PROESP – Programa Especialidade para Todos

Fonte: http://clube-eclipse.blogspot.com/2010/12/faixa-de-especialidades.html

Quantos de nós já não nos deparamos com os programas do Governo Federal que buscam promover algum benefício à população mais carente? Estes programas (quando feitos de maneira responsável) no meio social têm ajudado muitos a se manterem e a sonharem com um futuro digno para si e para os que lhes cercam.

Ao longo dos anos dentro do Clube venho percebendo que existe uma comoção geral em fazer das atividades, que deveriam desenvolver a edificação do caráter dos desbravadores, programas de “apoio social ao conhecimento”. Não que eu esteja desprezando a ajuda que como líderes e principalmente adventistas do sétimo dia devemos dar aos nossos desbravadores, mas não podemos incentivar uma prática que pode deformar o caráter de um juvenil.

Ao acompanhar as matérias do nosso Cantinho, percebo uma preocupação dos colaboradores em mostrar o quanto uma “pesquisa” feita de qualquer forma (ou em qualquer lugar) pode não proporcionar o conhecimento proposto pelo programa das especialidades. Geralmente clubes que fazem uso de certos “materiais” de procedência duvidosa acabam tendo desbravadores com faixas majestosas, mas com pouco ou nenhum conhecimento.

Vocês agora devem estar se perguntando: “e onde entra o PROESP?” Apesar do título sugestivo, não estou tentando promover a distribuição em massa daquelas que deveriam ser nossas ferramentas na construção de uma educação sólida para cada jovem que participa em nossos clubes. Muito pelo contrário, estou tentado chamar a atenção para que tenhamos cuidado com a forma com que “distribuímos as especialidades”.

Quem nunca se deparou com desbravadores com faixas repletas de insígnias cujas especialidades eles nem sabiam relacionar? Se este juvenil de fato tivesse feito a especialidade eu garanto que ele poderia lhe mostrar a insígnia, ainda lhe falar os pontos básicos desta e o que ele aprendeu ou mais gostou durante sua execução. E não é este o objetivo deste programa: tornar a pessoa uma especialista em determinado assunto? (pena que muitos desconhecem o significado da palavra especialista).

Especialista, pelo dicionário Michaelis Online, é “quem se dedica com especial cuidado ou exclusivamente a certo estudo ou ramo de sua profissão”. Claro que não exigimos dos desbravadores que eles façam pós-graduação para receber uma especialidade, porém, temos que ter a filosofia da Divisão Sul Americana em mente: “O estudo das especialidades tem como finalidade ajudar no desenvolvimento espiritual do caráter da pessoa. Portanto, cada especialidade deveria ser ministrada de forma a exigir um alto padrão de excelência, afirmando claramente quais são as exigências que devem ser cumpridas. Preencher as exigências deveria ser algo interessante e divertido, enquanto, ao mesmo tempo, proporciona uma sensação de realização”.

Certa vez, em passagem por um clube, me deparei com desbravadores que apesar de aplicados não possuíam muitas especialidades. Passados 6 meses, ao me encontrar com aquele grupo novamente, pasmem: aqueles mesmos desbravadores já possuíam cerca de 70 a 80% a mais de especialidades que no semestre anterior!!! E o mais incrível é algumas delas tinham tempo mínimo ou necessitavam de atividades específicas que não eram possíveis de serem realizadas. Então me veio a pergunta: como eles conseguiram fazer tanto em tão pouco tempo? No início fiquei feliz em saber que eles estavam se dedicando ao clube, mas, ao conversar com alguns, percebi que naquele clube tinha sido promovido o PROESP, só que de maneira irresponsável.

A partir deste episódio, percebi que existem líderes tentando promover um “programa social de distribuição de conhecimento”. Caros líderes, não façam isso. Nós, como cristãos, temos um exemplo muito grande a passar aos nossos jovens; como podemos permitir ou proporcionar uma adesão em massa e sem conteúdo daquilo que deveria ser nossa “arma secreta” para promover um crescimento nas esferas que regem nossa filosofia de trabalho? Não somos obrigados a ter domínio de todo o conteúdo do Manual de Especialidades. Por isso, se não sabemos um determinado assunto, devemos buscar apoio de alguém que possa nos auxiliar a ter o conhecimento necessário ou transmiti-lo ao nosso grupo, como visto no post Especialidades: aprendendo a pesquisar.

Agora que estamos iniciando este novo ano de atividades, não promovam o PROESP nos seus clubes, ou melhor, promovam, mas o façam de forma limpa e honesta, (eu mesmo estou introduzindo este programa no clube em que participo).

Por exemplo: este ano estamos introduzindo em nossas atividades diversas oficinas de especialidades, onde convidamos pessoas (da igreja, comunidade ou profissionais de diversas áreas) para ensinarem aos desbravadores muitas especialidades, de forma prática, inovadora concreta e com conteúdo. (Em outra oportunidade posto nosso projeto para vocês).

Eu quero sim poder ver os meus desbravadores com uma grande quantidade de especialidades, mas principalmente quero que eles aprendam com elas a importância do conhecimento e o valor da honestidade e respeito a Deus.

Este ano promova também em seu clube o PROESP de forma consciente. Se assim agirmos, com toda certeza teremos desbravadores capazes de receber um conhecimento capaz de proporcionar benefícios ao seu clube, sociedade e família, promovendo assim um crescimento que transforme vidas.

Quando aprendemos com qualidade, tudo em nossa volta se transforma, pois através de uma aprendizagem sólida é possível construir um caráter digno do reino de Deus.

Pensem nisso e sucesso durante o ano de 2011!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Uma ideia sobre “PROESP – Programa Especialidade para Todos

  1. Concordo com tudo!
    Infelizmente o que era no passado onde os desbravadores não recebiam nada por causa do exagero na exigência, hoje é o outro extremo, pouco se exige e com 2 requisitos entregam as especialidades.
    Porém a imagem acima está de uma forma errada, abordando o desbravador em público, expondo ao ridículo e com toda certeza o fazendo sair do clube.
    Não podemos nunca ir pelos extremos, sempre o bom senso será bem vindo e NADA DE BANCAR O SARGENTÃO, confundindo liderança com abuso de poder 🙂

    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *