Dia dos Desbravadores 2012 – ideias para o JA

Conforme prometido, rs, eis aqui uma ideia de peça SUPER legal, criada pelo nosso grande amigo Paulo Oliveira, o mesmo de ontem, lembram? rsrs. Aproveitem, ensaiem e, não se esqueçam, enviem fotos para a nossa Equipe divulgar, ok?

O programa de J.A deve começar com um vídeo de um noticiário (pode ser baixado do YouTube) informando da prisão de um criminoso. 

Srª. Estela e Fernando na sala de casa assistem a notícia. Fernando chora quando vê que é seu pai que está indo para a cadeia. A mãe tenta consolá-lo dizendo que tudo ficará bem.

Narrador – A família SOLON mal sabia que aquele seria o início de tempos muito difíceis. Após a prisão do patriarca da família, tudo começa ficar cada vez mais difícil.

Srªa. Estela e Fernando saem à rua e as pessoas apontam e comentam:

Vizinha 1 – olha aqueles 2 ali, ficou sabendo que o marido dela foi preso?

Vizinha 2 – Sempre achei que ele fosse um bandido, e aquele menino ali com toda certeza será um bandido igual ao pai.

Vizinha 1 – É uma vergonha e agora somos obrigados a conviver com estas pessoas.

Vizinha 2 – Eu que não quero meus filhos andando com aquele garoto.

Narrador – Fernando e Estela eram mal vistos pela vizinhança, ninguém queria fazer amizade com eles. Dona Estela, que é diarista, começou a ter muita dificuldade para conseguir emprego. Fernando é visto como um marginal e os pais pedem que seus filhos não andem com ele.

Srª. Estela e Fernando saem da cena.

Neste momento o Clube irá se dirigir ao local de reuniões à frente com o diretor, para caracterizar o início de uma reunião regular. Como parte da reunião do Clube, inicia-se o momento de louvor do J.A com a igreja.

Momento de louvor com a igreja.

Alguém de uniforme de gala dá a boas-vindas à congregação, diz que é um privilégio tê-los mais uma vez ali na igreja e os convida para cantar. Cantar 2 ou 3 músicas com a congregação. Terminando o louvor, fazer a oração inicial da programação.

Recado do diretor para o Clube.

Diretor – Bem, agora que acabamos nosso devocional, o dia de hoje será muito importante para nosso Clube. Próximo à nossa sede temos o bairro das Garças, que em sua maioria são de pessoas mais carentes, e nós iremos distribuir alguns panfletos convidando os juvenis e adolescentes a participarem do nosso Clube. Então vocês estarão saindo com suas unidades. Sejam bastante simpáticos ao abordar as pessoas.

O Clube sai pela nave da igreja com alguns panfletos.

Cena Fernando e Estela em casa.

Estela – Fernando, vem cá meu filho.

Fernando – Sim mãe.

Estela – Pega este dinheiro aqui e vá até a feira e traga, por favor, ½ quilo de batata e 3 cenouras, que eu vou fazer uma sopa para o jantar.

Fernando – Tudo bem, mãe.

Fernando sai de casa e some um pouquinho de cena e um grupo de desbravadores chega à cena com panfletos.

Fernando aparece novamente com uma sacola de feira, quando é abordado pelo grupo de desbravadores.

Desbravador – Olá, tudo bem? Boa tarde!

Fernando – Boa tarde.

Desbravador (bem animado) – Você conhece o Clube de Desbravadores?

Fernando – Não, o que é isso?

Desbravador – Somos um grupo de jovens que nos reunimos e fazemos uma série de atividades, como acampamentos, ordem unida, desenvolvemos novas habilidades, fazemos caminhadas e várias outras coisas. Queremos convidar você para participar conosco do Clube de Desbravadores (nome do seu clube). Ficaremos muito felizes com você lá!

Fernando – Nossa, parece realmente muito legal, muito obrigado pelo convite, vou falar com minha mãe e ver o que ela acha.

Desbravador – Ok, mas faça o possível para estar lá conosco, estaremos esperando você.

Narrador – Os desbravadores não notaram, mas assim que eles saíram um grande sorriso ficou estampado no rosto de Fernando, era a primeira vez que alguém se aproximava dele, não para ofendê-lo ou falar que ele era um bandido, mas para convidado para fazer parte de um grupo. Começava a nascer a esperança de tempos melhores no coração de Fernando. Ele fica muito curioso para saber o que seriam desbravadores, pois ele nunca tinha ouvido falar deles antes e saiu correndo para casa.

Chegando em casa, mostra à sua mãe o panfleto 

Fernando – Mãe, mãe, a senhora não adivinha o que aconteceu. (Bem afoito e com ar de cansado por causa da corrida e falando tudo rapidamente). Um grupo de garotos que me convidou para participar de um Clube. O nome é desbravadores, veja só mãe, as inscrições são amanhã às 8hs da manhã no (local onde seu clube se reúne). Podemos ir, por favor?

Estela – Calma, meu filho, respira um pouco, me explica melhor esta história. Não consegui entender quase nada. Um grupo de garotos te convidou para o quê?

Fernando – Para fazer parte do Clube de Desbravadores.

Estela – O que é isso de desbrava…? Desbrava… o que mesmo? Eu nunca ouvi falar?

Fernando – Desbravadores, eu também não sei o que é, mas pelas fotos neste panfleto parece ser muito legal e eles disseram que vão ficar muito felizes se eu for. Mãe, por favor?

Estela – Calma, filho, onde são estas reuniões e como funciona?

Fernando – Não sei direito, mas o endereço está aqui, vamos lá conhecer?

Estela – Tudo bem, meu filho, amanhã passamos lá para dar uma olhada no que é isso.

Narrador – No dia seguinte…

Estela e Fernando chegam ao Clube e são muito bem recebidos pela diretoria, que explica o que é desbravadores e como funciona o Clube. (Durante a explicação sobre o que é desbravadores, passar um vídeo para a igreja das atividades do Clube, caso tenha algum. Se não tiver, usar o vídeo “Viva esta Aventura”, que mostra um pouco sobre o funcionamento do Clube de Desbravadores).

A mãe ouve tudo muito preocupada com os gastos da participação no Clube.

Estela (Fala baixinho para o filho) – Filho, isto parece ser um clube muito caro, de pessoas ricas, você viu o tanto de coisas que eles fazem? Eu não tenho como pagar para você participar destas atividades, não tem como, filho, vamos embora?

Fernando – Mas mãe, eu quero tanto participar.

Estela – Fernando, não, meu filho.

Diretor, ouvindo o diálogo e notando que aquela é uma família muito humilde fala:

Diretor – Dona Estela, não se preocupe com custos ou valores, deixe seu filho participar do clube, a senhora não precisa se preocupar com nada por agora, quando for necessário adquirir algo, nós conversamos e vemos o que podemos fazer. Mas deixe o Fernando participar, pois será muito bom tê-lo conosco.

Estela – Não, muito obrigado, mas realmente não quero incomodar vocês, eu percebo que o que vocês fazem é muito bom. Mas eu não tenho condições agora.

Diretor – Não se preocupe com isso agora, Estela, deixe seu filho vir às reuniões e participar conosco das atividades, fique despreocupada.

Fernando – Viu mãe, está tudo certo. Deixa eu participar?

Estela (fala ao diretor) – O senhor tem certeza mesmo?

Diretor – Sim, será muito bom ter o Fernando em nosso clube.

Estela – Tudo bem então.

Fernando – Mãe, muito obrigado. Diretor, quando eu posso começar?

Diretor – no próximo sábado, às 15hs, teremos uma reunião aqui, você já pode participar, só peço que você traga um caderno e caneta.

Fernando – Tudo bem. Pode deixar que estarei aqui no próximo sábado.

Pausa na peça

Mensagem musical

Volta à peça

Fernando chega para a reunião do Clube (utilizar o espaço da decoração feito para reunião do Clube, se possível, colocar banquinhos) e todos entram em uma sala.

Diretor – Boa tarde a todos, sejam bem-vindos a mais uma reunião do clube. Hoje o Pr. Alan está conosco dando início a um estudo sobre a origem de todas as coisas.

Pr. Alan – Boa tarde, é muito bom poder estar aqui com vocês nesta tarde, para juntos estudarmos a Bíblia.

Pr. Alan – Bem, abram suas bíblias em Gn. 1:1, onde veremos como tudo começou em nosso mundo. Quem não tem Bíblia, vou pedir para o Kayo me ajudar a entregar.

Kayo entrega as Bíblias e Fernando recebe uma.

Narrador – O capelão do clube, Pr. Alan, começou a explicar sobre a origem de todas as coisas e de como o mundo havia sido criado em 6 dias por Deus e como Ele tinha descansado no 7º, o sábado. Fernando ouviu tudo aquilo e ficou muito impressionado, ele nunca tinha ouvido falar que Deus criara todas as coisas.

Pr. Alan – Bem, agora que nós já descobrimos a origem de todas as coisas, nós teremos algumas perguntas e até o final de nosso estudo quem tiver mais pontos irá receber um prêmio.

Neste momento, o personagem que faz o papel do Pr. Alan deve se dirigir à igreja e dizer que este é o momento do concurso bíblico.

Fazer um concurso com a igreja e premiar o vencedor

Ao final do concurso com a igreja, Fernando começa a caminhar (na rua da decoração ) em direção à sua casa, enquanto o narrador fala:

Narrador – Fernando ficou animado com toda aquela história e principalmente porque no final o pr. Alan fez algumas perguntas sobre o estudo, dizendo que quem tivesse mais pontos iria receber um prêmio. Fernando realmente queria receber aquele prêmio.

Narrador – O tempo foi passando e cada dia mais Fernando ficava mais animado com as atividades do Clube de Desbravadores e fazia tudo com muito zelo e dedicação. Todos dentro do Clube gostavam de Fernando.

Reunião do clube com o instrutor das classes.

Instrutor – Bem, na próxima semana nós precisamos fazer um trabalho que beneficie a comunidade, como item para ser cumprido do nosso cartão. Alguém tem alguma ideia?

Fernando levanta a mão.

Fernando – Olha, eu tenho. A rua da minha casa está bem suja, nós podíamos pitar o meio-fio, recolher o lixo e distribuir alguns panfletos de conscientização para os moradores.

Instrutor – Uma boa ideia Fernando, o que você acham, classe?

Classe – Legal, pode ser.

Instrutor – Então, no próximo domingo, às oito 8hs da manhã, nos encontramos aqui e juntos vamos para a rua do Fernando fazer este trabalho.

Narrador – no domingo seguinte, a comunidade do bairro das Garças ficou espantada ao ver um grupo de jovens que varria a rua, pitava o meio-fio e ainda entregava panfletos de prevenção contra a dengue.

Cena com vizinhos conversando, enquanto desbravadores trabalham.

Vizinha 1 (Marlene) – Nossa Angelita, o que é isso? Será algum programa do governo?

Vizinha 2 (Angelita) – Não sei, Marlene, mas eles estão limpando tudo, a rua está ficando nova!

Marlene (espantada) – Olha, Angelita, não é aquele garoto, filho da Estela?

Angelita – é ele mesmo, o que será que ele está fazendo ali?

Marlene – Será algum projeto de menores infratores?

Angelita – Não sei não, estes meninos não têm cara de delinquentes. Vamos perguntar para um deles.

Marlene  Ei menino, vem aqui.

Desbravador – Sim, senhora, chamou?

Marlene – Sim. O que é tudo isso? Quem são vocês?

Desbravador – Nós somos os desbravadores, um grupo de juvenis e adolescentes que fazem diversas atividades e uma delas é ajudar a comunidade. Então estamos aqui hoje para oferecer nossos serviços.

Angelita – nossa, que diferente, mas vocês fazem isso e não cobram nada?

Desbravador – Não, este projeto é totalmente gratuito, com o propósito de promover às pessoas condições de vida melhor. Então estamos aqui limpando e pintando tudo, para que vocês possam desfrutar de uma vizinhança mais agradável e bonita.

Marlene – Gostei muito de vocês. Como é que faz para participar? Meus filhos podem?

Angelita – E os meus? Quero que eles participem disso também.

Desbravador – Qualquer juvenil ou adolescente, entre 10 e 15 anos, pode participar. Inclusive, aqui da rua de vocês tem o Fernando que é do nosso clube. Ele é o capitão da nossa unidade, vou chamar ele. Fernando, vem cá.

Fernando – Sim, Marcos, estou indo.

Fernando se dirige às senhoras, que ficam espantadas ao perceberem que aquele garoto que elas julgavam ser um marginal não era nada do que elas estavam pensando.

Fernando – Bom dia, senhoras, tudo bem?

Angelita – bom dia. Tudo bem.

Marlene – Bom dia. Tudo.

Marcos (desbravador) – Então, Fernando, eu estava explicando para as senhoras Angelita e Marlene como funciona o Clube de Desbravadores e elas ficaram interessadas de colocar os filhos delas.

Fernando – Nossa, que maravilha! Levem seus filhos mesmo, eles serão muito bem-vindos.

Marlene – Onde é a reunião de vocês? E em que dia?

Fernando – Reunimo-nos aos sábados à tarde, às 15hs, no (local das reuniões do seu clube) e aos domingos, no mesmo local às 8hs da manhã.

Angelita – Nossa, gostei. No próximo domingo eu vou passar lá para conhecer um pouco melhor e, quem sabe, meus filhos participem!

Marlene – eu também gostei, também irei lá no domingo.

Fernando – Estaremos esperando vocês.

Marcos – foi um prazer conversar com as senhoras, mas agora precisamos voltar para continuar ajudando nossos amigos.

Angelita – Fiquem à vontade.

Marlene – Obrigada pelas informações.

Os 2 desbravadores voltam ao trabalho e as senhoras começam a conversar.

Narrador – Os desbravadores terminaram seu trabalho naquela manhã e a comunidade ficou maravilhada, mas o que mais se ouvia falar era de Fernando, que de marginal da rua passou a ser visto como um exemplo a ser seguido. Fernando, através de suas atitudes e por meio do Clube de Desbravadores, começou a espalhar esperança por todo lugar.

(Narrador continua)

Narrador – No domingo seguinte as vizinhas de Fernando foram ao Clube e inscreveram seus filhos, que começaram a participar e, assim como Fernando, gostavam muito do que apreendiam a cada dia. Ao final do ano, todos estavam animados com a ideia de uma investidura e todos queriam poder participar desta celebração. Finalmente, no dia da investidura:

Estela e Fernando entram em cena, Fernando de uniforme de gala.

Estela – Meu filho, estou muito orgulhosa de você.

Fernando – Obrigado, mãe. O Clube de Desbravadores de fato mudou a minha vida. Ele nos ensinou a ter esperança. Hoje eu posso dizer que sou um conquistador de esperança, apreendi que Jesus é meu melhor amigo, aprendi que ajudar as pessoas faz mais bem para a gente do que para pessoa que está sendo ajudada.

Estela – Isso mesmo, meu filho. Eu estou muito feliz com tudo que tenho visto que você aprendeu dentro do Clube.

Angelita chega em cena.

Angelita – Oi Estela, Fernando, tudo bem?

Fernando – Oi, tudo bem.

Estela – Tudo.

Angelita – Fernando, eu sou tão grata a você por ter nos apresentado o Clube de Desbravadores, meus filhos em casa são só benção!!!

Fernando – que é isso, dona Angelita. Eu só fui o instrumento, quem realmente opera os milagres é Deus, através do Clube de Desbravadores.

Angelita – E pensar que eu tinha uma visão tão errada a seu respeito, vem cá, me dê um abraço.

Fernando (emocionado) – Obrigado.

Estela – Meu filho, corre lá atrás que a investidura já vai começar.

Fernando – É mesmo, mãe, estou indo.

Fernando sai às pressas para a investidura

Angelita – Nossa, Estela, seu filho é um verdadeiro tesouro, se não fosse por ele, que fez aquele projeto na nossa rua aquele dia e depois começou a ajudar meus filhos e os convidar para a igreja, hoje eu não estaria aqui podendo participar deste maravilhoso povo que tem a esperança de ver a volta de Jesus.

Estela – É verdade, Angelita, mas isto tudo nada mais é do que a obra de Deus em nossas vidas. Deus quer fizer milagres em cada vida aqui presente e quer que todos tenham esperança e conquistem a salvação.

Angelita – Isso mesmo, minha amiga, mas agora vamos sentar, pois a programação já está começando.

Estela – Vamos!

As 2 saem de cena e começa a investidura oficial do Clube, que será o encerramento do programa.

As músicas de entrada devem começar imediatamente após a saída das 2 personagens, para que não se tenha nenhuma brecha no programa. Sugestões de música AQUI

Observação: Esta peça deve ser muito bem ensaiada antes, pois como ela é integrada ao programa J.A, se todos não souberem o que fazer na hora exata, o programa pode ir por água abaixo…

Quer mais dicas de JA para o Dia dos Desbravadores? Confira AQUI nossa sugestão do ano passado, que apesar de adaptada ao tema anterior, você pode tirar algumas ideias.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *