dia da organização cheguei animado e logo comecei a carregar caixas, mudar armários de lugar, mudar prateleiras, desempacotar caixas… Fiz todo tipo de esforço para deixar o ambiente com cara nova. De fato o trabalho ficou muito bom, mas no final do dia, todo o meu corpo doía, parecia que tinha sido nocauteado por um boxeador, até para caminhar para minha casa (que fica bem próximo ao meu trabalho) foi difícil.

Então naquela noite comecei a pensar que se eu tivesse que fazer este tipo de trabalho no dia seguinte eu não conseguiria, o esforço era demasiado grande, eu comecei a reclamar que não tinha condições de desenvolvê-lo diariamente. Posso confessar para vocês que até para dormir foi difícil.

No dia seguinte coloquei meu uniforme do escritório (ainda com dores) e fui trabalhar. No caminho que leva ao trabalho está tendo a construção de uma casa, então fiquei observando que os trabalhadores daquela obra estavam ali todos os dias, chegavam mais cedo do que eu ao trabalho, saíam mais tarde e faziam muito mais esforço do que fiz em todo o meu “grande dia de trabalho”. Então, por que eles não reclamavam de dores? Percebi que a diferença estava na prática, no fazer cotidiano.

Neste momento me veio à mente minha vida espiritual diária, por que é tão difícil tirar um “tempinho” para Deus? Por que temos dificuldade de ficarmos 5 minutos lendo a Bíblia e conseguimos passar 2 horas assistindo a um filme, sem ao menos sair do lugar? Entendi que tudo é uma questão de prática.

O que venho praticando mais é justamente aquilo que eu mais faço e com maior facilidade. Com esta simples experiência percebi como Deus age de várias maneiras, utilizou minhas dores musculares e alguns pedreiros para me mostrar que meus hábitos espirituais precisam ser melhorados.

Caros amigos, não é fácil deixarmos velhos hábitos e trilhar um novo rumo, mas esta semana percebi que não teremos bons resultados (como no caso do meu arquivo) sem esforço de nossa parte e com certeza não teremos uma maior comunhão com Deus, não ouviremos sua voz e não conseguiremos ter alegria em Sua presença se não nos esforçarmos. Tenha certeza que cada sacrífico que fazemos em nome de nosso Deus será gratificante em nossa vida diária, mas principalmente pelo deleite eterno das maravilhas que o nosso Criador preparou para cada um de nós. Tudo não passa de uma QUESTÃO DE ESFORÇO.

Ficha de avaliação da unidade

Como vocês já viram, há muitas atividades para serem feitas no Cantinho da Unidade. E uma delas, atribuição do secretário da unidade, é preencher a ficha de presença.

Não existe uma ficha padrão oficial, porém muitos conhecem e trabalham com uma ficha que geralmente é distribuída pelos Campos. 

Qual o objetivo dessa ficha? Além de ser uma ficha de presença, ela é o “raio x” da unidade, uma fonte de informações para que os conselheiros e diretores associados saibam como está a vida do desbravador dentro do cantinho da unidade e até mesmo fora dele.

A ficha de avaliação da unidade é fundamental para o bom andamento do Clube, por isso deve ser preenchida em todas as reuniões. Se você ainda não tem um modelo em seu Clube, clique AQUI e AQUI para baixar. O primeiro arquivo é em formato .docx, para que você possa substituir o nome do seu Clube, o logo, o esquema de cores e até mesmo os requisitos avaliados, caso julgue necessário. O segundo arquivo é em formato .pdf, para uma correta visualização do arquivo. Talvez seja necessário instalar uma fonte nova, clique AQUI para baixá-la.

Esta ficha faz parte do projeto Desbravador Destaque (em outro momento postamos sobre o projeto aqui). Nela trabalhamos os seguintes requisitos: pontualidade, uniforme, material, disciplina, leitura bíblica, ajuda comunitária e mensalidade. Cada item vale 10 pontos, cabendo ao Clube definir como será feita a adaptação dos pontos não completos, por exemplo, atrasado 5 minutos, 10 minutos…


Dons espirituais, para a classe de Guia

“Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra”. Atos 1:8 

Vocês já pararam para imaginar o que passou na cabeça dos discípulos quando Jesus lhes disse isso? Até os confins da terra??? Como seria possível àqueles discípulos pobres, sem estudo, ir a todo mundo pregar o evangelho de Cristo? Eu ficaria assustado, e você?

O segredo para esta grandiosa tarefa está na primeira parte do verso: “receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês”. Mas afinal, que poder é esse?

O poder que Jesus menciona são os dons espirituais. São presentes concedidos pelo próprio Deus ao seu povo para continuar a obra de pregar até aos confins da terra.

Um adolescente de 15 anos está no auge das mudanças que estão acontecendo com ele [físicas, mentais e espirituais]. É o momento chave para chamá-lo a dedicar toda a energia da adolescência ao serviço de Deus. Nosso dever, como líderes de desbravadores, é ajudá-lo a descobrir os seus dons para que ele comece a usá-los para Deus! Por isso que temos na classe de Guia, Descoberta Espiritual, o seguinte item: “Explicar como um cristão pode ter os dons espirituais descritos por Paulo na sua carta aos Coríntios”.

Para iniciarmos a instrução, é necessário que os desbravadores entendam o que são dons espirituais. Comece lendo a parábola dos talentos para eles:

“E também será [o Reino dos céus] como um homem que, ao sair de viagem, chamou seus servos e confiou-lhes os seus bens. A um deu cinco talentos, a outro dois, e a outro um; a cada um de acordo com a sua capacidade. Em seguida partiu de viagem”… Mateus 25:14-29.

Analise com eles alguns dos seguintes pontos:

  • Quantos dons cada pessoa pode receber?
  • Existe alguém que não tem dons?
  • Quem distribui os dons?
  • Quem é o homem que saiu de viagem?
  • Quem são os servos?
  • O que cada um dos servos fez com o talento que recebeu?
  • Qual foi a atitude do chefe e por quê?

É importantíssimo também diferenciarmos dons de talentos. Muitos cristãos têm o costume de achar que cantar, tocar, ter alguma habilidade manual, etc. são dons. Não é isso que a Bíblia nos ensina. Essas habilidades especiais, que tanto podem ser usadas para a obra de Deus quanto para a vida particular, são talentos, pois são habilidades que aprendemos com o tempo, através de aulas, ou mesmo sozinhos. Acontece que alguns já tem uma certa facilidade com alguns deles, mas não podemos confundir com dons.

Já os dons são concedidos exclusivamente pelo Espírito Santo, não são aprendidos em uma escola [é claro que quando o recebemos, nós podemos e devemos aperfeiçoá-lo, mas jamais o teremos se Deus não o conceder a nós]. A maioria dos dons estão descritos em I Coríntios 12, mas não são os únicos, encontramos outros em outros versos da Bíblia.

Como um desbravador pode ter esses dons espirituais descritos por Paulo? Primeiramente precisamos ajudá-los a descobrir quais são os dons deles. No seminário de líder máster avançado que participei, uma das atividades foi exatamente um teste para descobrir os nossos dons. O material usado foi preparado pela União Nordeste Brasileira e, na nossa opinião, é o melhor que já vimos até hoje. Clique AQUI para baixar.

O teste é bem simples, basta seguir as instruções. Não deixe que os desbravadores leiam a explicação dos dons antes de terminá-lo, para que eles, subconscientemente [ou não, rs], não manipulem as informações. Somente ao final do teste, sente novamente com eles para discutir como eles podem usar estes dons. [Apesar do teste pedir para elencar os 5 principais, o pastor Fernando Melo, que nos conduziu o teste, sugeriu apenas os 3 primeiros, tornando o resultado mais realista].

Mas antes de realizar o teste, é importante seguirmos as seguintes recomendações, descritas no livro Nisto Cremos, páginas 288 e 289:

Preparo Espiritual. Os apóstolos oraram sinceramente pedindo aptidão para pronunciar as palavras que conduziriam os pecadores a Cristo. Eles puseram de lado as diferenças e os desejos de supremacia que se haviam manifestado anteriormente entre eles. Confissão de pecados e arrependimento conduziram-nos a íntimo relacionamento com Cristo. Aqueles que hoje aceitam a Cristo necessitam provar semelhante experiência, na preparação para o batismo pelo Espírito Santo.

O batismo do Espírito não é um evento que ocorre uma única vez; ele pode ser vivenciado diariamente.11 Necessitamos pleitear com o Senhor por esse batismo, porque ele proverá à Igreja o poder de testemunhar e de proclamar o evangelho. Para podermos fazer isso, necessitamos submeter continuamente nossa vida a Deus, permanecendo plenamente em Cristo, e pedindo-Lhe sabedoria para descobrirmos os nossos dons (Tia. 1:5).

Estudo das Escrituras. Estudo acompanhado de oração, daquilo que o Novo Testamento ensina a respeito dos dons espirituais, permitirá que o Espírito Santo impressione a nossa mente com o ministério específico que Ele preparou para nós. É importante que creiamos que Deus nos concedeu pelo menos um dom para ser utilizado em Seu serviço.

Disposição Para Seguir Sua Orientação. Nós não podemos usar o Espírito, mas Ele deve servir-Se de nós, pois é Deus quem opera em Seu povo “tanto o querer como o realizar” (Filip. 2:13), e o fará segundo a Sua boa vontade. Constitui um privilégio dispor-se a trabalhar em qualquer ramo de serviço que a providência de Deus nos apresente. Devemos oferecer a Deus a oportunidade de operar através de outros, solicitando a nossa ajuda. Assim, devemos estar prontos para responder às necessidades da Igreja sempre que elas se apresentem. Não deveríamos temer enfrentar novos desafios, mas também deveríamos sentir-nos na liberdade de falar àqueles que solicitam nosso auxílio, a respeito de nossos talentos e experiências.

Confirmação Através do Corpo de Cristo. Uma vez que Deus concede os dons para a edificação de Sua Igreja, deveríamos esperar a confirmação final de nossos dons a partir do julgamento do corpo de Cristo, e não a partir de nossos próprios sentimentos. Muitas vezes, é mais difícil reconhecer os próprios dons do que os dons de outros. Não apenas devemos estar dispostos a ouvir o que os outros têm a dizer no tocante aos nossos dons, como também é importante que reconheçamos e confirmemos os dons de Deus manifestados nos outros. Nada é mais estimulante e gratificante do que saber que estamos ocupando a posição ou ministério ou serviço que a Providência ordenou para nós. Que bênção representa para nós o utilizarmos em Seu serviço o dom especial que Cristo nos concedeu através do Espírito Santo! Cristo anseia repartir os dons de Sua graça. Podemos aceitar hoje o Seu convite e descobrir o que Seus dons podem realizar numa vida que experimenta a plenitude do Espírito!

 

Mapas: de orientação x topográfico

Algum tempo atrás escrevi alguns posts sobre mapa topográfico, declinação magnética, bússola e, mais recentemente, sobre a especialidade de orientação. Resolvi escrever este post de esclarecimento porque em alguns sites com especialidades respondidas há uma confusão entre os sinais usados nos mapas topográficos e nos mapas de orientação.

Como já falamos no post sobre mapa topográfico, mapas diferentes servem a diferentes finalidades. É a mesma coisa com esses dois mapas, servem para objetivos diferentes. Mapas topográficos são uma representação gráfica detalhada e precisa dos relevos naturais e artificiais, permitindo que se tenha uma visão tridimensional de uma paisagem a partir de uma superfície bidimensional, o mapa. Os mapas de orientação são uma versão dos mapas topográficos, sendo utilizados para corridas de orientação, sendo que a principal característica de ambos são as curvas de nível. Porém eles possuem uma diferença considerável nos símbolos utilizados na legenda, poucos são os símbolos comuns aos dois.

Abaixo temos um mapa topográfico e um mapa de orientação.

Mapa topográfico, Brasília – NO, DF, Brasil, 1:25.000

 

Mapa de Orientação do Parque da Cidade Sarah Kubitschek, Brasília – DF

Como pode-se observar, os mapas possuem uma diferença significativa nos símbolos encontrados nas legendas e, consequentemente, na aparência do mapa. Portanto, conhecer bem a legenda de um mapa topográfico não significa conhecer a legenda de um mapa (de corrida) de orientação e vice-versa, por isso é tão necessário ter cuidado ao ensinar e/ou cobrar os requisitos que falam sobre mapa topográfico.

Morre o último dos pioneiros dos desbravadores

Desbravadores ao redor do mundo têm cantado este hino em várias línguas: “Nós somos os desbravadores, os servos do Rei dos reis, sempre avante assim marchamos fiéis às suas Leis. Devemos ao mundo anunciar as novas da salvação, que Cristo virá em breve dar o galardão”… Cantado em milhares de Clubes de Desbravadores, Igrejas e Camporis, as palavras e a harmonia deste hino, criado em 1948, continuarão sendo o nosso tema ao redor do mundo.

Em 15 de julho de 2011, em Oakhurst, Califórnia, o autor e amigo dos desbravadores, Henry T. Bergh, fechou seus olhos e descansou na esperança da segunda vinda de Cristo.

Henry Theodore Bergh nasceu em 24 de maio de 1918 em Spokane, Washington e quando ele tinha 2 anos de idade foi salvo da morte em um acidente de queimadura. Deus tinha planos para a sua vida! Apesar das cicatrizes permanecerem, seu amor por Cristo crescia. Quando Henry tinha por volta de 10 anos ele conheceu Miriam Jackson. Quando sua mãe estava levando a família de Miriam para a escola sabatina, ele disse à sua mãe que um dia se casaria com aquela garota. Eles ficaram amigos e se casaram em 24 de agosto de 1939. Miriam e Henry se conheceram por 83 anos!

Henry foi tesoureiro de várias Associações e da Pacific Press (a editora deles) antes de se tornar diretor do Ministério Jovem da Associação Californiana Central. Foi aqui que ele ajudou a fundar 23 Clubes de Desbravadores, escreveu o livro “Como iniciar um Clube de Desbravadores”, iniciou o programa de Coordenação dos Desbravadores, realizou o primeiro treinamento de liderança, desenhou a bandeira e liderou a primeira feira. Mas para dezenas de milhares de jovens em todo o mundo, Henry Bergh será lembrado por ter escrito as palavras do hino oficial, assim como Deus as deu para ele.

Deus realmente abençoou o Clube de Desbravadores com a vida e ministério de Henry Bergh.

Fonte: Pathfinders Online 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...