Archives

5 maneiras de conseguir recursos para o seu Clube

Acredito que sempre há dinheiro disponível para bons projetos/ideias. E não pensem que sempre frequentei Clubes “ricos”. Pelo contrário, a maior parte de todo o meu tempo estive em Clubes cujos membros tinham grande dificuldade financeira, bem como a igreja local. Mas nunca deixamos de participar de qualquer evento ou atividade por causa de dinheiro! Pode parecer um pouco utópico, mas até hoje mantenho firme minha fé nisso aí, rs.

Nesse sentido, vamos apresentar hoje 5 maneiras práticas que qualquer Clube de Desbravadores pode empenhar para arrecadar fundos para as suas atividades.

1. Apadrinhamento | Talvez a forma mais fácil na maioria dos casos. Apesar de ser um método bastante simples, exige alguns “detalhes” importantes por parte do Clube. Para conseguir um padrinho, é necessário que ele saiba exatamente qual o custo deste desbravador no ano. Assim, o Clube precisa ter um bom planejamento financeiro. Sugerimos, neste caso, que se faça um levantamento de todas as atividades do ano, mensalidades, saídas, uniforme e etc. Ao agir assim, o Clube não apenas evidencia sua transparência financeira, como demonstra ao patrocinador excelente planejamento administrativo e financeiro, garantindo-lhe que seu dinheiro será bem investido. Abaixo um exemplo:

A vantagem deste método é que você pode oferecer ao padrinho formas facilitadas para pagar, dividindo em 3, 4, 6 ou 10 vezes, conforme ficar melhor para ele e para o Clube. Assim, em momentos de eventos e saídas, não ficará pesado para ele.

Caso o valor fique elevado para uma única pessoa ajudar, você pode perguntar com quanto ele pode contribuir. Assim, você tenta conseguir mais alguém para financiar o mesmo desbravador.

A busca pelo padrinho pode começar na própria igreja local, em seguida pais e familiares, amigos, empresários, políticos, etc. Em geral conseguimos no próprio círculo de amizades/familiares/igreja.

2. Patrocínio | Neste método, busca-se patrocínio financeiro de terceiros, como empresas, pequenos comércios, recursos públicos*, ONGs, etc. A diferença principal é que o patrocínio é para o Clube em si, e não para um membro específico, uma vez que estamos falando em valores mais altos! Mais uma vez, o requisito do planejamento administrativo e financeiro é obrigatório, afinal, nenhum empresário, ONG ou setor público investirá seu dinheiro em algo que não acreditem!

Insistimos neste momento na elaboração de um planejamento anual, com uma estimativa real dos gastos do Clube para aquele ano, incluindo todas as despesas. O tesoureiro e o diretor do Clube deverão gastar um bom tempo neste sentido, para fazer algo palpável, real e que demonstre confiança a “investidores” externos.

Há neste sentido uma ressalva importante: em geral, patrocinadores exigem/pedem alguma contrapartida. Nestes casos, deve-se atentar a não ferir os princípios da Igreja Adventista do Sétimo Dia e a filosofia do Clube de Desbravadores. Em caso de dúvidas a esse respeito, consulte o departamento de desbravadores do seu Campo.

3. Vendas | Outra opção que pode ser interessante em muitos casos é obter recursos através de vendas: bazar, almoço/jantar beneficente, produtos artesanais, sociais, etc. Neste sentido, é obrigatória a leitura da Filosofia do Clube de Desbravadores sobre Vendas, p. 91-92 do Manual Administrativo, também disponível AQUI.

Além de ficar atento a respeito da filosofia de vendas ,é preciso verificar se esta será uma opção viável para arrecadar fundos. Isto porque, se não planejada, a ação pode gerar mais despesas do que receitas e trazer mais uma dívida para o Clube! Assim, tente ao máximo conseguir arrecadar tudo o que precisa para a ação: se for almoço/jantar, tente arrecadar os alimentos; se for bazar, arrecade todos os itens que serão vendidos, etc.

Ainda, é possível obter uma grande vantagem deste método: a realização de uma feira dos desbravadores! Uma feira bem organizada, planejada e divulgada envolverá todos os desbravadores na execução de especialidades de Artes e habilidades manuais, evidenciará os benefícios do Clube para a comunidade e, com isto, consequentemente trará mais patrocinadores para outras ações, saídas, etc.

4. Parcerias | Este método assemelha-se ao patrocínio, porém, neste caso o auxílio virá mediante oferta de materiais e/ou mão-de-obra. Por exemplo: parceria com empresa fornecedora de tecidos; alguém que se disponibiliza a confeccionar os uniformes gratuitamente ao Clube. Em alguns casos, o Clube pode obter grande apoio do Poder Público. Por exemplo, algumas Prefeituras possuem fanfarra e não têm ninguém para tocá-la! Neste caso, o Clube não ganharia a fanfarra, mas teria a oportunidade de usá-la e, ainda, representar o Município em desfiles, etc., o que aumentaria ainda mais a visibilidade do movimento. Outras formas de parceria incluem gratuidade de transporte, fornecimento de água para eventos, etc. Vasculhem as grandes empresas da sua cidade/estado, pois muitas possuem recursos (financeiros e materiais) já separados para ações voluntárias!

5. Apoio financeiro da Igreja | Por último, e não menos importante, gostaríamos de salientar a participação da igreja local no orçamento do Clube. É sabido de todos que a igreja deve destinar uma parte de suas ofertas para cada departamento. A divisão varia de acordo com cada igreja.

O foco aqui não é incentivá-los a sair por aí brigando com o tesoureiro falando que o Clube tem direito a uma porcentagem da oferta! Mas sim, através de uma conversa amigável e de um processo gradual de relacionamento, mostrar à Igreja que o Clube tem cumprido com sua função de ganhar/manter almas. Um Clube que caminha de mãos dadas com os propósitos da Igreja, só tem a ganhar!

Com uma relação já madura, é possível pleitear maiores valores para o Clube. Um exemplo é o Clube Bandeirantes, que participei de 2008 a 2015 e tive a oportunidade de dirigi-lo em 2014-2015. A igreja local destina a segunda maior porcentagem da oferta ao Clube, a primeira é dos jovens! Já pensou que maravilha?! Isto porque a igreja vê o Clube com excelentes olhos. Claro que essa visão não foi do dia para a noite, foi um processo que já dura 30 anos!

Desta forma, crie uma relação positiva com a sua Igreja e envolva o Clube nos projetos, de forma a contribuir com a sua missão. É uma via de benefício a todos os envolvidos.

Tentamos listar acima algumas maneiras práticas e amplamente disponíveis a todos os Clubes para arrecadar fundos. Já tivemos a oportunidade de adotar todas elas e todas foram eficazes! Uma dica é não se apegar a apenas um método. Use o método que for mais vantajoso para aquela situação específica. A variedade deles é que tornará ainda mais fácil conseguir os recursos.

Mais uma vez ressalto a importância de o Clube ter um excelente projeto financeiro e administrativo. O Clube tem que ser relevante para a comunidade para que a comunidade queira apoiá-lo! Um Clube que não faz diferença no seu bairro/cidade, não vai conseguir ir muito longe em nenhum aspecto…

Você conhece outras formas de arrecadar fundos? Então comente aqui embaixo! E não se esqueça de compartilhar este post nas redes sociais. Para ajudá-los no planejamento financeiro, clique AQUI e veja nossa planilha de tesouraria.

*A utilização de recursos públicos geralmente envolve uma série de requisitos. Verifique na sua Prefeitura o que é necessário para obtê-los. Talvez será necessário que a sua igreja intermedeie esse processo para vocês.

Planilha de tesouraria

banner-tesouraria

Sem dúvidas, a tesouraria é um dos pontos mais delicados do Clube de Desbravadores, afinal, dependendo do tamanho do Clube, uma grande quantidade de dinheiro é movimentada. Exatamente pelo grau de complexidade da função, é necessário uma atenção especial do diretor do Clube ao cargo de tesoureiro.

Nosso post de hoje não se destina a falar sobre a função do tesoureiro. O objetivo é compartilhar um arquivo do Excel que vai ajudar bastante no controle das entradas e saídas do seu Clube. A planilha foi elaborada pela nossa grande amiga e colaboradora Andressa. Ela foi usada no Clube Bandeirantes (APlaC/UCOB) em 2015 e será usada em 2016.

No Clube Bandeirantes, é feito um orçamento anual de todas as atividades do ano. Assim, fecha-se um valor anual que é apresentado aos pais e pode ser pago parcelado, durante os meses. São 8 planos para desbravadores (4 para quem tem apenas 1 filho no Clube e 4 para quem tem 2 ou mais) e 2 para a direção.

Como sabemos que muitos têm dificuldades em usar o Excel, a Andressa preparou um arquivo de slides explicando o passo a passo da planilha. Nela é possível gerenciar quanto cada desbravador pagou e quanto cada um deve, registrar todas as saídas e entradas do Clube e já ter acesso ao balanço final.

Cliquem AQUI para baixar a planilha e confiram a explicação abaixo. Espero que seja tão útil para vocês quanto foi no Clube Bandeirantes.

Em caso de dúvidas ou sugestões, só entrarem em contato por email ou deixarem um comentário abaixo.

1-Alberto

1- Andressa

 

Não é só pelos 20 centavos!

cofrinho12

“Não é pelos 20 centavos, é pelo que eles representam!”. Esse era o grito de guerra dos manifestantes que tomaram as ruas de São Paulo no ano passado. Mas o que isso tem a ver com o Clube de Desbravadores? Continue nos acompanhando que você já vai saber.

Um fator primordial para o Clube funcionar bem é o equilíbrio nas finanças. Para conseguir dinheiro, o Clube depende das ofertas da igreja, de doação de pessoas que gostam de desbravadores, de patrocínio de empresas, de campanhas de arrecadação e das mensalidades dos desbravadores. Cada um desses métodos apresenta algumas dificuldades, mas o mais problemático deles é a cobrança das mensalidades.

Muitos Clubes são de regiões muito carentes, onde às vezes as crianças não têm nem condições de ter um sapato. O que fazer nesses casos? Simplesmente não cobrar mensalidade? Infelizmente não é essa a atitude correta, e dizemos isso por nossa própria experiência.  Já cometemos esse erro algumas vezes.

Pode parecer estranho, mas pagar a mensalidade do Clube faz parte da formação do caráter do desbravador, portanto, mesmo em locais carentes precisamos cobrar alguma coisa. Não é pelo dinheiro, o pouco que ele vai poder pagar não vai fazer muita diferença no orçamento do Clube, mas é pelo que esse pouco representa.

Na vida tudo que tem valor tem um preço. Não entendo bem a psicologia por trás disso, mas as pessoas tendem a valorizar muito mais aquilo que tem um preço do que aquilo que é gratuito. Por isso a participação no Clube não pode ser grátis. Que seja pouco, um real, cinquenta centavos, mas cobre alguma coisa.

A proporcionalidade entre o nível econômico da comunidade e o valor da mensalidade também é muito importante. Não adianta cobrar R$ 10,00 em uma região carente e também não adianta cobrar R$ 5,00 em um lugar de alto poder aquisitivo. Deve haver equilíbrio.

Mas e se o desbravador não tiver MESMO condições de pagar? Nesses casos você tem duas alternativas: procurar um padrinho para esse garoto e encorajar a gratidão desse desbravador à pessoa que o está custeando ou usar sua criatividade e inventar pequenos trabalhinhos (ajudar a organizar a sedo do Clube, por exemplo) para que ele possa pagar com o trabalho.

Deste modo você estará ensinando ao seu desbravador a lutar pelo que ele acha importante, isso fará uma grande diferença na vida dele.

1- Éveni

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...