Arquivo | março 2013

Faça você mesmo: saco estanque

Saco estanque

Primeiramente, o que são sacos estanque? Com certeza alguém já passou (ou conhece alguém que tenha passado) pela desagradável situação de levar algo que precisava ficar seco pra um acampamento e a chuva ou a travessia de um rio frustrou esse plano. Os sacos estanques servem justamente pra isso, manter secos os materiais que estão dentro dele, evitando que coisas importantes sejam molhadas na mochila, trazendo prejuízo, desconfortos ou até riscos (por exemplo, um saco de dormir molhado). Como esses sacos são um pouco caros (alguns são muito caros), algumas pessoas utilizam sua criatividade e experiência para fazer o próprio saco estanque.

Abaixo temos um modelo bem simples de fazer, retirado do site Ciclorgânico.

Materiais:
Tesoura
Silvertape
Saco plástico resistente
Fechos para mochila
Faixa
Isqueiro

1 – Corte a faixa num tamanho que seja duas vezes a largura do saco + 10cm

2 – Queime a ponta da faixa para não desfiar

3 – Coloque as pontas no meio e o fechos nas extremidades

4 – Deixe cada fecho a uma distância de quase 2cm para o saco plástico

5 – Una as pontas da faixa com silvertape (ou costure-as)

6 – Faça um corte medindo aproximadamente 3 vezes a largura da fita em ambos os lados da boca do saco

7 – Enrole a faixa até onde existir o corte e depois faça uma “bainha” com a fita

8 – Faça a “bainha” em toda a extensão da boca do saco

9 – Para usar, basta enrolar a boca do saco e prender os fechos

No site  Trilhas do Mar tem um modelo mais resistente, com outros materiais, que exige um pouco mais de dedicação e habilidade.

Faça o seu e nos diga o que achou!

 

Qualidades de um líder

Hoje estamos iniciando uma nova série de posts na seção Liderança. Quem está nos ajudando é nossa nova colaboradora Andressa Fróis. Clique AQUI e conheça agora mesmo um pouco de sua história!

Sabemos que um líder deve desenvolver características a fim de crescer cada dia. Vamos apresentar, ao longo das próximas semanas, exemplos positivos e negativos de 21 qualidades que todos os líderes devem desenvolver.

1ª qualidade – ATITUDE POSITIVA

Exemplo positivo e negativo – Números 13

O povo de Israel tinha se aproximado do rio Jordão, então Deus mandou Moisés escolher um líder de cada tribo para ir espiar a terra de Canaã. Após 40 dias, os espias retornaram com um relatório. Sabemos que os 12 passaram pelas mesmas experiências, entretanto, as conclusões tiradas por Josué e Calebe se diferenciaram drasticamente das dos outros 10.

O motivo pelo qual os 10 espias apresentaram uma atitude negativa é porque em nenhum momento eles lembraram que Deus estava atuando, eles viram que a terra era boa e de fato manava leite e mel, porém, eles não confiaram em Deus

Nós encontramos 3 semelhanças nesta história:

  • Todos os 12 eram líderes;
  • Todos os 12 receberam a mesma promessa;
  • Todos os 12 receberam as mesmas oportunidades.

O que fez a diferença foi a atitude da maioria e da minoria:

Maioria

  • Desobedeceram a Deus;
  • Concluíram que a terra não tinha futuro;
  • Demonstraram covardia baseada no medo;
  • Ignoraram Deus no seu relatório.

Minoria

  • Obedeceram a Deus;
  • Insistiram que deviam entrar e possuir a terra;
  • Demonstraram coragem baseada na fé;
  • Viram-se relacionados com Deus.

Uma pessoa só pode tornar-se um líder eficiente quando desenvolve uma atitude positiva. Este deve ser um dos primeiros passos para uma liderança eficaz.

Os seguintes axiomas de atitude podem ser tirados desta história, pelo exemplo de Calebe e Josué:

  1. Nossa atitude determina nossa visão de vida;
  2. Nossa atitude determina nosso relacionamento com as pessoas;
  3. Nossa atitude, muitas vezes, é a única diferença entre o sucesso e o fracasso;
  4. Nossa atitude no começo de uma tarefa afetará mais o resultado do que qualquer outra coisa;
  5. Nossa atitude pode transformar problemas em bênçãos;
  6. Nossa atitude pode nos dar excepcional perspectiva positiva;
  7. Nossa atitude não é automaticamente boa só porque pertencemos a Deus.

2ª qualidade – AUTODISCIPLINA

Exemplo positivo – Números 33

Não existe liderança eficiente sem autodisciplina, devemos aprender a liderar nós mesmos antes de liderar os outros. O motivo pelo qual os Israelitas vagaram 40 anos no deserto foi porque eles não estavam prontos para receber as bênçãos de Deus.

5 pontos fundamentais para o desenvolvimento da autodisciplina:

  1. Desenvolva e siga suas prioridades: Não existe ou existiu um líder que não foi pressionado pelo tempo, entretanto, a diferença entre o sucesso ou não está no fato de a pessoa ter um plano. A chave para o sucesso é determinar o que de fato é prioridade e libera-se do resto.
  2. Faça do estilo de vida disciplinado o seu alvo: Engana-se quem pensa que a autodisciplina pode ser um acontecimento momentâneo na sua vida, ela deve tornar-se um estilo de vida. Para que isso ocorra o líder deve desenvolver rotinas em áreas importante no seu crescimento a longo prazo.
  3. Desafie as suas desculpas: não deixe na sua vida costumes que você pode usar como desculpas para não ser autodisciplinado, essas atitudes são barreiras para o sucesso.
  4. Adie recompensas até que tenha concluído as tarefas: “Nos negócios, é preciso fazer diferença entre vagabundos e trabalhadores, porque, se ambos forem recompensados do mesmo modo, logo descobrirão que têm muito mais dos primeiros do que dos últimos”. Mike Delaney.
  5. Mantenha foco nos resultados: Um ponto crucial para o desânimo é criar o hábito de olhar para as dificuldades que o trabalho apresenta e esquecer dos resultados. Devemos olhar para uma tarefa e focar nos benefícios que ela apresenta.

Exemplo negativo – Juízes 16

Não é pelo fato de alguém ser disciplinado que ele automaticamente se tornará um líder, entretanto, ninguém se torna líder sem esta característica. As pessoas esperam que um líder tenha as seguintes características:

  • Caráter
  • Competência
  • Compaixão
  • Comprometimento
  • Sentir-se ligadas
  • Contrição
  • Confiança
  • Coragem
  • Convicção

3ª qualidade – CARÁTER

Exemplo positivo – Daniel 2

Daniel foi um exemplo de como a vida particular afeta a vida pública. O caráter de um líder é revelado na maneira como ele administra os acontecimentos de sua vida. Diante de um acontecimento o líder deve escolher entre dois caminhos: caráter ou concessão. O caráter é a base de uma liderança eficaz, as pessoas só seguem um líder que transmite confiança, credibilidade, respeito e persistência e todas estas características só são desenvolvidas pelo caráter.

Exemplo negativo – Atos 12

Herodes deixou o ego dirigir sua vida, ele foi um exemplo de como a falta de caráter afeta a vida de um líder. Ele nos dá exemplos de atitudes que um líder não pode ter:

  • Maltratar as pessoas
  • Tomar decisões pensando no eu
  • Agir de maneira irracional
  • Ódio
  • Projetar uma imagem falsa
  • Deixar o ego falar mais alto

Para melhorar o nosso caráter você deve:

  • Encontrar seus pontos fracos;
  • Ter amigos que possam lhe ajudar;
  • Encarar a realidade;
  • Estar disposto a aprender.

4ª qualidade – CARISMA

Exemplo positivo – Atos 2

O Espírito Santo tinha descido sobre os que criam. O cenário parecia um caos, pois muitos achavam que os discípulos estavam bêbados, outros ficaram confusos e outros acreditavam. A situação mudou quando Pedro começou a falar. Devido à junção de carisma + derramamento do Espírito Santo, ele conseguiu cativar as pessoas naquele dia.

Muitas pessoas pensam que o carisma não pode ser adquirido, isso não é verdade. Carisma é a habilidade de conduzir as pessoas para si mesmo e para sua causa.

No grego a palavra charisma significa “dom”. Sabemos que Deus dá porções diferentes para cada um. O líder deve se dedicar aos outros.

As seguintes características podem ajudar a pessoa a se tornar mais carismática:

  • Amar a vida;
  • Reconhecer as qualidades das pessoas;
  • Dar esperança para as pessoas;
  • Doar-se aos outros.

Exemplo negativo – 1 Reis 19-22

Acabe e Jezabel não tiveram carisma, eles manipulavam as pessoas a fim de conseguir o que queriam.

O carisma só é desenvolvido quando se pensa nos outros. Características que um líder não pode ter:

  • Orgulho
  • Insegurança
  • Mau humor
  • Egoísmo
  • Cinismo

Fonte: Bíblia da Liderança Cristã. Versão Almeida Revista e Atualizada, com notas e artigos de John C. Maxwell.

Testamos

Conjunto Tent Kit Coleman

É composto composto por 4 estacas de aço de 25 cm cada, garantindo uma noite tranquila de sono, onde sua barraca não sairá voando no meio da noite! Um martelo com cabeça de borracha – assim você não precisará usar as mãos ou mesmo procurar algo pesado como pedras, para pregar suas estacas. Não machuque suas mãos e dedos na hora de retirar as estacas – está incluso também ao kit um saca-estacas, facilitando ainda mais seus trabalhos. Não deixe de acampar por causa de uma barraca suja.. Use a escovinha com pá para limpar e deixar tudo em ordem. Finalmente, tenha tudo isso em mão com uma conveniente bolsa respirável de transporte.

O Tent Kit Coleman, pode ser encontrado em lojas de materiais de camping e pesca.

Esse é um kit bem simples, mas bastante  útil para um acampamento e ocupa pouco espaço. Justamente por essa simplicidade, é possível montar um kit similar a este gastando pouco: a escovinha e pá podem ser encontradas em supermercados e lojas de utilidades para o lar, as estacas e o saca estaca podem ser confeccionados em serralherias ou mesmo e o martelo pode ser encontrado em lojas de ferragens e materiais de construção. A bolsa respirável também é simples de ser confeccionada.

Como o vaga-lume emite sua luz?

Microphotus angustus (Lampyridae) – por Debbi Brusco

Os vaga-lumes, devido a sua emissão de luz, são um dos seres mais fascinantes da natureza – e podem ser estudados para o benefício humano. É o que vem fazendo o biólogo molecular Vadim Viviani, docente do Departamento de Biologia do Instituto de Biociências (IB) da UNESP, campus de Rio Claro. “É importante preservar os vaga-lumes para manter o equilíbrio do meio ambiente, e também para investigar a sua luz e aplicá-la para fins biotecnológicos e biomédicos”, afirmou Viviani, que também é conselheiro científico da Sociedade Internacional de Bioluminescência e Quimioluminescência.

Viviani explica que a emissão de luz realizada pelo vaga-lume é chamada de bioluminescência e visa a comunicação biológica. Ela é feita por certas espécies de insetos, algas, peixes, bactérias, fungos, celenterados, anelídeos e artrópodes, sendo os vaga-lumes os mais conhecidos. Existem, ao redor do mundo, aproximadamente duas mil espécies de vaga-lume, das quais cerca de 500 podem ser encontradas no Brasil, o país de maior diversidade destes insetos. “Estima-se que outras duas mil espécies não descritas estejam ainda para ser descobertas em nossas matas”, afirmou o biólogo.

A reação de produção de luz pelos vaga-lumes ocorre na presença de uma enzima chamada luciferase, cuja estrutura é o objeto da pesquisa do Grupo de Bioluminescência e Luciferases do Laboratório de Bioquímica e Biologia Molecular do IB, financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). “Analisamos a estrutura e a função enzimática das luciferases com a finalidade de descobrir como essas enzimas produzem a luz e por que resultam em diferentes cores”, diz Viviani.

A luz é produzida quando a molécula de luciferina é oxidada por oxigênio na presença da ATP (adenosina trifosfato) e da enzima luciferase, perdendo sua energia em forma de luz, e não de calor. “Por isso a luz produzida é chamada de luz fria”, explica o docente do IB. Os pesquisadores fazem a clonagem do material genético das luciferases e a inserção deste material em bactérias e mutações genéticas, sempre com o objetivo de obter enzimas com propriedades diferentes. “O grupo também investiga diversidade e ecologia de espécies de vaga-lumes da Mata Atlântica e outros ecossistemas brasileiros”, conta o docente do IB.

Os genes das luciferases podem ser utilizados como biomarcadores luminosos, já que, ao serem transferidos para uma bactéria, esta fica iluminada. “Quando a bactéria adquire luz, é possível acompanhar a sua progressão dentro do organismo”, explica Viviani. “Esse procedimento já é utilizado para testar o funcionamento de medicamentos, para detectar se há contaminação bacteriana em alimentos e para mostrar a evolução de células cancerígenas em modelos animais, visando encontrar novas terapias para o ser humano”, afirma.

Lampyridae – Fonte: BugDreams

Apesar de sua importância para o equilíbrio ecológico e para estudos na área de biotecnologia e biomedicina, os vaga-lumes estão desaparecendo. As principais causas são a poluição, o desmatamento e o aumento da presença de luzes artificiais em áreas onde, antes, os vaga-lumes se localizavam. “O vaga-lume utiliza a própria luz para encontrar seu parceiro sexual. Quando há um aumento das luzes artificiais, ele não consegue enxergar a luz do sexo oposto e não consegue se reproduzir. A continuidade da espécie fica, então, comprometida”, conclui.

Os vaga-lumes são besouros e podem ser classificados em três famílias: os lampirídeos, ou pisca-pisca, que têm estágio larval de cerca de um ano, no qual se alimentam de caramujos, e fase adulta, que dura apenas um mês; os elaterídeos, conhecidos como besouros tec-tec, cuja larva, que se alimenta de insetos, dura até dois anos, e o adulto até dois meses; e os fengodídeos ou larvas trenzinho, que são os vaga-lumes mais raros. Estes últimos, encontrados apenas na América do Sul, além de produzirem luz verde-amarelada por fileiras de lanternas ao longo do corpo, são os únicos que produzem luz vermelha, localizada na cabeça. A larva, que se alimenta de piolhos-de-cobra, dura dois anos e o adulto, em média, uma semana. “Estes resultados correspondem aos insetos criados em laboratório”, esclarece Vadim Viviani, do Instituto de Biociências (IB) da UNESP, campus de Rio Claro.

As famílias de vaga-lumes podem utilizar sua luz para diversas funções. Todas a emitem, principalmente, para atrair parceiros sexuais. O trenzinho e o besouro tec-tec a utilizam também para assustar predadores – emitindo um sinal improvisado – e as larvas do último, emitindo luz contínua, ainda podem usá-la para atrair uma presa. “As larvas de algumas espécies de besouros tec-tec infestam cupinzeiros da região central do Brasil, os quais ficam repletos de centenas de pontos luminosos, dando a aparência de prédios iluminados durante a noite”, comenta o docente do IB. De um modo geral, as cores das luzes dos vaga-lumes variam do verde-amarelado ao vermelho. “Apenas poucas espécies de trenzinho são capazes de produzir luz vermelha e as larvas de alguns mosquitos, encontrados em regiões temperadas, produzem luz azul”, conclui Viviani.

Fonte: Portal UNESP

Se o vaga-lume produzisse apenas a luciferase, não emitiria luz. Se produzisse apenas a luciferina, também não emitiria luz. É necessária a produção das duas substâncias para que o fenômeno de bioluminescência nos vaga-lumes aconteça. Outra coisa interessante é que a luz produzida tem função vitais para esses animais (atrais parceiros sexuais, espantar predadores e atrair presas), portanto sem a bioluminescência a continuidade da espécie ficaria comprometida, como afirma o trecho que eu destaquei. Essas coisas nos indicam a existência de um projeto e, consequentemente, um Projetista por trás do vaga-lume.

Especialidade de Insetos: preparando a instrução

Esta especialidade é uma fascinante introdução ao estudo dos insetos e o objetivo deste post é auxiliá-lo na preparação desta especialidade para ser ensinada para seus desbravadores da melhor maneira possível.
  1. Objetivos
    1. Caracterizar os insetos e diferenciá-los de outros animais. (requisito 1)
    2. Caracterizar algumas das principais ordens de insetos. (requisito 2)
    3. Relacionar os insetos com outros seres vivos, explicando a importância dos insetos, com exemplo de, pelo menos, cinco insetos úteis e cinco insetos prejudiciais. (requisitos 3 e 4)
    4. 4. Mostrar que alguns insetos podem ser benéficos quanto prejudiciais, dependendo da situação. (requisito 5)
    5. Apresentar trechos da Bíblia em que os insetos tiveram papel importante. (requisito 6)
  2. Materiais
    1. Coleção de insetos (caso possua ou conheça alguém que possua);
    2. Fotografias e imagens de insetos representando diferentes ordens;
    3. Fotos de insetos mostrando utilidade e prejuízo (por exemplo: abelha polinizando uma flor, mosquito picando uma pessoa, etc);
    4. Textos bíblicos sobre insetos e, se possível, ilustrações dos textos.
  3. Vídeo interessante
    1. Os insetos e o homem – o vídeo pode ser utilizado como revisão da especialidade, caso necessário. (Obs.: o vídeo apresenta alguns dados sob o ponto de vista evolucionista).
  4. Trabalhos
    1. Apresentar um trabalho contendo desenhos, pinturas, recortes ou fotografias de 20 insetos diferentes, representando pelo menos seis ordens diferentes, com nome da ordem e nome científico. (requisito 1)
    2. Pesquisar três insetos que podem ser úteis em algumas situações e prejudiciais em outras. (Trabalho extra com o objetivo de entender que mesmo alguns insetos prejudiciais podem ser úteis e insetos úteis podem ser prejudiciais)
  5. Metodologia
    1. 1º Encontro
      1. Atividade introdutória: realizar uma atividade diagnóstica sobre o conhecimento prévio dos desbravadores sobre o tema, por meio de algumas perguntas ao grupo. Anotar as respostas em um quadro e comparar ao final da aula.
        • Elenque 20 insetos, no mínimo.
        • Que características você conhece sobre os insetos? Estas são comuns a todos os insetos de sua lista?
      2. Dar a aula sobre os objetivos 1 e 2.
      3. Explicar o trabalho 1 e passar para casa.
      4. Duração: 30 min.
    2. 2º Encontro
      1. Atividade introdutória: realizar uma atividade diagnóstica sobre o conhecimento prévio dos desbravadores sobre o tema, por meio de algumas perguntas ao grupo. Anotar as respostas em um quadro e comparar ao final da aula.
        • Qual a importância dos insetos para a natureza e para o homem? Os insetos são prejudiciais ou benéficos?
      2. Fazer uma revisão sobre a instrução anterior.
      3. Dar a aula sobre os objetivos 4 e 5.
      4. Explicar o trabalho 2 e passar para casa.
      5. Duração: 30 min.
    3. 3º Encontro
      1. Receber os trabalhos
      2. Aplicar a prova

Para ver fontes confiáveis para responder a especialidade e preparar a aula, sugerimos a leitura do post Especialidade de Insetos: aprendendo a pesquisar.

Clique aqui para baixar este plano de aula.

Fique à vontade para nos ajudar, sugerindo atividades que possam ser feitas na especialidade e boas fontes para responder seus requisitos.

Cartão de controle do instrutor para as Classes

Em setembro de 2011, postamos AQUI no nosso Cantinho os cartões de controle para instrutores de classes. Neles tem listado todos os requisitos da classe e tem o espaço para colocar o nome de cada desbravador. Assim, conforme o desbravador for cumprindo o requisito, o instrutor faz a marcação, permitindo assim um melhor controle.

Apesar de bastante simples, esses cartões são extremamente úteis para aqueles que querem organizar melhor a instrução da sua classe. A Equipe Cantinho da Unidade traz para vocês a versão atualizada desses arquivos, com os requisitos das nossas novas classes. Basta clicar nas imagens abaixo para fazer o download.

Observação: Os arquivos foram feitos no Power Point, em tamanho Ofício. Então, para que a visualização seja correta, ou vocês precisam imprimir em um papel ofício ou marcar a opção “ajustar à área de impressão” ou “ajustar ao tamanho do papel”, na hora de mandar imprimir, conforme figura abaixo (clique para ampliar):

Cantinhocast #004 – De olho no Manual – 3

 

Em praticamente todos os sites e blogs de desbravadores, apesar de lançado há aproximadamente 2 meses, o novo Manual de Especialidades ainda é um dos assuntos mais comentados. O sucesso foi tão grande que logo o Manual esgotou na Editora. Mas agora já está novamente disponível para compra!

Hoje é o nosso último episódio da série De olho no Manual, fechando com as principais novidades nas seções Ciência e Saúde e Estudo da Natureza.

Mas o nosso CantinhoCast não fica por aqui. Fique de olho que no próximo episódio falaremos sobre um tema muito polêmico.

Recomendamos

Amado Inimigo

Meninas gostam muito de histórias de amor. O problema é que muitas delas trazem misturadas na trama envolvente uma boa dose de sentimentalismo barato. Uma overdose desse tipo de leitura provoca alienação e atrapalha futuros relacionamentos.

A história é envolvente e emocionante. Mostra que o amor a Verdade pode nos privar do amor de nossos entes mais queridos, mas uma vida de fidelidade e dependência de Deus é recompensadora. Por isso nós líderes precisamos fornecer alternativas saudáveis paras nossos pequenos leitores. O livro Amado Inimigo é uma das excelentes opções.

Veja a sinopse:

Neste livro você ficará sabendo o que Elly Economou teve de enfrentar para tomar a decisão mais importante de sua vida. Os anos difíceis nos quais Tessalônica, sua terra natal, foi envolvida pelos horrores da Segunda Guerra. Também os anos dolorosos em que enfrentou uma guerra civíl. Conheça a a luta dessa jovem valorosa em seu amor a Deus e a seu pai; luta que quase a levou ao desespero e à morte.

O melhor é que ele está a venda no site da CPB

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...