Montanha chinesa tem mais de 20 mil fósseis marinhos

Gente, estava olhando o blog do Michelson e encontrei um post muito interessante (seguido da nota dele) que pode ser um material a ser usado na instrução da classe de Pioneiro.

Mais de 20 mil fósseis de répteis, mariscos e outras criaturas marinhas pré-históricas [sic] foram localizadas em uma montanha na China. A descoberta, feita por uma equipe do Centro Geológico Chengdu, pode fornecer pistas de como as espécies são menos ou mais suscetíveis à extinção. A vida quase foi aniquilada há 250 milhões de anos [segundo a cronologia evolucionista] por uma erupção vulcânica na região da Sibéria [segundo a hipótese levantada], seguida de um aquecimento na temperatura em termos globais, e somente uma em cada dez espécies sobreviveu à explosão ocorrida no fim do período Permiano. Os fósseis encontrados representam um ecossistema completo resgatado depois dessa época. A montanha fica em Luoping, a sudoeste da China, e praticamente teve metade de sua superfície escavada. A camada de calcário onde os fósseis foram encontrados é remanescente da época em que a região sul chinesa era ainda um território com clima tropical, cercada provavelmente de coníferas. 

Os fósseis são excepcionalmente bem preservados, e mais da metade está intacta. Peles delicadas que sobreviveram à ação do tempo também podem indicar como a dieta e a locomoção desses animais eram feitas. 

Um talatossauro é a maior criatura encontrada pelos cientistas, cujo comprimento é de até três metros. Além dele, também havia um ictiossauro, que lembra remotamente um golfinho.
 
(Folha.com)

Nota: Mais uma vez os pesquisadores arranham a verdade, mas se recusam a admitir (ou reconhecer) os fatos. O que fósseis de animais marinhos fazem no alto de montanhas (não apenas na China, é bom lembrar)? O que seria capaz de preservá-los em tão boas condições (com a pele delicada, inclusive), já que se sabe que, para isso ocorrer, é necessário um sepultamento rápido sob lama e sedimentos? Mais: quanta lama seria necessária para soterrar 20 mil espécimes, alguns dos quais com até três metros de comprimento? Os cientistas deveriam seguir as evidências levassem aonde levassem, mesmo que “esbarrassem” em certo relato bíblico a respeito de uma catástrofe hídrica global.[MB]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *