Mochilas – parte 3

Já aprendemos dois importantes aspectos sobre as mochilas: como escolher e como organizar. Agora vamos aprender como ajustar a mochila ao corpo e como cuidar bem de sua mochila.

Para regular a mochila muitos fatores são considerados. Elas foram desenhadas e fabricadas sempre levando em conta a resistência dos materiais em sintonia com o movimento do corpo. Todas aquelas fitinhas da sua mochila têm uma razão de ser e existir: foram feitas para proporcionar um ajuste perfeito ao seu corpo. Os materiais empregados e os sistemas de ajuste devem se adequar a estrutura física de cada pessoa. O mais importante é o peso estar sempre apoiando no sentido “para frente” e não inclinado para trás.

As mochilas maiores, chamadas de cargueiras, possuem uma barrigueira acolchoada, que proporciona um conforto maior e conseguem transferir para os quadris entre 80% e 90% do peso total. As mochilas menores, chamadas de ataque, possuem apenas uma fita como barrigueira e sua função é dar estabilidade. A carga, neste caso, fica mesmo nos ombros.

Assista o vídeo abaixo para aprender como ajustar a sua mochila apropriadamente.

Algumas dicas extras:
  • Antes de fazer qualquer dos  ajustes do vídeo, ajuste a distância entre o ombro e a barrigueira (muitas mochilas permitem a regulagem da altura das alças, então certifique-se disso na hora de comprar). A mochila ideal deve ter, do ombro à barrigueira, o comprimento do seu tronco. Só ajuste a cargueira quando já estiver cheia e arrumada.
  • O meio da barrigueira deve estar sobre os ossos da bacia e não acima (o que poderia acabar fazendo a constrição do estômago). É fundamental que o peso fique na barrigueira e não nos ombros.
  • As tirar de estabilização, que ficam em cima, próximo ao ombro, servem para trazer o peso da mochila e seu centro de gravidade para o mais próximo possível do corpo. Ajuste-as para otimizar o posicionamento das alças. Para terrenos muito acidentados é sugerido usá-las mais justa, enquanto para terrenos mais fáceis, pode-se deixá-las um pouco mais soltas.
  • Nem todas as mochilas tem  tiras estabilizadoras na barrigueira (as últimas tiras que foram ajustadas no vídeo). Elas são importantes, mas não essenciais, fazem com que a parte inferior da mochila fique o mais próxima possível do corpo.
  • Durante a caminhada, verifique de tempos em tempos os ajustes, pois é comum a mochila ir se “assentando” conforme o movimento.
Freqüentemente encontramos pessoas que dizem ter a mesma mochila há bastante tempo. As mochilas geralmente agüentam as adversidades encontradas em atividades ao ar livre. Porém, são necessários alguns cuidados e manutenção, para que sua companheira de aventuras dure por muito tempo. Aqui vão algumas dicas simples de manutenção para que a vida útil de sua mochila seja longa:

  • Guarde sua mochila em local seco, fresco e arejado, para evitar a proliferação de fungos, que podem danificar o revestimento interno de resina.
  • Cuide dos zíperes. Limpe-os, lubrifique-os com silicone em spray e não dê puxões fortes. Apare sempre os fios soltos do tecido, para que eles não se prendam no zíper.

  • Após cada caminhada, limpe bem sua mochila, esvaziando e sacudindo todos os compartimentos. Caso ela esteja realmente suja e precise de um banho, lave-a com cuidado, lembrando sempre de não esfregar o lado de dentro. Isso pode danificar o revestimento de resina, fazendo com que qualquer chuvinha molhe o interior da mochila. Por fora, esfregue com esponja ou escova macia, usando sabão neutro. Deixe secar à sombra, pois os raios UV do sol podem danificar o tecido.

 

  • Acondicione com cuidado os itens com pontas, como fogareiros e material de cozinha. Caso contrário, mesmo que não sejam afiadas, estas extremidades podem provocar furos em sua mochila.
  • Remova restos de comida e migalhas de sua mochila, pois o odor destes alimentos pode atrair animais e proliferar microorganismos, que acabam por estragar o tecido da mochila. Acondicione a comida em sacos plásticos antes de colocar na mochila, pois o cheiro pode atrair animais, mesmo não tendo mais comida na mochila.
  • Use sempre a capa de chuva da mochila, mesmo quando não estiver chovendo. Ela irá proteger a mochila contra sujeiras, arranhões e raios UV do sol. Afinal, é mais barato comprar uma capa nova do que uma mochila nova!
  • Quando você for levantar uma mochila cheia, pegue pelas duas alças simultaneamente, para não causar sobrecarga. O loop entre as alças também pode ser usado.
  • Não aperte demais as tiras de compressão. Isso vai causar esforço desnecessário nas costuras.
  • Mantenha as fivelas e fitas sempre presas para que, se forem pisadas ou enroscadas em galhos e cercas de arame, não sejam danificadas.

Se você seguir essas dicas, sua mochila vai durar muito mais e o risco de ter que fazer pequenos reparos na mochila durante a atividade ou até mesmo usar uma mochila improvisada (como a que está logo abaixo) será muitíssimo menor.

Caso sua mochila rasgue e não tenha condições de ser reparada durante a atividade, o jeito é fazer uma mochila de emergência. Pode-se utilizar qualquer coisa que se tenha a mão e sua criatividade permitir. Um modelo possível é com uma calça que permita uso de cinto.

Materiais necessários:
    • uma calça;
    • uma corda;
    • 2 fitas ou cintos.
    1. Passe a corda nos passantes do cinto;
    2. Amarre forte as pernas com as fitas ou cintos;
    3. Prenda com um nó as outras pontas da fita ou cinto na cintura da alça.

Além de feia, esta mochila improvisada é muito desconfortável e nada prática, então o melhor é cuidar muito bem da mochila para nunca precisar utilizar uma desta.

Fontes:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *