Arquivos

E o mundo não acabou…

O fim do mundo estava marcado para ontem. Bem, você está lendo esse post agora, então é obvio que o mundo não acabou. Brincadeiras à parte, gostaríamos que parássemos um tempinho para pensar no que tudo isso significa e por que isso acontece. Quero ressaltar que não tenho as respostas, são só conjecturas, mas fazem muito sentido.

No fundo, no fundo as pessoas acreditam no sobrenatural. De uma forma ou de outra mesmo as pessoas que não acreditam em Deus ou rejeitam a religião acreditam em algo superior ou metafísico. Isso é sinal do vazio que existe em nosso ser que só pode ser preenchido por Deus. O desespero em ver um mundo em colapso faz com que todos sonhem com um rompimento dessa ordem mundial e a transformação em algo melhor. As pessoas querem uma esperança, na verdade, precisam de uma esperança. Quem não tem perde a motivação para viver, isso é fato.

O fim do mundo seria o fim do sofrimento. Aí se pode associar várias outras crenças como os extraterrestres, reencarnação ou refúgios nos quais será possível sobreviver ao fim. Fácil notar que não há sentido algum nessas teorias.

Podemos pensar que essas pessoas que criam nessas profecias são apenas loucos, mas são muito mais que isso, são agentes do demônio. E isso ocorre porque quanto mais falsas profecias houverem, mais difícil será para as pessoas acreditarem na verdadeira. O tema “o fim do mundo” vira piadinha televisiva, post em blog de humor e assunto de mesa de bar. Qualquer que seja a hipótese é contrária à solenidade que o assunto deve ser tratado.

A Bíblia é bem clara em dizer que não é possível saber nem o dia nem a hora da volta de Jesus (Mateus 25:13). Não haveriam pessoas enganadas se a Bíblia fosse pesquisada com afinco. Não foram muitos que realmente acreditavam que o mundo acabaria ontem, mas no futuro haverão falsos ensinos e sinais que serão realistas o suficiente para enganar até os escolhidos (Marcos 13:22). O pior é que cair em um engano desse tipo não vai significar apenas a zoação dos amigos na segunda-feira, e sim a perdição eterna.

Existe um único meio para não ser enganado: o estudo diligente da Bíblia. Só através da Bíblia é que podemos conhecer a vontade de Deus. É bom estudar livros religiosos? Sim, é, mas tudo tem que ser comparado exaustivamente com a Bíblia e se houver uma mínima discordância que seja, o destino deste livro deve ser o lixo!

O mesmo deve acontecer com os ensinos de pastores e pregadores, se não estiverem totalmente fundamentados na Bíblia não merecem crédito. Cada vez que você ouvir uma novidade é necessário estudar a Bíblia por si mesmo e em oração pedir a Deus que te mostre a verdade. Não é porque fazemos parte de uma denominação religiosa que estamos seguros, só há um meio de estar seguro (2 Crônicas 20:20). Repito, nada substitui o estudo diário da Palavra de Deus!!!

O verdadeiro preparo para os eventos finais está na fidelidade em buscar o verdadeiro conhecimento das escrituras. 

Faxina Anual

Hoje o Alberto e eu separamos o dia para realizar a faxina anual. Aquele dia de olhar todas as pastas e jogar fora os papeis que não servem, verificar os cosméticos vencidos, tirar o pó de cada cantinho e lavar tudo do chão ao teto… Ufa, é muito trabalho!

Agora que está tudo limpinho estou lembrando do tema da lição dessa semana: o ministério de Jesus no santuário celestial. O santuário aqui da Terra era um simples modelo do que existe lá no céu e todas as ordenanças praticadas eram símbolos de coisas que estavam por vir.

No santuário terrestre havia um “dia de faxina anual”, era o Dia da Expiação, realizado no décimo dia do sétimo mês. Levítico capítulo 16 e o Comentário Bíblico Adventista, v. 1, p. 834 – 844 discorrem sobre como era feita a expiação.

O sumo sacerdote passava a semana anterior ao Dia da Expiação em um profundo exame de coração. O povo também deveria se preparar.  Esse era o único dia em que o sumo sacerdote, e apenas ele, podia entrar no lugar santíssimo do tabernáculo/templo. O sacrifício do bode que simboliza Jesus e a posterior aspersão do sangue no lugar santíssimo simbolicamente purificava o santuário de todos os pecados ali depositados.

“O sangue do bode do Senhor oferecido no Dia da Expiação purificava o santíssimo, o santo e o altar do holocausto ‘das suas [de Israel]    transgressões, e de todos os seus pecados’ e ‘das impurezas dos filhos de Israel’ (v. 16 e 19).  O povo havia pedido perdão previamente dos mesmos pecados, quando no serviço diário havia apresentado os sacrifícios pessoais. O sangue era posto nos chifres do altar do holocausto e o penitente saía perdoado. Repetidamente afirma-se que ‘o sacerdote fará expiação por ele, no tocante ao seu pecado, e este lhe será perdoado’ (Lv. 4:26, 31, 35). No entanto, embora o pecado fosse perdoado, o registro do pecado permanecia até o Dia da Expiação, quando era ‘apagado’. Quando isso ocorria, havia reconciliação”. p. 841

Fico imaginando o povo de Israel aguardando o sumo sacerdote sair do lugar santíssimo. Aqueles eram momentos de muita tensão, ali era decidido o destino de cada um. Quem estivesse puro estaria salvo, quem não estivesse morreria. Por isso era necessária a preparação, qualquer mancha de caráter, qualquer pecado por menor que fosse que não estivesse confessado significaria a perdição.

Jesus é nosso sumo sacerdote, Ele é nosso intercessor no santuário celestial. Desde 22 de outubro de 1844 Ele está no lugar santíssimo, o procedimento do Dia da Expiação está em curso. Você já parou para pensar no que isso significa? Significa que no momento atual estamos vivendo esse dia de purificação. Sim, qualquer pecado não confessado pode significar a perdição eterna!!!

Ainda estamos no tempo de graça, Jesus ainda está intercedendo por nós, mas muito em breve Sua obra estará terminada. Veja o que acontecerá quando esse dia chegar:

“Cessa então Jesus de interceder no santuário celestial. Levanta as mãos e com grande voz diz: Está feito; e toda a hoste angélica depõe suas coroas, ao fazer Ele o solene aviso: ‘Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda’. Apoc. 22:11. Todos os casos foram decididos para vida ou para morte. Cristo fez expiação por Seu povo, e apagou os seus pecados. O número de Seus súditos completou-se; ‘e o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu’ (Dan. 7:27), estão prestes a ser entregues aos herdeiros da salvação, e Jesus deve reinar como Rei dos reis e Senhor dos senhores”. O Grande Conflito, p. 613-614

Quando esse dia chegar não haverá mais como mudar de lado. Jesus retornará em poder e grande glória!!! Que excelente notícia! Quando leio essa parte do livro fico até arrepiada, é apavorante e ao mesmo tempo maravilhoso. Precisamos manter em nossa mente quão solene é o tempo em que estamos vivendo. Se pensássemos mais nisso nossas atitudes e escolhas seriam as mesmas??? É bom pensar.

Vamos aproveitar esse final de ano para fazer uma faxina não só em nossa casa, mas também no nosso coração! 

 

Transformando sonho em realidade

“Viste o homem diligente na sua obra? Perante reis será posto; não permanecerá entre os de posição inferior”. Provérbios 22:29

Se você é do tipo que lê revistas e jornais, vai lembrar de ter visto a foto deste garoto. Capa da revista Veja há algumas semanas, esse menino é o queridinho do Brasil atualmente.

Nesta quinta, 22, ele foi empossado como autoridade máxima do Poder Judiciário brasileiro, presidente do Supremo Tribunal Federal.  Mas que grande novidade tem nisso? De 2 em 2 anos muda-se o presidente no STF e nem por isso a mídia faz todo esse estardalhaço. Acontece que todos gostam de histórias de superação, e a desse garoto é incrível, chega a ser um pouco parecida com a Dr. Ben Carson, que vimos no post de ontem.

O garoto Joaquim veio de uma família bem pobre. Ele estudou no Elefante Branco, escola pública do Distrito Federal, e teve que trabalhar duro durante o seu ensino médio para conseguir ser alguém na vida. O tempo passou e seu esforço deu frutos. Ele estudou na Inglaterra, nos Estados Unidos, na Áustria e na Alemanha, e tem fluência em francês, inglês e alemão. E agora, aos 58 anos, ele chega ao STF. Se você quiser conhecer mais da sua biografia, você pode ver AQUI.

Assim como as outras pessoas, gosto dessas histórias, pois elas nos inspiram a não nos contentarmos com o pouco. Tudo bem se eu tenho que estudar numa escola pública, tudo bem se eu tenho que trabalhar e estudar, mas como está escrito no livro de Provérbios, quem for diligente em seu trabalho, será colocado diante das autoridades, não permanecerá trabalhando entre os de posição inferior.

A Bíblia está cheia desses exemplos: José, Daniel, Isaías… Todos três, homens valorosos e honestos que venceram a origem humilde e conquistaram, com seus méritos e a graça de Deus, altas posições.

Com cada um de nós pode ser assim também. Deus tem um sonho para cada um de nós e Ele vai fazer todo o possível para realizá-lo, mas dependendo das escolhas que fazemos, esse sonho pode atrasar, como o povo de Israel atrasou 40 anos, ou ele pode nunca acontecer.

A cada dia devemos consultar a Deus para saber quais são os Seus planos para a nossa vida e então, de posse da instrução divina, trabalhar duro para alcançar o objetivo. De uma coisa você pode ter certeza, você não pode contar com a sorte para ter sucesso na vida, muitas vezes nos queixamos de falta de oportunidades, mas elas estão lá, é só saber procurar!

Capelania e evangelismo

Olá! Seja bem-vindo!

Esta sessão foi criada para partilhar com você algumas ideias e experiências que podem ser úteis em suas atividades como capelão ou líder espiritual de seu Clube.

Pense como alguns textos bíblicos que passam rapidamente por nossos olhos durante o ano bíblico podem se aplicar a situações diárias quando paramos para refletir neles. Jó 6:6 é um desses textos: “Comer-se-á sem sal o que é insípido, ou haverá sabor na clara do ovo?”.

Há algumas coisas que não suportamos comer sem sal. Pipoca, por exemplo. Ninguém merece comer pipoca sem sal! Agora, clara de ovo é o fim! A não ser por receitas “médico-nutricionais” do tempo da vovó, ninguém se aventura a comer clara de ovo sem prepará-la e temperá-la com sal. É sem graça e até insuportável, quase uma tortura!

O mesmo ocorre com a vida religiosa de nossos juvenis e adolescentes, seja em programas específicos dentro da Igreja ou em atividades do Clube. Se não colocarmos um “tempero”, adaptando a transmissão e interiorização dos valores bíblico-espirituais através de uma metodologia apropriada para a faixa etária e os diferentes estilos de aprendizagem, podemos estar oferecendo algo destituído de significado para a vida deles ou, na pior das hipóteses, “torturando” aqueles que Deus colocou sob nosso cuidado. Isso é tudo o que não queremos.

Então, é isso! Esperamos que você aproveite o que compartilharmos aqui e que o Senhor seja honrado pelas atividades espirituais devidamente planejadas para seus desbravadores.

Maranata!

Nota: Para conhecer o perfil de Geraldo Beulke, acesse a página da nossa Equipe!

Eliminando os hiperônimos

No mundo globalizado em que vivemos, temos a tendência de não termos tempo para as coisas que realmente são importantes. Passamos tantas horas focados em trabalho, estudo e outros planos para desfrutar de um futuro melhor, que acabamos por esquecer de desfrutar dos momentos presentes.

Com certeza você já ouviu que “passamos a vida gastando a saúde em busca de um futuro melhor, e quando chegamos no ‘futuro melhor’, não podemos desfrutá-lo porque perdemos nossa saúde”.

Justamente por estarmos inseridos nesta correria global, deixamos o relacionamento interpessoal adequado de lado. Passamos pelo mesmos lugar todos os dias, vemos as mesmas pessoas e não sabemos quem elas são… Ou pior, às vezes chegamos a não saber quem são de verdade nossa família, amigos, vizinhos, colegas de trabalho ou outros, porque não tiramos tempo para prestar a eles um pouco de atenção e desenvolver um relacionamento individual com cada um.

Esta semana, enquanto revisava  semântica, comecei a refletir em como os hiperônimos são comuns em nossa vida. Muitos devem estar se perguntando: o que são hiperônimos? Vamos à definição então: segundo o dicionário Priberam, Hiperônimos [Linguística] são palavras que, em relação a outra ou outras com significado mais específico, tem um significado mais geral ou abrangente (ex.: flor é hiperônimo de rosa). Para facilitar, vamos entender o que são hipônimos. Estes têm sentido mais restrito que os hiperônimos, ou seja, hipônimo é um palavra mais específica. Por exemplo: rosa, violeta e margarida são hipônimos de flor.

Agora que você já viu as definições, por que digo que nossa vida está lotada de hiperônimos? Reflita um pouco sobre como somos propensos a rotular os grupos pelos seus hiperônimos, por exemplo: os desbravadores (no lugar do(a) João, Pedro, Carla, Ana e etc…), os irmãos da Igreja (no lugar do(a) irmão(a) Marcos, Pablo, Beatriz, Rute e etc…), os colegas de trabalho, os vizinhos, os vendedores, os gerentes, os motoristas…

Esquecemos que por trás de todas estas titulações estão indivíduos, que às vezes precisam de nossa atenção, cuidado, afeto, compressão ou simplesmente de um amigo. No que diz respeito ao contexto do nosso grupo em especial, que são os desbravadores, temos que nos comprometer mais em fazer parte da vida de cada juvenil e adolescente dos nossos Clubes. É muito fácil chegar a uma reunião do Clube e começar a falar: atenção desbravadores; unidade “x” ou “y” façam suas atividades; conselheiros não esqueçam suas responsabilidades; instrutores deem suas instruções adequadamente. Com todos estes hiperônimos, esquecemo-nos dos hipônimos, não a palavra em si, mas os indivíduos por trás de cada um destes grupos.

O papel que temos como líderes é trabalhar com todo o grupo e fazermos com que cada um descubra seu papel dentro da equipe, mas não podemos ser negligentes em relação ao convívio pessoal. Apesar de lideramos um grupo, cada indivíduo deste grupo precisa perceber que ele é importante e que pode contar conosco em todos os momentos.

Neste século a grande tendência das pessoas é se tornarem individualistas e focarem apenas em seus problemas, suas necessidades, suas frustrações, suas conquistas e muitas vezes deixam de ser um instrumento para a felicidade e bem-estar dos outros. Existem pessoas sucumbindo à nossa volta, e o que fazemos? NADA, simplesmente continuamos andando pensando em como lidaremos com nossas preocupações. É natural pensarmos em nós, mas é importante desenvolvermos empatia pelas pessoas, relacionarmo-nos com elas e demonstrar que não estamos sozinhos em uma ilha. Uma coisa é certa: os relacionamentos não só beneficiam o outro, mas a nós também.

O maior exemplo que temos é de um Ser que tinha tudo para tratar este insignificante planeta como apenas mais um e destruí-lo completamente após sua rebelião: Jesus!  Mas Ele fez justamente o oposto, tratou-nos com exclusividade, deixou toda sua gloria e veio a este insignificante planeta para que você, o Alberto, a Éveni, o Mateus, a Samira, o Denis, o Jônatas, o Geraldo, a Tânia, o Gabriel, a Maria, a Elisama, a Alice, a Gisele, eu, enfim todos pudéssemos ter a oportunidade de salvação.

O mais lindo de tudo isso é que Deus não apenas deu uma ordem e consertou tudo, Ele relacionou-se conosco, viveu entre nós, comeu com a gente, deu atenção, carinho e se sacrificou por nós.  Apesar de ter morrido por todos (hiperônimo), Ele se relaciona com cada um individualmente (hipônimo), para que cada um se sinta amado e importante.

Vamos fazer um compromisso? Tente este final de semana deixar os “hiperônimos” um pouco de lado, principalmente porque muitos estão sensíveis em lembrança ao dia dos finados, que foi ontem. Pratique o hipônimo dos grupos que você está inserido e você verá que por trás de cada rótulo existe uma pessoa que, acima de qualquer circunstância, precisa ser amada.

Faça o teste e depois compartilhe conosco suas experiências! Poderemos então fazer outro post, mostrando os resultados destes novos relacionamentos.

A estranha estratégia de Deus

Você viu ontem na seção Recomendamos o livro Cristianismo puro e simples. Para aguçar ainda mais a curiosidade de vocês, além de demonstrar um pouco mais porque esse livro é tão interessante, quero colocar aqui um pequeno trecho:

Um território ocupado pelo inimigo – assim é este mundo. O cristianismo é a história de como o rei por direito desembarcou disfarçado em sua terra e nos chama a tomar parte numa grande campanha de sabotagem. Quando você vai à Igreja, na verdade vai receber os códigos secretos mandados pelos nossos amigos: não é por outro motivo que o inimigo fica tão ansioso para nos impedir de frequentá-la. (p. 60).

Por que Deus quis entrar sob disfarce nesse mundo ocupado pelo inimigo, fundando uma espécie de sociedade secreta para minar o demônio? Por que não invade o território com força total? Será que Ele não é forte o suficiente? Bem, os cristãos acreditam que Deus vai utilizar a força total; apenas não se sabe quando. Mas podemos adivinhar o porquê do atraso. Agindo assim, Ele nos dá uma chance de aderirmos à Sua causa livremente […] É certo que Deus vai invadir, mas não sei se as pessoas que pedem que Deus interfira aberta e diretamente em nosso mundo sabem exatamente o que estão pedindo. Quando Ele fizer isto, será o fim do mundo. Quando o autor sobe ao palco, é porque a peça já terminou.

A invasão divina vai acontecer, não há dúvidas quanto a isso; mas o que vamos ganhar se só então anunciarmos que estávamos do lado dEle? De que nos valerá isso quando o universo se dissolver como um sonho e algo até então inconcebível para a nossa mente sobrevier como estrépito – algo tão magnífico para alguns e tão terrível para outros? De que isso nos valerá quando não pudermos mais escolher? Dessa vez, Deus se apresentará sem disfarces, e virá com tamanho poder que causará, em cada criatura, um amor irresistível ou um irresistível horror. Será tarde demais, então, para escolher um dos lados. Quando não é mais possível ficar em pé, de nada adianta você dizer que decidiu ficar deitado. Aquele não será o tempo das escolhas, mas sim da revelação do lado a que pertencíamos, tivéssemos consciência disso ou não.

Hoje, agora, nesse momento, temos a oportunidade de escolher o lado correto. Deus tarda a aparecer para nos dar essa chance, que não durará para sempre, é pegar ou largar. (p. 87-88).

Depois de uma verdade tão contundente apresentada com argumentos tão claros e incisivos, não me resta muitas outras palavras a acrescentar. Apenas sugiro que você reflita cuidadosamente nessas palavras, é a mais completa realidade.

Este é um bom texto para ser lido para os desbravadores da classe de Guia, essa é uma fase de escolhas e o texto mostra com uma linguagem bem acessível a urgência de escolher ficar do lado correto. Como Lewis diz: “é pegar ou lagar”!

Semana de Oração Jovem 2012

A cada ano, uma semana é dedicada a comunidade jovem adventista, família e amigos para oração. Na maior parte das congregações adventistas sul-americanas são apresentadas mensagens bíblicas com ênfase para os jovens. Em 2012, o tema geral será Escolhas  para baixar os materiais de divulgação, clique abaixo.

? Cartaz

? Sermonário com ideias e dicas para dinamizar a programação.

A Semana de Oração Jovem desse ano vai acontecer nas igrejas de 14 a 21 de julho. Uma semana antes, de 7 a 14 de julho, mais uma vez serão veiculadas mensagens especiais por TV e web apresentadas através dos canais da Novo Tempo. Quem vai falar pela TV nesse ano é o pastor Ivan Saraiva, apresentador dos programas Está Escrito e Está Escrito Adoração.

Semana Jovem 2012 - Escolhas

Será possível assistir, portanto, ao programa especial pela TV Novo Tempo (SKY e sinal aberto e mais de 500 cidades brasileiras às 21 horas – horário de Brasília) ou pelo Canal Executivo (parabólica ou pela web às 20 horas – horário de Brasília) de 7 a 14.

Outras informações sobre o programa diretamente com o Ministério Jovem de cada congregação adventista local. 

Fonte: [Equipe ASN, Felipe Lemos]

Cartão de registro da classe bíblica

A classe bíblica é um programa indispensável do Clube de Desbravadores e deve ser executada todos os anos em todos os Clubes.

Às vezes, muitas dificuldades são encontradas para que os desbravadores compareçam às lições, principalmente se forem aos sábados.

Para ajudar a sanar este problema e ajudar o Clube a manter um controle melhor de quem está ou não participando, a União Centro-Oeste Brasileira publicou esta semana um cartão para acompanhamento da classe bíblica.

É um cartão simples, atrativo e simples de usar. Clique AQUI para baixar e comece a usar a partir da próxima reunião!


Lançamento da Classe Bíblica

Amanhã será o lançamento oficial da Classe Bíblica para as áreas de Aventureiros, Desbravadores, Jovens, Universitários e Juvenis. Será às 16h com reprise às 17h (horário de Brasília) pelo Canal Executivo – http://novotempo.com/canal-executivo/.

Esse treinamento é muito importante para toda a liderança, portanto não deixe de participar. Convide toda sua equipe.

Para baixar o estudo bíblico deste ano, disponibilizado pela DSA, clique AQUI.

Lamentações é um livro profético ou poético?

Essa foi uma dúvida que sempre tive desde a classe de Amigo. Já achei em vários lugares e ouvi de várias pessoas as 2 versões, alguns defendem que ele Lamentações é um dos profetas maiores e outros defendem que é poético. O grande problema é que não sabíamos em quais fontes confiar…

A líder Cristina Silva, diretora associada do Clube Alpha Centauro (APlaC), enviou um email à Sociedade Bíblica do Brasil para obter uma resposta. Agora sim temos um esclarecimento com referências de qualidade, confiram:

Lamentações é, claramente, um livro poético, apresentando inclusive a estrutura de um acróstico ou poema alfabético. Esse dado aparece em praticamente todas as introduções ao livro, inclusive as que se encontram em Bíblias de Estudo.

Outra informação que aparece em livros de introdução à Bíblia é que o livro foi colocado logo após (ou à sombra de) Jeremias quando da organização do cânone da tradução grega da Septuaginta. Essa mesma colocação foi perpetuada na Vulgata latina. (Como a Septuaginta foi preservada e organizada por cristãos, pode-se dizer que essa colocação ao lado de Jeremias teve origem cristã). Estando ao lado de Jeremias, tem-se a impressão de que o livro é profético, o que não é correto.

Na verdade, no cânone judaico (representado na Bíblia Hebraica), o livro não é nem visto como poético, pois esta categoria não existe na Bíblia Hebraica. Ali, Lamentações é um dos cinco rolos (Megilloth) que fazem parte da terceira divisão do cânone, a saber, dos Escritos (Kethuvim). Dos cinco rolos, Lamentações é o terceiro, sendo que a sequência é esta: Cântico dos Cânticos, Rute, Lamentações, Eclesiastes, Ester.

Isto parece complicar a situação, mas é assim que é, na Bíblia Hebraica. Para simplificar, e respondendo diretamente a sua pergunta: Lamentações não é um dos profetas maiores; em nossa classificação (que se vale dos conceitos “livros históricos”, “livros proféticos”, “livros poéticos”), Lamentações é livro poético. (Note, também, que o próprio livro não afirma a autoria de Jeremias.)

Quanto a fontes confiáveis, percebo que isso não é, em geral, descrito com muitas palavras, nem mesmo em livros mais elaborados de Introdução à Bíblia. Isso aparece como que nas entrelinhas ou na maneira como os autores organizam o livro de introdução à Bíblia. Por exemplo, o livro de R. K. Harrison (vou dar os detalhes abaixo) adota a sequência da Bíblia Hebraica (na apresentação dos livros bíblicos) e, com isso, separa e afasta Lamentações do livro de Jeremias. Na sua explicação do livro, ele o descreve como um conjunto de poemas. Isto significa, para mim, que o livro não é parte dos profetas maiores, e que é poético (embora Harrison não diga isso “com todas as letras”).

A referência é esta: R.K. Harrison, Introduction to the Old Testament with a comprehensive review of Old Testament Studies and a special supplement on the Apocrypha. Grand Rapids: Eerdmans, 1977, p. 1065-1071. (A questão do gênero poético aparece nas primeiras páginas: 1065-1067.)

Dr. Vilson Scholz

Consultor de Traduções – SBB

Agora que já sabemos a resposta, vamos ensinar corretamente aos nossos desbravadores, combinado?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...