Rivalidade entre irmãos

1871376.irmaorivais_225_300

Esse assunto me chamou a atenção sempre! Por que os irmãos apresentam tanta rivalidade? É claro que existem exceções, contudo, podemos observar que essa rivalidade é relatada desde os primeiros registros bíblicos. Desde Caim e Abel, até os contos de fada, como o de Cinderela e suas irmãs adotivas, esse fenômeno é comentado.

Crescer em uma família com outros irmãos é uma experiência comum entre os brasileiros. Geralmente quem tem irmãos passa mais tempo com eles do que com os próprios pais. Eles promovem um papel sumamente importante no desenvolvimento infantil.

O primeiro filho é, de certa maneira, forçado a se diferenciar do outro e, em geral, seguindo os valores dos pais. Isso acontece porque ele sente que precisa manter sua posição “privilegiada”.

Geralmente o desenvolvimento do primeiro filho é mais acelerado, enquanto o segundo mantem uma postura que requer mais atenção dos pais.

Existem, pelo menos, três formas de rivalidade:

  1. Herdeiro: os irmãos consideram que um dos filhos é o preferido dos pais;
  2. Competidor: acham que o filho favorito muda conforme o comportamento dos demais irmãos;
  3. Semelhante: os irmãos entendem que cada um é especial para os pais e, por isso, os conflitos são mínimos.

A rivalidade mal resolvida pode vir a ocasionar sentimento de inveja, intriga, manipulação, rancor, alienação, vingança, sabotagem, entre outros. A intervenção psicoterapêutica poderá ser muito eficaz para garantir que esses indivíduos superem seus inevitáveis conflitos.

Algumas causas para esses conflitos são:

  • Favoritismo (por parte dos pais): pode causar grandes ressentimentos entre os filhos;
  • Transferência da raiva: às vezes, sentimentos de hostilidade em relação aos pais ou outras pessoas significativas são descontados num irmão mais novo;
  • Sentimento de inferioridade: acontece quando um irmão se vê como vivendo à sombra do outro. Sente como se sua individualidade lhe fosse roubada;
  • Mudanças durante o desenvolvimento: as mudanças hormonais da adolescência podem ocasionar raiva. Questões referentes à identidade e à autopercepção contribuem bastante para os conflitos entre irmãos na adolescência;
  • Ambiente doméstico: a estrutura familiar pode ser fonte de conflito. Podem competir por espaço e outros bens.

Como os pais podem ajudar:

  • Analisar seu próprio papel: verificar se você não contribuiu para que o conflito fosse criado ou mantido;
  • Descobrir a verdadeira causa do conflito: examinar se um irmão não está descarregando as frustrações no outro. Se é fruto de um sentimento de rancor aguardado. Ver se é fruto de alguma revolta, etc.;
  • Examinar as suposições: é comum que irmãos façam suposições sobre o comportamento do outro sem nenhuma base real. Ajude-o a verificar se suas conclusões são ou não fruto da realidade;
  • Levar em consideração o trato: o trato é que diante de um mediador, cada um dos irmãos discutam seus pontos de vista e que se estabeleça um trato que deverá ser cumprido por todos. Exemplo: quando um está estudando, o outro deverá diminuir o som da TV ou rádio. Isso deverá ficar, se possível, escrito e posto às vistas de todos.
  • Detectar o abuso: não permitir, nem compactuar com nenhuma forma de abuso ou violência de qualquer tipo. Exemplo: não permitir xingamentos, brigas físicas e/ou humilhações;
  • Ensinar o perdão: devem aprender a perdoar e a se perdoar;
  • Encaminhar a um profissional psicólogo: quando observar que é necessário alguém para mediar e ensinar aos irmãos a se relacionarem.

Vou colocar aqui alguns versículos para que reflitam sobre o tema:

  • “Não guardem ódio contra o seu irmão no coração; antes repreendam com franqueza o seu próximo para que, por causa dele, não sofram as conseqüências de um pecado”. Levítico 19:17
  • “Como é bom e agradável quando os irmãos convivem em união!” Salmos 133:1;
  • “Façam tudo sem queixas nem discussões, para que venham a tornar-se puros e irrepreensíveis, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração corrompida e depravada, na qual vocês brilham como estrelas no universo”. Filipenses 2:14-15;
  • “Irmãos, não falem mal uns dos outros. Quem fala contra o seu irmão ou julga o seu irmão, fala contra a Lei e a julga. Quando você julga a Lei, não a está cumprindo, mas está se colocando como juiz”. Tiago 4:11;
  • “Se alguém afirmar: “Eu amo a Deus”, mas odiar seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê”. 1 João 4:20;
  • “Mas quem odeia seu irmão está nas trevas e anda nas trevas; não sabe para onde vai, porque as trevas o cegaram”. 1 João 2:11.

Apesar dos conflitos, todos sabemos que os irmãos são fonte de alegria e amizade. Deus nos ajude a amar e a nos relacionarmos melhor com nosso “HERMANOS”.

1- Samira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *