Para pensar…

Não sou muito fã dessas alegorias ou estórias que encontramos na internet, nem sempre por algo na narrativa (algumas são realmente impróprias), mas porque as pessoas tendem a contar a estória como se fosse um fato real. Todavia, algumas dessas alegorias são excelentes para induzir à reflexão sobre temas importantes. É o caso desta que gostaria de compartilhar com vocês.

Conta-se uma história de um empregado em um frigorífico da Noruega. Certo dia, próximo ao término do expediente, ele foi inspecionar a câmara frigorífica. Os demais empregados se dirigiram para os vestiários preocupados em se arrumarem e voltarem logo para suas casas.

Enquanto este empregado inspecionava a câmara, um descuido permitiu que a porta se fechasse, impedindo a abertura pelo lado de dentro. Assim ele ficou preso dentro da câmara a dezenas de graus abaixo de zero…

Bateu na porta com força por diversas vezes, porém o revestimento contra o frio abafava o barulho de seus golpes. Gritou por socorro até ficar sem voz, mas ninguém o ouviu… Todos já haviam saído para suas casas e era impossível que alguém pudesse escutá-lo. Passariam muitas horas trancado até que o novo expediente se iniciasse e alguém o descobrisse ali. Será que ele resistiria durante todo esse tempo?

Já estava preso por 5 horas e muito debilitado pela temperatura insuportavelmente baixa. Sabia que em pouco tempo seu corpo congelaria e ele morreria… Começou a pensar nas coisas que fez em sua vida e nas coisas que deixou de fazer… De repente a porta da câmara se abriu. Um rosto familiar se aproximou. Era o vigia da empresa. Ajudou a levantá-lo e o tirou da câmara, resgatando-o com vida. 

No dia seguinte, os demais trabalhadores questionaram o vigia pelo seu ato de heroísmo:

– Porque você abriu a porta da câmara frigorífica se isto não fazia parte de sua rotina de trabalho? O que o levou a fazer isso e, assim, salvar a vida daquele homem?

A isso ele explicou: – Trabalho nesta empresa há 35 anos. Vejo centenas de empregados que entram e saem daqui todos os dias. Porém, aquele empregado é um dos poucos que me cumprimenta ao chegar pela manhã e se despede de mim ao sair no final da tarde.

– Hoje pela manhã ele me disse “bom dia” quando chegou, porém, não se despediu de mim na hora da saída. O tempo passou e eu não o vi sair. Imaginei que poderia ter-lhe acontecido algo, então comecei a procurá-lo por toda a empresa… Procurei em todos os lugares até que sobrou a câmara frigorífica. E ele estava lá dentro.

Será que você e eu seriamos salvos? Como é seu relacionamento com as pessoas diariamente? Você faz diferença no meio da multidão?

Pense nisso…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *