O casamento deve ser honrado por todos (Hb 13:4)

By Jeanne Moura

Vou quebrar o protocolo e fazer um post um pouco mais pessoal. Hoje o Alberto e eu completamos 5 anos de casados! Uma amiga comentou no nosso Facebook: “Nossa, como passa rápido, parece que faz uns dois anos que vcs casaram!” É, eu concordo com a Ellen. O tempo passou muito rápido mesmo.

Esta é uma data que não pode passar sem ser celebrada. Neste mundo de relacionamentos descartáveis não são muitos que conquistam uma união tão duradoura. E a palavra é realmente essa, conquistar, porque mesmo em um casamento tão maravilhoso como o nosso existem vários obstáculos e perplexidades. O segredo, bem, nem é tão segredo assim, é se colocar nas mão de Deus diariamente. Só assim é possível prosseguir nessa caminhada…

By Jeanne Moura

Quero aproveitar o momento para falar de um assunto muitíssimo delicado, que eu nunca vi ser abordado em nenhum treinamento (e olha que eu já fui em muitos, rs): a influência da dedicação ao Clube no relacionamento conjugal. Quando eu era secretária conheci mais de um regional que teve de ser dispensado por não conseguir equilibrar o trabalho e o casamento. Num impasse desses, o departamental sabiamente o desligou do cargo para que ele desse a devida atenção à família. Mas a melhor solução não é essa, perdemos um regional, o melhor seria se o abençoado soubesse conciliar as coisas. Não foi possível. Então, entre o Clube de Desbravadores e o casamento, o correto é escolher o casamento.

Sim, não se assustem! O Evangelho é mais importante que os laços familiares. Você pode me dizer: mas lá no Jardim do Éden, Deus criou homem e mulher, e não homem e Clube de Desbravadores! O principal campo missionário do cristão é a sua própria casa! Já pensou a tristeza de um pai ou uma mãe que salvou várias crianças e adolescentes, mas não conseguiu salvar os próprios filhos? Isso pode acontecer se a família for deixada de lado, mesmo que por “um bom motivo”.

Como eu já disse no início, o melhor é o equilíbrio, dedicar-se ao Clube sem esquecer a família. Mas isso não é muito fácil, exige domínio próprio, organização e compreensão. Nesse post vamos dar ideias de como conseguir isso, algumas delas são da nossa própria experiência, outras de líderes mais capacitados e com mais anos de casamento que a gente.

A primeira dica é para quem ainda não casou. Na hora que você for escolher a moça ou o rapaz com quem vai se casar, cuide de verificar se ela ou ele compartilha dos mesmos objetivos e ideais de vida que você. Se você é louca por mato e seu namorado é um mauricinho que não vive sem chuveiro quente e cama macia, certamente você vai ter problemas. Isso também é julgo desigual!

Eu escolhi certo, minha esposa (o) é tão apaixonada (o) por desbravadores quanto eu, então estou livre de problemas? Claro! QUE NÃO!!! Sim, simples e direto. A dedicação do namoro precisa continuar (igual ou maior) para que o relacionamento continue igual.

Então se for assim, vai dar tudo certo? Ainda assim não dá para garantir. Para as mulheres, o fato de ter um filho muda tudo! Pode ser que no passado sua esposa era mais dedicada no Clube que você, e agora ela perdeu o interesse… Uma mãe vai querer dar o melhor de si ao bebê, entenda, respeite e, acima de tudo, APOIE isso. O filho é dos dois, se você papai for um apoio no cuidado e educação da criança, TUDO na vida vai ser mais fácil, inclusive o trabalho no Clube, seja dos dois ou só seu.

Mas nós não temos filhos e ainda assim meu cônjuge perdeu o interesse pelo Clube. É preciso entender que as coisas mudam, o momento da vida muda. E pode ser que os objetivos de curto prazo tenham mudado (uma pós-graduação, a preparação para um concurso…). Dependendo da sua compreensão nesse período, quando a situação específica passar o interesse pode voltar. Mas se esse período for de cobrança e discórdia, seu cônjuge pode ficar magoado e nunca mais querer retornar.

O melhor meio de todos para manter a harmonia no lar é tornar o cônjuge seu parceiro no Clube. Não precisa ser os dois regionais (inclusive os dois serem regionais de regiões diferentes é muito complicado, experiência própria!), pode ser um instrutor associado,  ou de ordem unida, ou ainda de especialidades manuais. Não importa o que, o importante é que os dois estejam juntos. São as pequenas vitórias do dia a dia que trazem beleza e união ao casamento.

Agora, se seu cônjuge não gosta mesmo do Clube, a única solução é ser bem criterioso com o tempo e demonstrar de todas as maneiras possíveis que o mais importante para você é o bem estar da família. O Clube é importante, mas fica em segundo lugar.

Para solucionar qualquer tipo de impasse, recorra à sabedoria de Deus. Estamos lendo todas as noites um capítulo de O Lar Adventista. Faz muita diferença! Os líderes mais velhos também podem ser procurados, geralmente eles passaram por situações semelhantes e podem nos dar sábias advertências.

Se os dois estiverem de acordo, andando no mesmo passo, é mais fácil caminhar nos trilhos dessa vida. Igual na foto…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *