Pais divorciados

É notável o aumento alarmante do número de divórcios a cada ano em todo o mundo.

A grande maioria dos jovens com pais divorciados terminam vivendo com um deles. Outra parte “ganha uma família nova”. E não é incomum ver alguns adolescentes assistirem um segundo divórcio de um dos pais.

Existem estudos que apontam que os filhos que moram com um dos pais têm o dobro ou o triplo de chances de padecer de problemas emocionais e comportamentais, são mais propensos a serem expulsos, suspensos da escola ou até a abandonar os estudos. Aumenta-se o risco de gravidez na adolescência, uso de drogas e de terem problemas com a justiça.

Não é difícil encontrar esses indivíduos enfrentando dificuldades na vida adulta. Essas dificuldades costumam ser observadas na hora de estabelecer um relacionamento amoroso, construir uma família e até para conseguir um emprego estável.

Os “filhos do divórcio” costumam reagir com depressão, retraimento, pesar, medo, raiva, vergonha, queda no rendimento escolar e sentimento de perda ou rejeição.

Esse é sem duvida um dos problemas modernos que mais necessitam de ajuda profissional, para ajudar a superação desse momento crítico.

Vamos citar aqui algumas das causas do conflito na vida dos adolescentes:

  • O aumento mundial desse fenômeno: nos últimos 30 anos o aumento dos divórcios cresceu assustadoramente em todo o mundo.
  • Falta de modelo do papel feminino e masculino: 8 de cada 10 casos a guarda dos filhos fica com a mãe. O fato de se verem pouco dificulta a formação de modelos parentais saudáveis. Embora a guarda compartida seja possível, ainda é muito rara.
  • A insuportável dor da perda: é muito comum escutar dos adolescentes que o divórcio dos pais foi a experiência mais dolorosa que viveram. O trauma emocional e a dor de perder os pais por causa da dissolução do casamento sem dúvida é um dos fatores que mais contribuem para os conflitos que o adolescente sofrerá em seguida.
  • O gênero: o divórcio afeta mais os meninos que as meninas. E quanto mais idade ele tiver, mais dificuldades escolares ele terá.
  • Saúde emocional dos pais: esse é outro fator que pode prejudicar o adolescente. Os pais ficam menos capazes para realizar seus papeis parentais, têm dificuldade de manter a disciplina e podem cobrar excessiva maturidade dos filhos e se mostrarem menos afetuosos.

Os pais devem preparar-se para ajudar esses filhos a enfrentarem esse período da forma menos daninha possível.

Aqui vão algumas dicas para esses pais:

  1. Esperar o luto: entender que esse divórcio é inconscientemente elaborado como um luto. É preciso ter paciência e esperar o tempo necessário para que o impacto seja absorvido.
  2. Permitir a raiva: de todos os estágios que existem na superação do luto, a raiva é o maior e mais intenso deles. Tente dar a ele a oportunidade de expressar a sua raiva e expressá-la de forma não violenta e nem negativa.
  3. Esperar sentimento de culpa: isso acontece principalmente nos primeiros meses após o ocorrido. A terapia pode ajudar muito nesse aspecto, facilitando a compreensão do conflito.
  4. Ajudar a evitar problemas na escola: buscar ajuda de tutores, orientadores, psicopedagogos e até psicólogos, a fim de minimizar as possíveis dificuldades escolares.
  5. Não obrigá-lo a ser intermediário do conflito: isso acontece quando o jovem se vê obrigado a transmitir informações de um elemento do ex casal para outro. Isso é nefasto. A ansiedade e angústia geradas podem ser agonizantes.
  6. Não esperar que a outra família resolva os problemas: os problemas eventuais que surjam do divórcio são de responsabilidade dos pais e não dos cônjuges da segunda família.
  7. Atenção ao risco de suicídio: as pesquisas mostram que a taxa de suicídio é maior no caso de filhos de pais divorciados. Um profissional psicólogo pode ser de grande ajuda.
  8. Esperar efeitos duradouros.

Embora seja um fato lamentável, devemos usar de sabedoria para ajudar nossos filhos a enfrentarem essa situação da maneira menos dolorosa possível.

Espero que essas dicas sejam uteis também a você que é filho de pai separado, para que ao identificar-se com algum ponto mencionado, entenda que esse processo é doloroso, mas que existe ajuda possível e profissional para todos.

Um grande abraço a todos e até a próxima coluna.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 ideias sobre “Pais divorciados

  1. Por favor, orem por mim!
    Esse post parece que foi pra mim!
    Antes de ontem após uma briga minha com meu pai, minha mão interveio passando seu ponto de vista, um tempo depois, o ditador do meu pai disse a minha mãe que “a gente” acabou!
    Sou adventista de berço, não gostaria nem esperaria sofrer isso…
    Minha mãe o perdoou/compreendeu disse que ele esta muito nervoso ultimamente, mas ele segue frio em casa. Não fala mais comigo nem com minha mãe
    Não entendo como um pai pode parar de falar com um filho, nem faze-lo sofrer tanto assim por um motivo banal! Um real ditador !
    Por favor, orem por minha família!!!!!!!!

    • Olá, Anônimo,
      Já estamos orando por você. Infelizmente nosso mundo está infectado pelo pecado, mas temos esperança de restauração e cura em Cristo Jesus. Não se desgrude dEle nenhum momento, que ele vai te ajudar. “Todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus, segundo o seu propósito”. (Romanos 8:28).
      Ficamos felizes em saber que de alguma forma o ajudamos.
      Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *