Pegadas de animais, para a classe de Pesquisador

Como os acampamentos são uma das atividades mais típicas de um desbravador, é importante aprendermos algumas coisas básicas sobre a vida no campo: fogueiras (em breve), cozinha de acampamento, amarras, bússola, mapa topográfico, barracas

Um desbravador de 12 anos deve ser um Pesquisador e uma das atividades mais legais da classe é observar e identificar pegadas de animais: “Identificar seis pegadas de animais ou aves. Fazer um modelo em gesso de três destas pegadas.” Você já pensou como será legal ver uma pegada no acampamento e saber dizer qual é o animal que a deixou?!

Para ajudá-los nesse requisito, sugerimos o livro Pegadas, disponível para download AQUI. Neste livro você aprende a identificar várias pegadas, mais do que o suficiente para concluir o seu requisito. Também indicamos o livro Manual de Rastros da Fauna Paranaense (download AQUI), que apesar de ser voltado para a fauna local do Paraná, a maioria dos animais também se encontra em outros Estados. E por último, tem a apostila Guia para identificação de pegadas (download AQUI), o único que tem pegadas de algumas aves.

A segunda parte do requisito é a mais divertida, fazer o modelo de 3 pegadas. Infelizmente já vimos muitas pessoas fazendo esses modelos de maneira errada, colocando o gesso em algum recipiente e afundando a pata do animal nele. Essa não é a maneira correta de se fazer. Então como seria? Anotem aí:

Material: Gesso (500 g), um recipiente para mistura, água, espátula, tubo de esgoto de PVC (20 cm), escova de sapato.

Preparo do material: Corte o tubo de PVC em anéis de 6 cm de altura e faça um corte na largura do anel, de forma que o anel fique rompido. A rigidez do PVC vai manter a forma do anel, mas isso vai lhe dar um pouco de flexibilidade, para você poder apertar e manusear o anel no momento de desenformar o molde.


Etapa 1 – Colocação do anel: ao encontrar o rastro que deseje documentar (fazer o molde), coloque o anel de PVC de diâmetro adequado (de forma que o rastro fique com folga das margens e no centro do anel) e circunde o rastro. Coloque o anel de PVC com muito cuidado, pois em alguns tipos de solo pode ocorrer rachaduras que danificam o rastro. O anel deve ser afundado no chão bem de leve, de forma a não deixar vazar o gesso.

Etapa 2 – Confecção do montinho de terra ao redor do anel: pegue uma quantidade de solo para forrar por fora o anel de PVC, fazendo uma espécie de parede ou forma, quase da altura do anel de PVC. Esse montinho de terra vai substituir o anel de PVC e servirá de parede para o molde do gesso que vai cobrir o rastro.

Etapa 3 – Retirada do anel: retire o anel cuidadosamente para a parede de terra não desmoronar e não destruir o rastro.

Etapa 4 – Preparo do gesso: prepare a massa de gesso no frasco, misturando a quantidade necessária de gesso e água com a espátula, de forma a constituir uma pasta homogênea. A quantidade de água, que define a consistência da pasta, depende do solo onde se encontra o rastro. Caso o solo esteja úmido, coloque menos quantidade de água para facilitar a secagem do molde de gesso. Caso o solo esteja seco e quente, pode-se adicionar uma quantidade maior de água, de forma que a pasta fique mais mole e se distribua melhor no rastro. A pasta de gesso deve ter consistência suficiente para penetrar nas partes do rastro que evidenciem marcas de unhas e outros detalhes.

Etapa 5 – Enchimento: nunca despeje a pasta de gesso diretamente sobre o rastro, pois o impacto da queda da pasta pode danificá-lo. Despeje a pasta lateralmente, prestando atenção se ela está cobrindo toda a área definida pelo anel de PVC retirado. Deixe o molde secando (leva de trinta minutos a uma hora). Enquanto isso, vocês podem procurar outros rastros e repetir a operação. O fato de ter retirado o anel de PVC e deixado a parede de terra do lado de fora do anel para delimitar a área do molde permite agora que você disponha do anel de PVC para fazer outros moldes enquanto o primeiro não seca, reaproveitando o anel. Assim, economizam material, não precisando de um anel de PVC para cada rastro a ser modelado em gesso.

Etapa 6 – Retirada do molde de gesso: o molde de gesso deve ser retirado cuidadosamente, desfazendo-se primeiro a parede de terra ao seu redor, para deixar o molde livre nas laterais.

Etapa 7 – Lavagem do molde: o molde retirado deve ser lavado cuidadosamente para retirar o excesso de terra que cobre suas reentrâncias. Não use jato de água, que pode danificar o molde.

Etapa 8 – Escovação do molde: use a escova de sapato, com cerdas macias, para escovar o molde seco. Isso vai ajudar a retirar a terra das suas reentrâncias. Seu molde está pronto para ser analisado. Compare o rastro obtido no molde com fotos ou ilustrações de rastros e identifique o animal que deixou esse rastro. O estudo dos rastros é uma forma de identificação da diversidade de fauna existente no local.

Seqüência de fotos de Luanne Lima para ilustrar fabricação de moldes de pegadas (CLIQUE PARA AMPLIAR). As pegadas referem-se à lontra.

Fonte: PROBIO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 ideias sobre “Pegadas de animais, para a classe de Pesquisador

  1. Boa tarde, Anônimo.

    No segundo parágrafo recomendamos dois livros, que são gratuitos e estão disponíveis para download. São muito bem ilustrados, com fotos das pegadas de várias espécies, além de outras dicas de como identificar pegadas de animais.

    Um abraço.

Deixe uma resposta para Mateus Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *